Defesa, 1950-04-18 - 2016-07-25)
Portugal
Stats: 7 épocas, 161 jogos (13353 minutos), 3 golos
Títulos: Campeonato Nacional (5), Taça de Portugal (1)

19195 - Tópico: Artur Correia, o Ruço  (Lida 28605 vezes)

Shoky

  • Colaborador
  • ******
  • Mensagens: 189136
  • 15 de Julho de 2009, 16:54
Actualizado! :)

Dudek

  • Eusébio
  • ******
  • Mensagens: 122398
  • 16 de Novembro de 2009, 16:05
está agora a dar na Sic  :)

Pain

  • Sénior
  • ****
  • Mensagens: 1327
  • 16 de Novembro de 2009, 16:06
Bonita a homenagem que a SIC lhe está a prestar... É um deleite ouvi-lo falar do Benfica

José Henriques

  • Iniciado
  • *
  • Mensagens: 126
  • 24 de Novembro de 2009, 10:20
O Artur foi um jogador de grande raça e parecia que jogava a vida em cada lance em que intervinha! No entanto, não se pense que era pouco dotado técnicamente, antes pelo contrário. Apareceu na 1ª equipa do Benfica quando surgia no Mundo o denominado «futebol total», criado pela super-equipa do Ajax, também usado pelo Feyennord e claro, pela selecção Holandesa, a célebre «laranja mecânica».
No Benfica, os laterais fácilmente adoptaram a filosofia do futebol total, e passaram a subir à linha para cruzar e surgir em zona de remate, tal como faziam os Holandeses. Era inovador, porque até aí os defesas...defendiam, não atacavam. O Artur, tal como o seu parceiro da esquerda (Adolfo), eram duas «máquinas» que passavam o jogo inteiro a subir e a recuperar posição, pelos seus corredores. Tinha uns confrontos de fazer faísca com um extremo-esquerdo dos lagartos chamado Dinis, que também era fera, e mais tarde continuou a gerar dinamite com o lateral esquerdo do Sporting, um Brasileiro chamado Da Costa. Acabou por ir para o Sporting, e passou a ter duelos com o Chalana, mas esse não entrava em despique fisico com ele, mas punha o «ruço» doido atrás dele pelo campo todo.
Depois do AVC, um amigo meu que tinha terminado o curso de treinador, esteve a estagiar com ele no Atlético do Cacém, onde ele era treinador. Eu fui a alguns treinos e tive o prazer de falar com ele várias vezes, e vinhamos de boleia com ele para Lisboa no fim do treino. Era só rir com as histórias que contava, e algumas coisas que aqui vos tenho contado de outros jogadores, ouvi-as dele.
Hoje, continua salvo erro, no pelouro de Desporto da Câmara de Lisboa. Já não o vejo há uns anos.
« Última modificação: 24 de Novembro de 2009, 10:23 por José Henriques »

BEKAMBOL

  • Eusébio
  • ******
  • Mensagens: 23375
  • 24 de Novembro de 2009, 10:25
um dos melhores entre os melhores, marcou uma grande geração, uma grande parte do nosso historial do nosso glorioso S.L.Benfica, foi talvez mesmo o nosso melhor defesa dessa grande altura, e claro foi sempre um grande benfiquista e é ainda uma grande referencia do nosso futebol. do nosso glorioso, S.L.Benfica.

Bola7

  • Eusébio
  • ******
  • San Sebastian
  • Mensagens: 122158
  • Perdido no limbo do serbenf
  • 24 de Novembro de 2009, 11:38
O Artur foi um jogador de grande raça e parecia que jogava a vida em cada lance em que intervinha! No entanto, não se pense que era pouco dotado técnicamente, antes pelo contrário. Apareceu na 1ª equipa do Benfica quando surgia no Mundo o denominado «futebol total», criado pela super-equipa do Ajax, também usado pelo Feyennord e claro, pela selecção Holandesa, a célebre «laranja mecânica».
No Benfica, os laterais fácilmente adoptaram a filosofia do futebol total, e passaram a subir à linha para cruzar e surgir em zona de remate, tal como faziam os Holandeses. Era inovador, porque até aí os defesas...defendiam, não atacavam. O Artur, tal como o seu parceiro da esquerda (Adolfo), eram duas «máquinas» que passavam o jogo inteiro a subir e a recuperar posição, pelos seus corredores. Tinha uns confrontos de fazer faísca com um extremo-esquerdo dos lagartos chamado Dinis, que também era fera, e mais tarde continuou a gerar dinamite com o lateral esquerdo do Sporting, um Brasileiro chamado Da Costa. Acabou por ir para o Sporting, e passou a ter duelos com o Chalana, mas esse não entrava em despique fisico com ele, mas punha o «ruço» doido atrás dele pelo campo todo.
Depois do AVC, um amigo meu que tinha terminado o curso de treinador, esteve a estagiar com ele no Atlético do Cacém, onde ele era treinador. Eu fui a alguns treinos e tive o prazer de falar com ele várias vezes, e vinhamos de boleia com ele para Lisboa no fim do treino. Era só rir com as histórias que contava, e algumas coisas que aqui vos tenho contado de outros jogadores, ouvi-as dele.
Hoje, continua salvo erro, no pelouro de Desporto da Câmara de Lisboa. Já não o vejo há uns anos.
penso que foi o Happel que o considerou como sendo o melhor lateral direito da europa... O0

José Henriques

  • Iniciado
  • *
  • Mensagens: 126
  • 24 de Novembro de 2009, 12:20

«penso que foi o Happel que o considerou como sendo o melhor lateral direito da europa.»

A propósito do Hapel há uma história engraçada e que tem a ver com esta geração de jogadores do Benfica dos anos 70.
O tipo era treinador do Feyenoord e saiu-lhes o Benfica, salvo erro em 1971. Começou logo armado em papagaio a dar entrevistas a vários jornais Europeus (incluindo Portugueses), onde afirmava que o Benfica era uma equipa banal, que não o assustava. De lembrar que o Feyenoord nessa época era a par com o Ajax a melhor equipa da Europa. Um bocado ao estilo do Manchester United e o Chelsea, hoje em dia. Os dois do mesmo País e dois dos melhores Europeus.
Na época só Benfica e Bayern de Munique tinham andamento para jogar de igual para igual com eles, mas o Hapel dizia que não, que o Benfica era fraquito. Vem a 1ª mão lá na Holanda e o Benfica empata 0-0, o Hapel veio logo dizer que foi um golpe de sorte nosso, que um bom jogo sai a qualquer equipa e rebéubéu, pardais ao ninho. 15 dias depois, Estádio da Luz cheio, um ambiente de grande noite Europeia. Alta assobiadela para o Hapel quando veio fazer o aquecimento com os jogadores.
Começa ao jogo. O Benfica em furia para cima deles. Nem respiravam, defendiam de qualquer maneira e lá acaba por surgir o nosso golo. Até ao intervalo nada de novo. Na 2ª parte caímos novamente em cima dos Holandeses à procura do 2º e os gajos num contra ataque marádo, empatam! O Hapel aplaude de pé a equipa dele. O golo fora apurava-os! Na Luz estava tudo apreensivo, era muito injusto depois do que tinhamos feito.
De certeza que muitos daqui já ouviram falar de «20 minutos à Benfica»! Pois é, vem daí, desse dia. O Benfica sofreu o golo a meio da 2ª parte e partiu na mesma para cima deles. Faz o 2-1, o 3-1, o 4-1 e o 5-1, resultado final. 4 golos de Néné, que era então um jovem muito promissor. O ultimo golo festejou-o em frente ao Hapel, que nem sabia onde havia de se meter. O Estádio explodia em euforia e só se ouvia Benfica, Benfica, Benfica! Chorava-se...muito.

Desde esse dia Hapel passou a dizer que o Benfica era uma grande equipa e tinha os melhores jogadores da Europa! Mudou de opinião depois de 20 MINUTOS À BENFICA.


PS: Já me caíu uma lágrima ou duas enquanto escrevia isto. porra!
« Última modificação: 24 de Novembro de 2009, 12:37 por José Henriques »

lcferreira

  • Iniciado
  • *
  • Lisboa
  • Mensagens: 2146
  • Benfica - Inflamavel, reagente e explosivo
  • Sócio: 6184
  • 24 de Novembro de 2009, 12:51

«penso que foi o Happel que o considerou como sendo o melhor lateral direito da europa.»

...

PS: Já me caíu uma lágrima ou duas enquanto escrevia isto. porra!

Eu avisei no topico do Nené, que a tua forma se escrever nos faz (porque também vi muito) "re"VER os acontecimentos ao vivo enquanto se lê as tuas homenagens, a lágrima vem mesmo ao olho, é assim o BENFICA.

VIVA O BENFICA!!!

Denim

  • Eusébio
  • ******
  • Mensagens: 57162
  • 24 de Novembro de 2009, 13:54

«penso que foi o Happel que o considerou como sendo o melhor lateral direito da europa.»

...

PS: Já me caíu uma lágrima ou duas enquanto escrevia isto. porra!

Eu avisei no topico do Nené, que a tua forma se escrever nos faz (porque também vi muito) "re"VER os acontecimentos ao vivo enquanto se lê as tuas homenagens, a lágrima vem mesmo ao olho, é assim o BENFICA.

VIVA O BENFICA!!!
Vem mesmo,porra! :cry2:

Bola7

  • Eusébio
  • ******
  • San Sebastian
  • Mensagens: 122158
  • Perdido no limbo do serbenf
  • 24 de Novembro de 2009, 15:14

«penso que foi o Happel que o considerou como sendo o melhor lateral direito da europa.»

A propósito do Hapel há uma história engraçada e que tem a ver com esta geração de jogadores do Benfica dos anos 70.
O tipo era treinador do Feyenoord e saiu-lhes o Benfica, salvo erro em 1971. Começou logo armado em papagaio a dar entrevistas a vários jornais Europeus (incluindo Portugueses), onde afirmava que o Benfica era uma equipa banal, que não o assustava. De lembrar que o Feyenoord nessa época era a par com o Ajax a melhor equipa da Europa. Um bocado ao estilo do Manchester United e o Chelsea, hoje em dia. Os dois do mesmo País e dois dos melhores Europeus.
Na época só Benfica e Bayern de Munique tinham andamento para jogar de igual para igual com eles, mas o Hapel dizia que não, que o Benfica era fraquito. Vem a 1ª mão lá na Holanda e o Benfica empata 0-0, o Hapel veio logo dizer que foi um golpe de sorte nosso, que um bom jogo sai a qualquer equipa e rebéubéu, pardais ao ninho. 15 dias depois, Estádio da Luz cheio, um ambiente de grande noite Europeia. Alta assobiadela para o Hapel quando veio fazer o aquecimento com os jogadores.
Começa ao jogo. O Benfica em furia para cima deles. Nem respiravam, defendiam de qualquer maneira e lá acaba por surgir o nosso golo. Até ao intervalo nada de novo. Na 2ª parte caímos novamente em cima dos Holandeses à procura do 2º e os gajos num contra ataque marádo, empatam! O Hapel aplaude de pé a equipa dele. O golo fora apurava-os! Na Luz estava tudo apreensivo, era muito injusto depois do que tinhamos feito.
De certeza que muitos daqui já ouviram falar de «20 minutos à Benfica»! Pois é, vem daí, desse dia. O Benfica sofreu o golo a meio da 2ª parte e partiu na mesma para cima deles. Faz o 2-1, o 3-1, o 4-1 e o 5-1, resultado final. 4 golos de Néné, que era então um jovem muito promissor. O ultimo golo festejou-o em frente ao Hapel, que nem sabia onde havia de se meter. O Estádio explodia em euforia e só se ouvia Benfica, Benfica, Benfica! Chorava-se...muito.

Desde esse dia Hapel passou a dizer que o Benfica era uma grande equipa e tinha os melhores jogadores da Europa! Mudou de opinião depois de 20 MINUTOS À BENFICA.


PS: Já me caíu uma lágrima ou duas enquanto escrevia isto. porra!
lembro-me como se fosse hoje...ainda existe gente viva que se lamenta de ter saido do estádio após o empate holandês...

Manel dos Anzois

  • Eusébio
  • ******
  • Mensagens: 15263
  • 21 de Março de 2010, 01:26

«penso que foi o Happel que o considerou como sendo o melhor lateral direito da europa.»

A propósito do Hapel há uma história engraçada e que tem a ver com esta geração de jogadores do Benfica dos anos 70.
O tipo era treinador do Feyenoord e saiu-lhes o Benfica, salvo erro em 1971. Começou logo armado em papagaio a dar entrevistas a vários jornais Europeus (incluindo Portugueses), onde afirmava que o Benfica era uma equipa banal, que não o assustava. De lembrar que o Feyenoord nessa época era a par com o Ajax a melhor equipa da Europa. Um bocado ao estilo do Manchester United e o Chelsea, hoje em dia. Os dois do mesmo País e dois dos melhores Europeus.
Na época só Benfica e Bayern de Munique tinham andamento para jogar de igual para igual com eles, mas o Hapel dizia que não, que o Benfica era fraquito. Vem a 1ª mão lá na Holanda e o Benfica empata 0-0, o Hapel veio logo dizer que foi um golpe de sorte nosso, que um bom jogo sai a qualquer equipa e rebéubéu, pardais ao ninho. 15 dias depois, Estádio da Luz cheio, um ambiente de grande noite Europeia. Alta assobiadela para o Hapel quando veio fazer o aquecimento com os jogadores.
Começa ao jogo. O Benfica em furia para cima deles. Nem respiravam, defendiam de qualquer maneira e lá acaba por surgir o nosso golo. Até ao intervalo nada de novo. Na 2ª parte caímos novamente em cima dos Holandeses à procura do 2º e os gajos num contra ataque marádo, empatam! O Hapel aplaude de pé a equipa dele. O golo fora apurava-os! Na Luz estava tudo apreensivo, era muito injusto depois do que tinhamos feito.
De certeza que muitos daqui já ouviram falar de «20 minutos à Benfica»! Pois é, vem daí, desse dia. O Benfica sofreu o golo a meio da 2ª parte e partiu na mesma para cima deles. Faz o 2-1, o 3-1, o 4-1 e o 5-1, resultado final. 4 golos de Néné, que era então um jovem muito promissor. O ultimo golo festejou-o em frente ao Hapel, que nem sabia onde havia de se meter. O Estádio explodia em euforia e só se ouvia Benfica, Benfica, Benfica! Chorava-se...muito.

Desde esse dia Hapel passou a dizer que o Benfica era uma grande equipa e tinha os melhores jogadores da Europa! Mudou de opinião depois de 20 MINUTOS À BENFICA.


PS: Já me caíu uma lágrima ou duas enquanto escrevia isto. porra!




:metal:

Elvis the Pelvis

  • Eusébio
  • ******
  • This thorn in my side is also from a tree i've planted, it tears me and i bleed...
  • Mensagens: 47827
  • 01 de Abril de 2010, 14:03

«penso que foi o Happel que o considerou como sendo o melhor lateral direito da europa.»

A propósito do Hapel há uma história engraçada e que tem a ver com esta geração de jogadores do Benfica dos anos 70.
O tipo era treinador do Feyenoord e saiu-lhes o Benfica, salvo erro em 1971. Começou logo armado em papagaio a dar entrevistas a vários jornais Europeus (incluindo Portugueses), onde afirmava que o Benfica era uma equipa banal, que não o assustava. De lembrar que o Feyenoord nessa época era a par com o Ajax a melhor equipa da Europa. Um bocado ao estilo do Manchester United e o Chelsea, hoje em dia. Os dois do mesmo País e dois dos melhores Europeus.
Na época só Benfica e Bayern de Munique tinham andamento para jogar de igual para igual com eles, mas o Hapel dizia que não, que o Benfica era fraquito. Vem a 1ª mão lá na Holanda e o Benfica empata 0-0, o Hapel veio logo dizer que foi um golpe de sorte nosso, que um bom jogo sai a qualquer equipa e rebéubéu, pardais ao ninho. 15 dias depois, Estádio da Luz cheio, um ambiente de grande noite Europeia. Alta assobiadela para o Hapel quando veio fazer o aquecimento com os jogadores.
Começa ao jogo. O Benfica em furia para cima deles. Nem respiravam, defendiam de qualquer maneira e lá acaba por surgir o nosso golo. Até ao intervalo nada de novo. Na 2ª parte caímos novamente em cima dos Holandeses à procura do 2º e os gajos num contra ataque marádo, empatam! O Hapel aplaude de pé a equipa dele. O golo fora apurava-os! Na Luz estava tudo apreensivo, era muito injusto depois do que tinhamos feito.
De certeza que muitos daqui já ouviram falar de «20 minutos à Benfica»! Pois é, vem daí, desse dia. O Benfica sofreu o golo a meio da 2ª parte e partiu na mesma para cima deles. Faz o 2-1, o 3-1, o 4-1 e o 5-1, resultado final. 4 golos de Néné, que era então um jovem muito promissor. O ultimo golo festejou-o em frente ao Hapel, que nem sabia onde havia de se meter. O Estádio explodia em euforia e só se ouvia Benfica, Benfica, Benfica! Chorava-se...muito.

Desde esse dia Hapel passou a dizer que o Benfica era uma grande equipa e tinha os melhores jogadores da Europa! Mudou de opinião depois de 20 MINUTOS À BENFICA.


PS: Já me caíu uma lágrima ou duas enquanto escrevia isto. porra!

 :flagglorioso: :slb2:

MB_caniggia

  • Eusébio
  • ******
  • Mensagens: 8775
  • 09 de Julho de 2010, 17:22
Convidado do Programa " Em Defesa do Benfica" desta semana, sócio do Benfica desde que nasceu :victory:

Eagle Fly Free

  • Iniciado
  • *
  • Mensagens: 6036
  • 09 de Julho de 2010, 17:43

«penso que foi o Happel que o considerou como sendo o melhor lateral direito da europa.»

A propósito do Hapel há uma história engraçada e que tem a ver com esta geração de jogadores do Benfica dos anos 70.
O tipo era treinador do Feyenoord e saiu-lhes o Benfica, salvo erro em 1971. Começou logo armado em papagaio a dar entrevistas a vários jornais Europeus (incluindo Portugueses), onde afirmava que o Benfica era uma equipa banal, que não o assustava. De lembrar que o Feyenoord nessa época era a par com o Ajax a melhor equipa da Europa. Um bocado ao estilo do Manchester United e o Chelsea, hoje em dia. Os dois do mesmo País e dois dos melhores Europeus.
Na época só Benfica e Bayern de Munique tinham andamento para jogar de igual para igual com eles, mas o Hapel dizia que não, que o Benfica era fraquito. Vem a 1ª mão lá na Holanda e o Benfica empata 0-0, o Hapel veio logo dizer que foi um golpe de sorte nosso, que um bom jogo sai a qualquer equipa e rebéubéu, pardais ao ninho. 15 dias depois, Estádio da Luz cheio, um ambiente de grande noite Europeia. Alta assobiadela para o Hapel quando veio fazer o aquecimento com os jogadores.
Começa ao jogo. O Benfica em furia para cima deles. Nem respiravam, defendiam de qualquer maneira e lá acaba por surgir o nosso golo. Até ao intervalo nada de novo. Na 2ª parte caímos novamente em cima dos Holandeses à procura do 2º e os gajos num contra ataque marádo, empatam! O Hapel aplaude de pé a equipa dele. O golo fora apurava-os! Na Luz estava tudo apreensivo, era muito injusto depois do que tinhamos feito.
De certeza que muitos daqui já ouviram falar de «20 minutos à Benfica»! Pois é, vem daí, desse dia. O Benfica sofreu o golo a meio da 2ª parte e partiu na mesma para cima deles. Faz o 2-1, o 3-1, o 4-1 e o 5-1, resultado final. 4 golos de Néné, que era então um jovem muito promissor. O ultimo golo festejou-o em frente ao Hapel, que nem sabia onde havia de se meter. O Estádio explodia em euforia e só se ouvia Benfica, Benfica, Benfica! Chorava-se...muito.

Desde esse dia Hapel passou a dizer que o Benfica era uma grande equipa e tinha os melhores jogadores da Europa! Mudou de opinião depois de 20 MINUTOS À BENFICA.


PS: Já me caíu uma lágrima ou duas enquanto escrevia isto. porra!
lembro-me como se fosse hoje...ainda existe gente viva que se lamenta de ter saido do estádio após o empate holandês...

A  15 minutos do fim ?  :huh:
 
Assim tanta descrença ?

José Henriques

  • Iniciado
  • *
  • Mensagens: 126
  • 09 de Julho de 2010, 18:56
A descrença vinha do facto de o Feyennord ser uma grande equipa, mas não só por isso!
Hoje, é mais natural um jogo nunca estar decidido, naquele tempo era mais complicado recuperar, principalmente quando jogavam equipas de valor semelhante.
Era mais simples fazer anti-jogo (o guarda-redes podia segurar com as mãos, bolas atrasadas com o pé), e a equipa que estava a perder tinha muitas dificuldades em recuperar a bola, porque ainda não existia a escola que surgiu mais tarde, da pressão alta. Era complicado!!