64766 - Tópico: Rafael Brito  (Lida 29295 vezes)

Cob92

  • Eusébio
  • ******
  • Mensagens: 8807
  • BabyBenfica
  • 29 de Abril de 2020, 00:25
Eu espero è que esta proxima geraçao fazem a gloria do Benfica e nao so 1 ano ou 2.

Nos últimos 10 anos criámos (e expedimos) Oblak, Ederson, N.Semedo, Cancelo, Lindelof, A.Gomes, R.Sanches, Gedson, B.Silva, G.Guedes e J.Félix...

E ainda outros, que não devem assim tanto aos que cá estão, como F.Cardoso, Y.Ribeiro, Pêpê, A.Horta, J.Carvalho, H.Costa, I.Cavaleiro, N.Santos...

Entretanto, R.Dias, Florentino e Jota já estão também mais que empacotados.

Faço duas perguntas retóricas:

1) Acham mesmo que as gerações que aí vêm têm esta qualidade (Bernardo, Félix...) e abundância, quando já existem vários sinais de estarmos em convergência com outros clubes?

2) Acham mesmo que quem usou as melhores gerações de formação a nível mundial dos últimos 10 anos para encher os bolsos a amigos vai mudar agora de postura?

Produzimos uns 10 jogadores de top mais uns 15 ou 20 com qualidade para um Tugão, sabem quantos fizeram mais de 3 épocas completas na equipa A antes de serem empacotados?

ZERO.

O Seixal foi a melhor coisa que aconteceu ao Benfica nos últimos 30 anos. Mas foi infinitamente melhor para uma mão cheia de indivíduos que o “gere”.

Deixo só um facto para vos deixar a pensar, o Benfica investe 10 anos na formação de muitos destes miúdos, quando chegam a seniores renovam o contrato com valores muito bons, com o Mendes (que nem é o empresário de muito deles) a ficar com 10% de comissão de intermediação numa venda futura. E os que recusam (enquanto conseguem) são tão bem tratados que fazem uma assistência e choram...

Temos que mudar quem gere isso tudo

Eterno Benfica

  • Eusébio
  • ******
  • Mensagens: 9673
  • ''O meu coração bate por ti! Amo-te Benfica''
  • 29 de Abril de 2020, 00:31
Bernardos e Felixes não se formam ao pontapé, mas o resto, continuando a trabalhar bem na formação, vão continuar a aparecer.


Quanto ao Dantas fiquei um pouco desiludido esta época. Não é que o potencial dele tenha desaparecido, mas evoluiu muito pouco neste ano. O contexto também não terá ajudado, mas ainda assim, acho que não se assumiu como líder como deveria.

André Sousa

  • Eusébio
  • ******
  • Mensagens: 83390
  • 29 de Abril de 2020, 00:47
Eu espero è que esta proxima geraçao fazem a gloria do Benfica e nao so 1 ano ou 2.

Nos últimos 10 anos criámos (e expedimos) Oblak, Ederson, N.Semedo, Cancelo, Lindelof, A.Gomes, R.Sanches, Gedson, B.Silva, G.Guedes e J.Félix...

E ainda outros, que não devem assim tanto aos que cá estão, como F.Cardoso, Y.Ribeiro, Pêpê, A.Horta, J.Carvalho, H.Costa, I.Cavaleiro, N.Santos...

Entretanto, R.Dias, Florentino e Jota já estão também mais que empacotados.

Faço duas perguntas retóricas:

1) Acham mesmo que as gerações que aí vêm têm esta qualidade (Bernardo, Félix...) e abundância, quando já existem vários sinais de estarmos em convergência com outros clubes?

2) Acham mesmo que quem usou as melhores gerações de formação a nível mundial dos últimos 10 anos para encher os bolsos a amigos vai mudar agora de postura?

Produzimos uns 10 jogadores de top mais uns 15 ou 20 com qualidade para um Tugão, sabem quantos fizeram mais de 3 épocas completas na equipa A antes de serem empacotados?

ZERO.

O Seixal foi a melhor coisa que aconteceu ao Benfica nos últimos 30 anos. Mas foi infinitamente melhor para uma mão cheia de indivíduos que o “gere”.

Deixo só um facto para vos deixar a pensar, o Benfica investe 10 anos na formação de muitos destes miúdos, quando chegam a seniores renovam o contrato com valores muito bons, com o Mendes (que nem é o empresário de muito deles) a ficar com 10% de comissão de intermediação numa venda futura. E os que recusam (enquanto conseguem) são tão bem tratados que fazem uma assistência e choram...

O Yuri Ribeiro fica longe do Grimaldo e do Nuno Tavares.

Em relação à primeira pergunta, Félix e Bernardo são casos raros porque foram jogadores que cresceram na adversidade. Um não contava no Porto e o outro não contava no Benfica. Ou seja, poucos adivinhavam o que aí viria antes de explodirem, neste caso quando chegaram à equipa B, e mesmo aí...

A esse lote ainda junto o Cancelo.

A geração de 2001 perdeu um pouco o gás, embora já tivesse dito por várias vezes que era algo sobrevalorizada pelos resultados que tinha, onde passavam tudo a ferro. O Tomás já está na A, o João Ferreira é titular da B, os centrais (Saldanha e Penetra) não têm qualidade para singrar a esse nível, embora goste do Saldanha no meio campo, o Sandro Cruz está lesionado no joelho, o Bernardo Silva pouco jogou nestes dois anos, o Nuno Cunha já foi para o Braga, o Jocu está à procura do seu espaço nos sub-23 outra vez, o Jair e o Tiago Gouveia só daqui a uns tempos, não sendo predestinados, o Tiago Araújo só a lateral, o Umaro perdeu esta época quase toda por lesão, o Gonçalo Ramos anda a saltar entre o meio campo e o ataque...

Já a geração de 2002 junta o Paulo Bernardo que já se estreou na B e, se tudo correr como deve ser, para o ano será titular por lá, o Rafael Brito que já é titular nessa equipa e o Diogo Nascimento que é um craque autêntico. Depois tens jogadores tipo Gerson, Sarmiento, Henrique Pereira, Henrique Araújo, Filipe Cruz, Tomás Araújo.

Sub-19 ainda tens o Fábio Batista que veio este ano e já jogou nos sub-23 e o Ronaldo que é de 2003 mas sempre jogou com os mais velhos.

A geração de 2003 com o Martim, Mendonça, Montóia, Resende, Pedro Santos, António Silva, Manuel Campos, a geração de 2004 com o Félix Jr,, João Neves e Prioste à cabeça...

Qualidade há, mas são muitas variáveis que não se conseguem controlar e tampouco prever faltando ainda tanto tempo.

O que não falta é qualidade, mais numas gerações do que outras, mas isso sempre foi assim.

Da geração de 94 só o Bernardo e o Cancelo deram jogadores de alto nível e tivemos João Teixeira, Diego, Fábio Cardoso, Varela e Hélder Costa, que deram jogadores de Primeira Liga e na altura alguns destes eram nomes válidos para singrar na equipa A.

Da geração de 97 só o Renato, o Rúben e o Ferro singraram na equipa A, e o último acredito que perca o lugar se o Benfica investir na defesa, e tivemos Buta, Joãozinho, Pedro Rodrigues, Diogo Gonçalves e Yuri Ribeiro.

A própria geração de 99 teve o Félix mas ainda teve Gédson, Florentino e Jota, sem falar no Nuno Santos, Vukotic, Filipe Soares, David Tavares e Zé Gomes.

Haverá sempre qualidade que depois só potenciada dentro de um bom coletivo conseguirá fazer a diferença.
« Última modificação: 29 de Abril de 2020, 00:51 por André Sousa »

AndreCruz11SLB

  • Sénior
  • ****
  • Mensagens: 2126
  • Benfica é paixão, é glória, e glória não tem preço
  • 29 de Abril de 2020, 11:02
Eu espero è que esta proxima geraçao fazem a gloria do Benfica e nao so 1 ano ou 2.

Nos últimos 10 anos criámos (e expedimos) Oblak, Ederson, N.Semedo, Cancelo, Lindelof, A.Gomes, R.Sanches, Gedson, B.Silva, G.Guedes e J.Félix...

E ainda outros, que não devem assim tanto aos que cá estão, como F.Cardoso, Y.Ribeiro, Pêpê, A.Horta, J.Carvalho, H.Costa, I.Cavaleiro, N.Santos...

Entretanto, R.Dias, Florentino e Jota já estão também mais que empacotados.

Faço duas perguntas retóricas:

1) Acham mesmo que as gerações que aí vêm têm esta qualidade (Bernardo, Félix...) e abundância, quando já existem vários sinais de estarmos em convergência com outros clubes?

2) Acham mesmo que quem usou as melhores gerações de formação a nível mundial dos últimos 10 anos para encher os bolsos a amigos vai mudar agora de postura?

Produzimos uns 10 jogadores de top mais uns 15 ou 20 com qualidade para um Tugão, sabem quantos fizeram mais de 3 épocas completas na equipa A antes de serem empacotados?

ZERO.

O Seixal foi a melhor coisa que aconteceu ao Benfica nos últimos 30 anos. Mas foi infinitamente melhor para uma mão cheia de indivíduos que o “gere”.

Deixo só um facto para vos deixar a pensar, o Benfica investe 10 anos na formação de muitos destes miúdos, quando chegam a seniores renovam o contrato com valores muito bons, com o Mendes (que nem é o empresário de muito deles) a ficar com 10% de comissão de intermediação numa venda futura. E os que recusam (enquanto conseguem) são tão bem tratados que fazem uma assistência e choram...

Concordo a 100%. Estamos a hipotecar o sucesso europeu com encaixes financeiros dos jogadores vindos do Seixal para a equipa A...

darkwolf

  • Eusébio
  • ******
  • Mensagens: 39827
  • 29 de Abril de 2020, 11:06
Bernardos e Felixes não se formam ao pontapé, mas o resto, continuando a trabalhar bem na formação, vão continuar a aparecer.


Quanto ao Dantas fiquei um pouco desiludido esta época. Não é que o potencial dele tenha desaparecido, mas evoluiu muito pouco neste ano. O contexto também não terá ajudado, mas ainda assim, acho que não se assumiu como líder como deveria.

acho que ninguém ( jogadores de campo )melhorou na B.

Jeremy

  • Eusébio
  • ******
  • França
  • Mensagens: 9173
  • 06 de Maio de 2020, 10:31
O problema do Benfica é formar jogadores jogando em 4-3-3 e depois chegar a Equipa A ou B para jogar em 4-4-2....

Dalone

  • Sénior
  • ****
  • Mensagens: 2873
  • 11 de Maio de 2020, 12:15
O problema do Benfica é formar jogadores jogando em 4-3-3 e depois chegar a Equipa A ou B para jogar em 4-4-2....

Isso é algo que faz um bocado confusão... quantos jogadores se devem ter perdido pelo caminho, porque simplesmente quando haveria as análises aos escalões de formação e a potenciais súbidas à A, não estariam preparados porque as funções que se dedicaram a desenvolver e trabalhar não correspondem com as ideias do treinador principal.

Pêpê é um deles por exemplo, J. Carvalho outro... Ninguém duvidava das suas qualidades, simplesmente não tavam talhados para serem um 8 ou 6 (na linguagem JJ) de um meio-campo a 2.

Eterno Benfica

  • Eusébio
  • ******
  • Mensagens: 9673
  • ''O meu coração bate por ti! Amo-te Benfica''
  • 12 de Maio de 2020, 19:17
O problema do Benfica é formar jogadores jogando em 4-3-3 e depois chegar a Equipa A ou B para jogar em 4-4-2....

Isso é algo que faz um bocado confusão... quantos jogadores se devem ter perdido pelo caminho, porque simplesmente quando haveria as análises aos escalões de formação e a potenciais súbidas à A, não estariam preparados porque as funções que se dedicaram a desenvolver e trabalhar não correspondem com as ideias do treinador principal.

Pêpê é um deles por exemplo, J. Carvalho outro... Ninguém duvidava das suas qualidades, simplesmente não tavam talhados para serem um 8 ou 6 (na linguagem JJ) de um meio-campo a 2.
Não acho que seja tanto assim.

Independente do sistema tático em que jogam na formação, o jogador quando chega a sénior até pode ser melhor noutro sistema.

Por exemplo, o Renato e o João Carvalho são jogadores que encaixam bem no 442, o João como segundo avançado e o Renato como 8, e fizeram a formação toda em 433.


Acho que se deve adaptar o sistema tático aos jogadores que temos e não os jogadores ao sistema, que é o que temos vindo a fazer. Este ano temos plantel para 433 e jogamos muito tempo em 442. O inverso no ano passado. Há uns anos até podíamos ter jogado em 352, uma vez que tínhamos Lindelof, Luisão e Jardel em boa forma e os laterais eram muito fortes ofensivamente (Semedo e Grimaldo).


Acredito que também não seja fácil para um treinador ter vários sistemas bem trabalhados... Mas é o que é

Kampz

  • Eusébio
  • ******
  • Mensagens: 10819
  • Se estás farto de ver roubar, mete este avatar.
  • 12 de Maio de 2020, 20:35
O problema do Benfica é formar jogadores jogando em 4-3-3 e depois chegar a Equipa A ou B para jogar em 4-4-2....

Isso é algo que faz um bocado confusão... quantos jogadores se devem ter perdido pelo caminho, porque simplesmente quando haveria as análises aos escalões de formação e a potenciais súbidas à A, não estariam preparados porque as funções que se dedicaram a desenvolver e trabalhar não correspondem com as ideias do treinador principal.

Pêpê é um deles por exemplo, J. Carvalho outro... Ninguém duvidava das suas qualidades, simplesmente não tavam talhados para serem um 8 ou 6 (na linguagem JJ) de um meio-campo a 2.

O meio-campo a dois do Lage, estilo bifão anos 90, neste momento é o maior problema táctico do Benfica e engloba a falta de qualidade na equipa A e o desperdício que se prevê nos escalões de formação.

Na equipa A:

- Florentino, 6 puro de destruição, completamente queimado no duplo pivô;
- Weigl, 6 puro de construção, em processo de assadura avançado no duplo pivô;
- Gedson, médio interior de transição, de titularíssimo a ala/segundo-avançado a dispensável;
- Krovinovic, médio interior de ligação, de ídolo a ala/segundo-avançado a dispensável;
- Chiquinho, médio interior com qualidade, completamente perdido a segundo-avançado;
- Zivkovic, que se destacou como médio interior, completamente encostado apesar do talento;
- Taarabt, médio ofensivo com técnica absurda, anda a rebentar-se todo sem bola no pé.

Só mesmo Gabriel e Samaris se dão bem (eventualmente melhor) neste sistema.

Na equipa B e próximas gerações:

- Rafael Brito, 6 de enorme potencial, que não está a ser preparado para duplo pivô;
- Vukotic, médio defensivo com boas características físicas e técnicas sem espaço;
- Tiago Dantas, médio distribuidor sem velocidade que já anda a ser adaptado a ala;
- Ronaldo Camará, médio interior que brilha com liberdade para se movimentar pelo campo;
- Paulo Bernardo, construtor de jogo de enorme qualidade mas com limitações defensivas;
- Gonçalo Ramos, médio de origem, adaptado a 2.º avançado ou mesmo 9 (aqui discutível).

Só mesmo David Tavares ganha com este modelo mas, para mim não conta, e o Lage tem tanta confiança na segurança dele que o lança sempre numa ala também.

Ou seja, para se jogar com um 2.º avançado que não existe, só porque "o Benfica joga sempre com dois avançados", já se queimaram vários jogadores, vários estão a meio do processo e os que aí vêm irão pelo mesmo caminho.

Bastava isto:

MD: Weigl, Florentino, R.Brito, Vukotic
MCE: Gabriel, Gedson, T.Dantas, R.Camará
MCD/MO: Taarabt, Krovinovic/Chiquinho, G.Ramos, P.Bernardo

E já não estou a contar com Samaris (apesar de o adorar é solução de curto-prazo e está a tapar o Florentino), D.Tavares (nunca me convenceu) e Zivkovic (pelo ordenado e alegada falta de empenho) que podem perfeitamente ser vendidos.

É um meio campo com um potencial brutal e para muitos anos, é só não (continuar) a estragar.

Dalone

  • Sénior
  • ****
  • Mensagens: 2873
  • 12 de Maio de 2020, 22:26
O problema do Benfica é formar jogadores jogando em 4-3-3 e depois chegar a Equipa A ou B para jogar em 4-4-2....

Isso é algo que faz um bocado confusão... quantos jogadores se devem ter perdido pelo caminho, porque simplesmente quando haveria as análises aos escalões de formação e a potenciais súbidas à A, não estariam preparados porque as funções que se dedicaram a desenvolver e trabalhar não correspondem com as ideias do treinador principal.

Pêpê é um deles por exemplo, J. Carvalho outro... Ninguém duvidava das suas qualidades, simplesmente não tavam talhados para serem um 8 ou 6 (na linguagem JJ) de um meio-campo a 2.
Não acho que seja tanto assim.

Independente do sistema tático em que jogam na formação, o jogador quando chega a sénior até pode ser melhor noutro sistema.

Por exemplo, o Renato e o João Carvalho são jogadores que encaixam bem no 442, o João como segundo avançado e o Renato como 8, e fizeram a formação toda em 433.


Acho que se deve adaptar o sistema tático aos jogadores que temos e não os jogadores ao sistema, que é o que temos vindo a fazer. Este ano temos plantel para 433 e jogamos muito tempo em 442. O inverso no ano passado. Há uns anos até podíamos ter jogado em 352, uma vez que tínhamos Lindelof, Luisão e Jardel em boa forma e os laterais eram muito fortes ofensivamente (Semedo e Grimaldo).


Acredito que também não seja fácil para um treinador ter vários sistemas bem trabalhados... Mas é o que é

Renato Sanches adaptou-se bem porque é um autêntico box to box. J. Carvalho nem tanto...

tulio_slb

  • Velha Glória
  • *****
  • Mensagens: 5848
  • 13 de Maio de 2020, 10:09
O problema do Benfica é formar jogadores jogando em 4-3-3 e depois chegar a Equipa A ou B para jogar em 4-4-2....

Isso é algo que faz um bocado confusão... quantos jogadores se devem ter perdido pelo caminho, porque simplesmente quando haveria as análises aos escalões de formação e a potenciais súbidas à A, não estariam preparados porque as funções que se dedicaram a desenvolver e trabalhar não correspondem com as ideias do treinador principal.

Pêpê é um deles por exemplo, J. Carvalho outro... Ninguém duvidava das suas qualidades, simplesmente não tavam talhados para serem um 8 ou 6 (na linguagem JJ) de um meio-campo a 2.

O meio-campo a dois do Lage, estilo bifão anos 90, neste momento é o maior problema táctico do Benfica e engloba a falta de qualidade na equipa A e o desperdício que se prevê nos escalões de formação.

Na equipa A:

- Florentino, 6 puro de destruição, completamente queimado no duplo pivô;
- Weigl, 6 puro de construção, em processo de assadura avançado no duplo pivô;
- Gedson, médio interior de transição, de titularíssimo a ala/segundo-avançado a dispensável;
- Krovinovic, médio interior de ligação, de ídolo a ala/segundo-avançado a dispensável;
- Chiquinho, médio interior com qualidade, completamente perdido a segundo-avançado;
- Zivkovic, que se destacou como médio interior, completamente encostado apesar do talento;
- Taarabt, médio ofensivo com técnica absurda, anda a rebentar-se todo sem bola no pé.

Só mesmo Gabriel e Samaris se dão bem (eventualmente melhor) neste sistema.

Na equipa B e próximas gerações:

- Rafael Brito, 6 de enorme potencial, que não está a ser preparado para duplo pivô;
- Vukotic, médio defensivo com boas características físicas e técnicas sem espaço;
- Tiago Dantas, médio distribuidor sem velocidade que já anda a ser adaptado a ala;
- Ronaldo Camará, médio interior que brilha com liberdade para se movimentar pelo campo;
- Paulo Bernardo, construtor de jogo de enorme qualidade mas com limitações defensivas;
- Gonçalo Ramos, médio de origem, adaptado a 2.º avançado ou mesmo 9 (aqui discutível).

Só mesmo David Tavares ganha com este modelo mas, para mim não conta, e o Lage tem tanta confiança na segurança dele que o lança sempre numa ala também.

Ou seja, para se jogar com um 2.º avançado que não existe, só porque "o Benfica joga sempre com dois avançados", já se queimaram vários jogadores, vários estão a meio do processo e os que aí vêm irão pelo mesmo caminho.

Bastava isto:

MD: Weigl, Florentino, R.Brito, Vukotic
MCE: Gabriel, Gedson, T.Dantas, R.Camará
MCD/MO: Taarabt, Krovinovic/Chiquinho, G.Ramos, P.Bernardo

E já não estou a contar com Samaris (apesar de o adorar é solução de curto-prazo e está a tapar o Florentino), D.Tavares (nunca me convenceu) e Zivkovic (pelo ordenado e alegada falta de empenho) que podem perfeitamente ser vendidos.

É um meio campo com um potencial brutal e para muitos anos, é só não (continuar) a estragar.

Ora está tudo dito aqui, um treinador tem que se adaptar ao que tem, criar um sistema e dinâmica que favoreça a grande maioria de jogadores as contratações têm que ser ajustes pontuais

Cob92

  • Eusébio
  • ******
  • Mensagens: 8807
  • BabyBenfica
  • 13 de Maio de 2020, 10:15
Em 433 se o Benfica conseguir potenciar ao maximo toda a qualidade do Seixal tem aqui uma equipa quase ainda maior que o Ajax do ano passado.

Mas para isso è preciso o treinador certo que aposta nestes jovens no momento certo e que acima de tudo nao sejam vendidos ao fim de 6 meses.

Tellmo

  • Sénior
  • ****
  • Mensagens: 1711
  • 14 de Maio de 2020, 01:39
O problema do Benfica é formar jogadores jogando em 4-3-3 e depois chegar a Equipa A ou B para jogar em 4-4-2....

Isso é algo que faz um bocado confusão... quantos jogadores se devem ter perdido pelo caminho, porque simplesmente quando haveria as análises aos escalões de formação e a potenciais súbidas à A, não estariam preparados porque as funções que se dedicaram a desenvolver e trabalhar não correspondem com as ideias do treinador principal.

Pêpê é um deles por exemplo, J. Carvalho outro... Ninguém duvidava das suas qualidades, simplesmente não tavam talhados para serem um 8 ou 6 (na linguagem JJ) de um meio-campo a 2.

O meio-campo a dois do Lage, estilo bifão anos 90, neste momento é o maior problema táctico do Benfica e engloba a falta de qualidade na equipa A e o desperdício que se prevê nos escalões de formação.

Na equipa A:

- Florentino, 6 puro de destruição, completamente queimado no duplo pivô;
- Weigl, 6 puro de construção, em processo de assadura avançado no duplo pivô;
- Gedson, médio interior de transição, de titularíssimo a ala/segundo-avançado a dispensável;
- Krovinovic, médio interior de ligação, de ídolo a ala/segundo-avançado a dispensável;
- Chiquinho, médio interior com qualidade, completamente perdido a segundo-avançado;
- Zivkovic, que se destacou como médio interior, completamente encostado apesar do talento;
- Taarabt, médio ofensivo com técnica absurda, anda a rebentar-se todo sem bola no pé.

Só mesmo Gabriel e Samaris se dão bem (eventualmente melhor) neste sistema.

Na equipa B e próximas gerações:

- Rafael Brito, 6 de enorme potencial, que não está a ser preparado para duplo pivô;
- Vukotic, médio defensivo com boas características físicas e técnicas sem espaço;
- Tiago Dantas, médio distribuidor sem velocidade que já anda a ser adaptado a ala;
- Ronaldo Camará, médio interior que brilha com liberdade para se movimentar pelo campo;
- Paulo Bernardo, construtor de jogo de enorme qualidade mas com limitações defensivas;
- Gonçalo Ramos, médio de origem, adaptado a 2.º avançado ou mesmo 9 (aqui discutível).

Só mesmo David Tavares ganha com este modelo mas, para mim não conta, e o Lage tem tanta confiança na segurança dele que o lança sempre numa ala também.

Ou seja, para se jogar com um 2.º avançado que não existe, só porque "o Benfica joga sempre com dois avançados", já se queimaram vários jogadores, vários estão a meio do processo e os que aí vêm irão pelo mesmo caminho.

Bastava isto:

MD: Weigl, Florentino, R.Brito, Vukotic
MCE: Gabriel, Gedson, T.Dantas, R.Camará
MCD/MO: Taarabt, Krovinovic/Chiquinho, G.Ramos, P.Bernardo

E já não estou a contar com Samaris (apesar de o adorar é solução de curto-prazo e está a tapar o Florentino), D.Tavares (nunca me convenceu) e Zivkovic (pelo ordenado e alegada falta de empenho) que podem perfeitamente ser vendidos.

É um meio campo com um potencial brutal e para muitos anos, é só não (continuar) a estragar.

Eterno Benfica

  • Eusébio
  • ******
  • Mensagens: 9673
  • ''O meu coração bate por ti! Amo-te Benfica''
  • 14 de Maio de 2020, 01:50
Não é estanque que todos os jogadores evoluam para o aquilo que se acha que é o potencial deles.

E nesse meio campo há vários sem jogos na 1 divisão. Têm muito potencial, mas calma


De qualquer das formas, também acho que deveríamos jogar em 433, e provavelmente o Pizzi voltaria ao centro.

André Sousa

  • Eusébio
  • ******
  • Mensagens: 83390
  • 14 de Maio de 2020, 01:55
Não é estanque que todos os jogadores evoluam para o aquilo que se acha que é o potencial deles.

E nesse meio campo há vários sem jogos na 1 divisão. Têm muito potencial, mas calma


De qualquer das formas, também acho que deveríamos jogar em 433, e provavelmente o Pizzi voltaria ao centro.

E a janela de oportunidade para alguns vai diminuindo.

O Vukotic é o caso mais flagrante.

Hoje fico com pena que não tenha ido parar ao Moreirense como se chegou a falar no verão passado.