Sporting CP: Rui Patricio, João Pereira, Paulo Oliveira, Ewerton, Jefferson, William Carvalho, Adrien Silva, João Mário, Bryan Ruiz, Montero, Slimani
Coach: Jorge Jesus
SL Benfica: Júlio César, Sílvio, Luisão, Jardel, Eliseu, Samaris, Pizzi (André Almeida [62m]), Gonçalo Guedes (Jonas [pr103m]), Nico Gaitán, Talisca, Mitroglou (Raúl Jiménez [p.95m])
Coach: Rui Vitória
Golos: Mitroglou (06)

58408 - Tópico: TdP 4ªElim: Sporting CP 2-1(a.p.) SL Benfica, 21Nov. Sáb. 20h00 *STV1*  (Lida 113004 vezes)

MALU15

  • Eusébio
  • ******
  • Mensagens: 14936
  • Em 2018/19 vamos começar de 1 até 5 ( PENTA )
  • 09 de Abril de 2016, 13:59
Para que conste, ontem saiu a decisão do CD sobre a agressão do Slimani ao Samaris no jogo da TP diputado em Novembro de 2015.

O ridículo dos termos do acórdão do CD que absolveu o Slimani da agressão


Os juízes consideraram que os árbitros não viram o lance e que por isso não poderiam ter agido, mas entendem, também, que “não resulta claro que o jogador Samaris se sentisse ofendido no seu corpo e saúde” e “muito menos resulta que o jogador Slimani tivesse como primeira intenção agredi-lo”.

Os regulamentos da FPF e da Liga “não definem o conteúdo e alcance do que se deve entender por  `agressão por jogador contra outro jogador`.


SLB-Marco

  • Eusébio
  • ******
  • Algarve, Portugal
  • Mensagens: 8167
  • "Let's do the Odyssey!"
  • 09 de Abril de 2016, 14:08
Para que conste, ontem saiu a decisão do CD sobre a agressão do Slimani ao Samaris no jogo da TP diputado em Novembro de 2015.

O ridículo dos termos do acórdão do CD que absolveu o Slimani da agressão


Os juízes consideraram que os árbitros não viram o lance e que por isso não poderiam ter agido, mas entendem, também, que “não resulta claro que o jogador Samaris se sentisse ofendido no seu corpo e saúde” e “muito menos resulta que o jogador Slimani tivesse como primeira intenção agredi-lo”.

Os regulamentos da FPF e da Liga “não definem o conteúdo e alcance do que se deve entender por  `agressão por jogador contra outro jogador`.

Malditos Lampinatti...

MALU15

  • Eusébio
  • ******
  • Mensagens: 14936
  • Em 2018/19 vamos começar de 1 até 5 ( PENTA )
  • 15 de Junho de 2016, 20:42

Mixfilipe

  • Sénior
  • ****
  • Mensagens: 1302
  • 15 de Junho de 2016, 20:54
Eu sei que não gostam da personagem, mas olhem o que ele teve acesso.

http://hugogil.pt/wp-content/uploads/2016/06/CartaAbertaaoSenhorPresidenteManuelSantosSerra.pdf

É escandaloso isto.

Mas a CS está nem aí...



Mas para quê? O que interessa são os Vouchers e estes irem ser julgados no TAS...agora isto e o PPC...nahhh não importa...

mblopes

  • Sénior
  • ****
  • Lisboa
  • Mensagens: 1148
  • 15 de Junho de 2016, 21:13
Farmácia Franco (Facebook)

daniel.gomes

  • Eusébio
  • ******
  • Lisboa
  • Mensagens: 46261
  • 15 de Junho de 2016, 22:53
Quem se lembrou de ir desenterrar esta merda?

MALU15

  • Eusébio
  • ******
  • Mensagens: 14936
  • Em 2018/19 vamos começar de 1 até 5 ( PENTA )
  • 17 de Junho de 2016, 23:29
EX-ELEMENTO DO CD ARRASA PROCESSO SLIMANI: «UM VERDADEIRO ESCÂNDALO»

Domingos Cordeiro votou vencido contra absolvição e agora fala em "deliberação política"

Domingos Cordeiro, conselheiro que fez parte do Conselho de Disciplina (CD) até ao passado dia 4 de junho, considera a decisão de primeira instância em absolver Islam Slimani no lance com Andreas Samaris no Sporting-Benfica da Taça de Portugal "um verdadeiro escândalo".
O advogado de Évora escreveu uma carta ao presidente do Conselho de Justiça (CJ), Manuel Santos Serra, já divulgada pela TSF, onde explica a sua versão sobre o processo, iniciado ainda em novembro do ano passado, após uma participação do Benfica contra o avançado argelino do Sporting, por uma alegada agressão a Samaris que terá passado despercebida ao árbitro Jorge Sousa.
Ora, a 8 de abril, quase cinco meses depois, a secção não-profissional do CD decidiu absolver Slimani, com seis votos a favor e um contra - precisamente o de Domingos Cordeiro, que escreveu, à mão, uma declaração de vencido.
Já este mês, na última reunião do anterior CJ, a decisão foi alterada e Slimani foi punido com um jogo de suspensão por "conduta violenta". Neste acórdão, é referido que a anterior decisão do CD tinha sido tomada por unanimidade, algo que não é verdade e que foi o motivo para a carta aberta de Domingos Cordeiro.
"A deliberação do CD, de 8/4/2016, é para mim, e penso que para a esmagadora maioria dos portugueses (...), um verdadeiro escândalo, e nesta medida, a referência à unanimidade, constante do acórdão do CJ, é insuportável", pode ler-se no documento.
Cordeiro, que foi deputado do PS entre 1995 e 1999, faz um resumo dos acontecimentos e conclui que se tratou de "uma deliberação política desportiva, determinada por 'atendismos'". E ataca Manuel Saraiva, vice-presidente do CD para a secção não-profissional, relator do acórdão. "A decisão proposta (...) é tudo menos uma decisão baseada na Lei e nos Regulamentos", considera.

Ao que foi possível saber, em várias conversas informais entre diferentes conselheiros, havia a convicção de que Slimani deveria ser punido por agressão. Por isso, a decisão de o absolver, tomada por por uma esmagadora maioria de 6 contra 1, acabou por revoltar Domingos Cordeiro.

O próprio recorda que, na primeira reunião do CD sobre o tema, ocorrida a 27 de novembro (seis dias após o jogo), houve dois conselheiros que votaram a favor de um processo sumário e que permitiria tomar uma decisão em duas semanas.

No entanto, "não foi essa a orientação defendida quer pela direção jurídica da FPF (impulsiona o procedimento disciplinar, conduz a instrução, acusa e elaboa o relatório final), quer pela maioria do CD", que era composto por quatro elementos eleitos pela lista de Fernando Gomes e mais três da lista de Carlos Marta, candidato derrotado nas eleições anteriores.

Domingos Cordeiro foi um dos conselheiros que não foram reconduzidos no último ato eleitoral da FPF. O próprio admite que o tal voto de vencido contra a absolvição de Slimani "viria a funcionar como causa próxima" para a sua não inclusão na lista candidata aos órgãos sociais de 2016 a 2020.

Contactado por Record, Domingos Cordeiro remeteu as explicações para a carta que tinha tornado pública.

Autor: Sérgio Krithinas


Finalmente o Record dá realce à carta sobre o SLIMANI