8459 - Tópico: As Finanças do Benfica  (Lida 2170765 vezes)

CitriC

  • Eusébio
  • ******
  • Mensagens: 6740
  • 35 já era, já só penso no 36. Juntos!
  • Sócio: 12925
  • Hoje às 07:10



Acho que não falta nenhum.
Faltam:
Hermes
Salvio
Taarabt
Simon Ramirez (eq.B)

Renovações de Jonas e Lindelof.
Só aparecem os contratos registados entre 1/04/2016 e 31/03/2017
Precisamente o período no qual, por exemplo, Jonas renovou com o Benfica.

Para mim a lista da fpf não está correcta/completa.

Theroux

  • Eusébio
  • ******
  • Mensagens: 59916
  • Quanto mais abril.
  • Hoje às 08:13



Acho que não falta nenhum.
Faltam:
Hermes
Salvio
Taarabt
Simon Ramirez (eq.B)

Renovações de Jonas e Lindelof.
Só aparecem os contratos registados entre 1/04/2016 e 31/03/2017
Precisamente o período no qual, por exemplo, Jonas renovou com o Benfica.

Para mim a lista da fpf não está correcta/completa.

A lista é mal feita, confunde mais do que esclarece. Se a fizeram, e bem, deviam especificar para onde foi o dinheiro.

Em teoria um clube pode pagar uma comissão de 4.9M€ por um cepo da Segunda Liga e 0.1M€ por dez internacionais, porque isso não é especificado. Além disso ninguém faz ideia como é dividido o dinheiro entre empresários, que devia ser o principal objectivo de uma lista de... comissões.

Uma mão cheia de nada, vintage futebol português.

Mats_Ture

  • Iniciado
  • *
  • Mensagens: 12
  • Hoje às 09:51
O problema no miolo e as nossas finanças (leitura longa)

A propósito das comissões (que impressionam mas que se percebem pelas vendas milionárias e sobretudo pelos chamados "custo zero") voltei aqui a ler com insistência que o Benfica podia ter comprado menos extremos ou avançados para comprar um 8 em condições. Eu percebo que este argumento seja tentador, mas não me parece que seja tão simples.

Olhemos para os médios centros titulares do Benfica, do Sporting e do Porto. E para aquilo que eles custam.

No Benfica, temos o Fejsa (um maquinão, mas que passa metade da época lesionado) e o Pizzi, que custou no total 14 milhões de euros. O suplente, Samaris, custou 10 milhões há 3 ou 4 anos. E ao que parece haverá quem dê hoje por ele até 20 milhões... Se forem 15, já será notável...

No Porto, têm Danilo, que foi aqui formado, e Oliver, que custou 20 milhões. Antes deles, tinham dado 20 milhões pelo Imbula... No Sporting são os dois formados em alcochete e nunca conseguiram arranjar alternativas noutros mercados... Lá fora, só para dar o exemplo mais flagrante, o Pogba custou 100 milhões...

Parece claro que o mercado dos médios centro é especial... Qualquer jogador de qualidade idêntica à do Pizzi e com o mínimo de experiência  vai custar mais de 20 milhões... e com um risco enorme, como se viu no caso do Imbula. Mais ainda porque ser patrão de um meio campo em 4x4x2 não é para todos... O Porto só deu 20 milhões pelo Oliver porque já sabia o que ele rendia no Porto. E, como parece óbvio, as melhores soluções têm vindo das formações.

Até por isso é também natural que se questione a venda apressada do Renato Sanches. Mas tenho sérias dúvidas de que se pudesse rejeitar um negócio de 35M + 20 ou 25... E se o Renato tivesse por cá uma época apagada como está a ter na Bundesliga? Nos mercados periféricos, como o nosso, é muito arriscado desperdiçar oportunidades... (Dito isto, não tenho dúvidas de que o Renato se vai tornar num médio de classe mundial).

E eu percebo o Rui Vitória e o LfV. Não sendo fácil encontrar uma alternativa válida no mercado a preços razoáveis, preferiram apostar inicialmente no Horta, sabendo que tinham ainda Pizzi e Danilo... Será que chegou? Foi curto, claro, mas deu para lutar até ao fim pelo tetra (e, se tudo correr com normalidade, conquistá-lo). Deu ainda para chegar à final da taça (e, se tudo correr bem, fazer a dobradinha). Deu ainda para ir pela segunda vez consecutiva aos oitavos de final da Champions, algo inédito. Tudo isto com mais uma dose industrial de lesões ao longo de toda a época.

E parece-me sobretudo que estamos numa fase de transição. Em 2 ou 3 anos, começaremos a resolver o problema do miolo de forma estrutural. Ainda que possa ir vendendo um ou outro craque todos os anos, e ainda que algum deles possa não vingar, o Benfica tem o futuro garantido para vários anos: João Carvalho, André Horta, Guga, Florentino, Gedson, Pedro Rodrigues... Estou a esquecer-me de alguém?

Isso significa que dar 50 milhões por Rafa, Jimenez e Pizzi foi um bom negócio? Não necessariamente. Talvez sim, talvez não. Mesmo que estivéssemos a falar estritamente em termos financeiros, prefiro fazer as contas na hora da saída. Por quanto vão ser vendidos?

E é por isso que começam a surgir notícias de o Pizzi ou Samaris saírem. Assim que começam a chegar aos 26, 27 anos, é hora de ver o retorno financeiro do investimento.

Um deles (ou até os dois) será vendido se houver propostas razoáveis e se o Vitória sentir que chega pôr o J.Carvalho e o A.Horta em concorrência.

Eu acredito que o próximo ano até pode ser ainda de transição, mas que já não faltará muito para que o meio campo do Benfica comece a dar 30-0 ao dos rivais.

Para quem, como eu, viveu as angústias desportivas e financeiras da década de 90 e do início do século, este crescimento incremental vale ouro.

O resto virá com o tempo se se continuar a apostar na formação desta forma, se continuarmos a trazer os Edersons, os Lindelofs e os Zivkovics (pagamos comissões, pois pagamos) e se aproveitarmos o dinheiro da televisão para abater a dívida de forma séria na próxima década.

T1n0_SLB

  • Eusébio
  • ******
  • Lisboa
  • Mensagens: 40701
  • Sócio: 207457
  • Hoje às 10:11
15M pelo Gil Dias, mais um extremo, jogador do Mendes . . .

alfredo

  • Eusébio
  • ******
  • frankfurt/ castanheira
  • Mensagens: 9315
  • http://benfica-portugal-shirts.blogspot.com
  • Hoje às 10:41
o Benfica tem este ano, uma oportunidade de ouro, DE OURO, de desalavancar financeiramente a sua estrutura de capital.

para o Benfica poder dar o salto em frente, hoje, é FUNDAMENTAL deixar de estar refém dos compromissos financeiros, ou seja, ter que pagar cerca de 20 milhões por ano a financiadores. isto é um risco ABSURDO! não faz sentido.

portanto, se o Benfica tiver financeiramente desafogado, tem outras força negocial e capacidade de retenção dos seus jogadores. não acredito que, se fosse hoje, o Cancelo ou o Bernardo tivessem saído pelos 15 milhões. agora, na altura da queda do BES, em que os juros eram bem mais altos, em que os bancos "cortaram a torneira", entendo que tenha sido necessário.

agora é importante que isso não volte a acontecer no futuro. e isso faz-se reduzindo SUBSTANCIALMENTE a nossa dívida financeira. é certo que este valor tem vindo a baixar, mas devemos ser mais ambiciosos e agressivos na sua redução.

o Benfica, este ano, já encaixou uma pequena fortuna, bem acima das necessidades operacionais. as vendas até ao momento permitiram angariar uns 60 milhões de euros (Guedes 30; Helder Costa 15; Sidnei 6; Nelson Oliveira 5; Bebe 1,5; Mukhtar 1,5; entre outros). temos as receitas da liga dos campeões, o estádio tem a melhor assistência média de sempre, o contrato televisivo vai render bem mais que nos anos anteriores, e vimos de um ano com resultados muito muito positivos.

portanto, existe alguma folga financeira. e não deve ser pequena. mas além disso, existem diversas situações capazes de nos dar bom dinheiro e que não implicam a deterioração da nossa capacidade competitiva.
Cristante (5 milhões), Marçal (6 ou 7 milhões), 50% Roderick (1 milhão), 50% Bruno Gaspar, 25% dos prémios do André Gomes.

além disso, há jogadores que podem ser vendidos e que não são indiscutiveis, podendo representar bastante dinheiro. jogadores como Salvio, Carrilo, Samaris ou Raul, por exemplo, podem representar uma verdadeira fortuna sem implicar a perda de titulares.

e por último, seguramente que vai sair alguma das "pérolas". entre Nelson Semedo, Ederson, Lindelof e Grimaldo (este menos provável), deve sair pelo menos um. e falamos de um valor substancial.

portanto, este podemos almejar a diminuição do passivo em cerca de 50 milhões de euros. seria algo extraordinário e um passo TREMENDO na nossa caminhada para um Benfica mais forte.
Acho que as tuas estimativas pecam por optimistas no valor que o Benfica encaixaria pela venda de excedentários mas a realidade cá estará por demonstrar.

Também acho que para atingirmos uma redução acentuada de passivo remunerado, não basta vender uma pérola. Deverão ser entre 2 a 3. Temos sempre que descontar partes de passe e comissões dos valores em bruto que realizamos nas vendas para perceber que parte cabe realmente ao Benfica que possa utilizar para fins próprios.

Agora, o investimento em contratações tem que ser reduzido. Com a qualidade actual da geração de 97, não faz sentido voltar a investir €50M em contratações, nem é algo sustentável para o montante e serviço de dívida que actualmente detemos. Devemos voltar para os "tradicionais" €30M de investimento.

Se o Benfica vender 3 das pérolas mas apostar em 2 ou 3 jogadores da geração de 97 para o plantel principal e investir de forma sustentada e equilibrada nas várias posicões (como um 8 que não fazemos desde o Witsel!) em vez de muitos milhões em muitos criativos, cá estarei para aplaudir a estratégia e política global seguida!

boas!
antes de mais, agradecer a boa resposta ;) infelizmente é cada vez mais comum que as respostas sejam agressivas, e pouco construtivas. portanto, óptimo!

em relação aos valores, não acho que esteja a ser demasiado conservador.
o Benfica acaba o ano passado com 30 milhões em caixa, com resultados muito positivos. ou seja, fica com dinheiro.

este ano, em Dezembro teve resultados positivos, e desde aí vendeu Guedes, Helder Costa e o Mukhtar. falamos de bastante dinheiro.

e nos jogadores que referi que poderiam ser vendidos, falamos de Talisca (não acredito que saia por menos de 15 milhões), Cristante (parece que a cláusula é de 6 milhões para a Atalanta), Marçal (não me parece despropositado 6 milhões pelo "melhor lateral esquerdo do campeonato"). mas há vários outros. por exemplo, Derley no México (temos conseguido colocar lá jogadores e a encaixar dinheiro), Diego na Turquia, temos 50% do Roderick (diz-se que já está vendido para França), temos 50% do Bruno Gaspar (se não o formos buscar, vai provavelmente para França também), temos 50% do Rebocho (o que não faltam são interessados), temos 25% de tudo o que o Valência receba da parte do Barcelona pelo André Gomes, temos os direitos de formação de jogadores que provavelmente vão ser transacionados por muito dinheiro (Bernardo Silva à cabeça, Cancelo).

e, como referes e bem, que provavelmente não haverá necessidade de investir nenhuma fortuna em contratações, creio que vai sobrar muito dinheiro. relembrar que 2016 foi um ano atípico nas contratações, porque tivemos que comprar partes dos passes do Raul, Jardel e Jonas, e o passe do Mitroglu que estava emprestado. para não falar dos custos de assinatura muito acima da média do Carrillo e do Zivkovic.

posto isto, e concordando contigo, acho que não haverão lugar a contratações muito dispendiosas. até porque parece que a ideia é cada vez mais apostar na formação e em miudos com potencial (fala-se no André Moreira e no Gil Dias).

e temos ainda jogadores que podem sair por bastante dinheiro (por exemplo, dizia-se que o Samaris tinha possibilidade de sair para Inglaterra; que o Seferovic vem para o lugar do Raul; o Salvio esteve com um pé e meio no Monaco).

portanto, analisando todo este cenário, creio que a ideia de sobrarem 30 ou 40 milhões não é despropositada. mesmo tendo em consideração, e também concordando contigo, a questão da partilha dos passes e comissões.

e claro, a cereja no topo do bolo para o DSO. vender o Nelson Semedo ou o Lindelof, por exemplo, representa um valor substancial, e que creio não implicar a aquisição de nenhum substituto.

ou seja, se realmente for estratégica a diminuição do passivo de uma forma substancial, é bem possível, e sem amputar a nossa competitividade. nem de perto nem de longe.

um grande abraço!

Li com bastante interesse a tua opinião.

Sim, concordo que este ano 2017 (até 31.12) é uma excelente oportunidade de recuperar grande parte dos nossos capitais próprios como o presidente disse e baixar a dívida financeira. Sobretudo se ganharmos o tetracampeonato, pois a pressão de sermos Pentacampeoes será sempre mais baixa do que termos que voltar a ser campeões.

De qualquer maneira o mais interessante é o facto termos encaixado já mais de 65M (25% da mais valia do André Gomes foi logo registada no 1 semestre) sem vendermos um único titular indiscutível. O Guedes foi o único que realmente dava um sério contributo à equipa rodando entre suplente e titular dependendo as lesões dos outros avançados.
Aqui é que está o segredo para podermos baixar o passivo, sem perdermos competitividade!

O Talisca é outro excelente activo, pois se tudo correr bem será vendido por mais umas dezenas de milhões de euros e que não fará falta nenhuma à nossa equipa, porque nem se quer faz parte do plantel!

O lost_paradise também não deixa de ter razão, em dizer que ja não é necessário investir tanto em pernas, contudo eu sinceramente não me recordo a última vez em que "apenas" investimos 30M em jogadores. Portanto Prevejo que o nível de investimento rondará os 50M ou mais , só que em vez de ser repartidos por muitos jogadores será concentrado em menos jogadores, adquirindo em teoria assim melhores jogadores e colmatando o resto com jogadores da formação.

O nível de investimento continuará alto porque parece-me que  a BSAD nao quererá baixar o seu passivo à custa do Activo.

Diria que os negócios já estarão mais ou menos alinhavados (como aconteceu com o Renato e Gaitán na época passada) e que a preparação da próxima época já começou há algo tempo o significará que realmente um miúdo da nossa formação sairá (diria o Lindelof) e mais um o outro jogador será vendido neste verão. Diria que um jogador será vendido antes do fim da época para melhorar ainda mais o resultado da época 16/17, e o restante para a época 17/18.
Apenas gostaria que desta vez os negócios fossem todos alinhavados no verão e que nenhum fique para Janeiro.

Já agora o mais importante é que o fosso entre SL Benfica e restantes aumentará. Porque se formos tetra, como todos desejamos, eles vão continuar a investir tudo o que têm e tudo o que não têm, de forma a tentarem recuperar o título de campeão.
Estou bastante curioso para saber o caso do Porto. Será que conseguirá ter lucros? Se sim quantos titulares serão vendidos? Será que chegará para cumprir com o FPF, que neste momento não cumprem? Onde irão buscar mais receitas para prepararem a próxima época? Etc...

Antes disto tudo o primeiro obstáculo chama-se Estoril.
Depois sim pensaremos no Rio Ave e por fim o Guimarães. Não estou a ver o Porto ganhar ao chaves e marítimo, mas se acontecer então temos ainda o Boavista onde o empate bastará e só depois pensaremos na final da taça de Portugal.
Por fim virá a parte económica que será bastante interessante a seguir de acordo com quem ficar no primeiro lugar e no 3 (acesso ao playoff da LC)


Cumps

obrigado por partilharem as vossas ideias e observacoes, e explicar o que pensais.
vejo nelas muita coisa boa, e espero que muito disso se torne realidade. eu tb concordo que a aposta na juventude devia ser cada vez maior e as contratacoes no mercado melhor pensadas.
no que tenho uma vista mais conservadora sao as prováveis vendas por montantes pressupostos por aqui. aguardaremos se jogadores como salvio e samaris saírem por esses valores.
mesmo assim há possibilidade de criar uma base para um futuro risonho e espero que os responsáveis tenham a qualidade es esperteza para melhorar as financas e nao perder da vista o mais importante: ter sucesso desportivo.

Pusgas

  • Júnior
  • ***
  • Mensagens: 880
  • Hoje às 11:07
O problema no miolo e as nossas finanças (leitura longa)

A propósito das comissões (que impressionam mas que se percebem pelas vendas milionárias e sobretudo pelos chamados "custo zero") voltei aqui a ler com insistência que o Benfica podia ter comprado menos extremos ou avançados para comprar um 8 em condições. Eu percebo que este argumento seja tentador, mas não me parece que seja tão simples.

Olhemos para os médios centros titulares do Benfica, do Sporting e do Porto. E para aquilo que eles custam.

No Benfica, temos o Fejsa (um maquinão, mas que passa metade da época lesionado) e o Pizzi, que custou no total 14 milhões de euros. O suplente, Samaris, custou 10 milhões há 3 ou 4 anos. E ao que parece haverá quem dê hoje por ele até 20 milhões... Se forem 15, já será notável...

No Porto, têm Danilo, que foi aqui formado, e Oliver, que custou 20 milhões. Antes deles, tinham dado 20 milhões pelo Imbula... No Sporting são os dois formados em alcochete e nunca conseguiram arranjar alternativas noutros mercados... Lá fora, só para dar o exemplo mais flagrante, o Pogba custou 100 milhões...

Parece claro que o mercado dos médios centro é especial... Qualquer jogador de qualidade idêntica à do Pizzi e com o mínimo de experiência  vai custar mais de 20 milhões... e com um risco enorme, como se viu no caso do Imbula. Mais ainda porque ser patrão de um meio campo em 4x4x2 não é para todos... O Porto só deu 20 milhões pelo Oliver porque já sabia o que ele rendia no Porto. E, como parece óbvio, as melhores soluções têm vindo das formações.

Até por isso é também natural que se questione a venda apressada do Renato Sanches. Mas tenho sérias dúvidas de que se pudesse rejeitar um negócio de 35M + 20 ou 25... E se o Renato tivesse por cá uma época apagada como está a ter na Bundesliga? Nos mercados periféricos, como o nosso, é muito arriscado desperdiçar oportunidades... (Dito isto, não tenho dúvidas de que o Renato se vai tornar num médio de classe mundial).

E eu percebo o Rui Vitória e o LfV. Não sendo fácil encontrar uma alternativa válida no mercado a preços razoáveis, preferiram apostar inicialmente no Horta, sabendo que tinham ainda Pizzi e Danilo... Será que chegou? Foi curto, claro, mas deu para lutar até ao fim pelo tetra (e, se tudo correr com normalidade, conquistá-lo). Deu ainda para chegar à final da taça (e, se tudo correr bem, fazer a dobradinha). Deu ainda para ir pela segunda vez consecutiva aos oitavos de final da Champions, algo inédito. Tudo isto com mais uma dose industrial de lesões ao longo de toda a época.

E parece-me sobretudo que estamos numa fase de transição. Em 2 ou 3 anos, começaremos a resolver o problema do miolo de forma estrutural. Ainda que possa ir vendendo um ou outro craque todos os anos, e ainda que algum deles possa não vingar, o Benfica tem o futuro garantido para vários anos: João Carvalho, André Horta, Guga, Florentino, Gedson, Pedro Rodrigues... Estou a esquecer-me de alguém?

Isso significa que dar 50 milhões por Rafa, Jimenez e Pizzi foi um bom negócio? Não necessariamente. Talvez sim, talvez não. Mesmo que estivéssemos a falar estritamente em termos financeiros, prefiro fazer as contas na hora da saída. Por quanto vão ser vendidos?

E é por isso que começam a surgir notícias de o Pizzi ou Samaris saírem. Assim que começam a chegar aos 26, 27 anos, é hora de ver o retorno financeiro do investimento.

Um deles (ou até os dois) será vendido se houver propostas razoáveis e se o Vitória sentir que chega pôr o J.Carvalho e o A.Horta em concorrência.

Eu acredito que o próximo ano até pode ser ainda de transição, mas que já não faltará muito para que o meio campo do Benfica comece a dar 30-0 ao dos rivais.

Para quem, como eu, viveu as angústias desportivas e financeiras da década de 90 e do início do século, este crescimento incremental vale ouro.

O resto virá com o tempo se se continuar a apostar na formação desta forma, se continuarmos a trazer os Edersons, os Lindelofs e os Zivkovics (pagamos comissões, pois pagamos) e se aproveitarmos o dinheiro da televisão para abater a dívida de forma séria na próxima década.

Leitura longa. Custa muito mais ler alguns posts de 3 linhas.

Para quem tem 12 mensagens, post muito interessante. Venham mais

VirtualKing

  • Eusébio
  • ******
  • Lisboa
  • Mensagens: 11011
  • Hoje às 11:39
O problema no miolo e as nossas finanças (leitura longa)

A propósito das comissões (que impressionam mas que se percebem pelas vendas milionárias e sobretudo pelos chamados "custo zero") voltei aqui a ler com insistência que o Benfica podia ter comprado menos extremos ou avançados para comprar um 8 em condições. Eu percebo que este argumento seja tentador, mas não me parece que seja tão simples.

Olhemos para os médios centros titulares do Benfica, do Sporting e do Porto. E para aquilo que eles custam.

No Benfica, temos o Fejsa (um maquinão, mas que passa metade da época lesionado) e o Pizzi, que custou no total 14 milhões de euros. O suplente, Samaris, custou 10 milhões há 3 ou 4 anos. E ao que parece haverá quem dê hoje por ele até 20 milhões... Se forem 15, já será notável...

No Porto, têm Danilo, que foi aqui formado, e Oliver, que custou 20 milhões. Antes deles, tinham dado 20 milhões pelo Imbula... No Sporting são os dois formados em alcochete e nunca conseguiram arranjar alternativas noutros mercados... Lá fora, só para dar o exemplo mais flagrante, o Pogba custou 100 milhões...

Parece claro que o mercado dos médios centro é especial... Qualquer jogador de qualidade idêntica à do Pizzi e com o mínimo de experiência  vai custar mais de 20 milhões... e com um risco enorme, como se viu no caso do Imbula. Mais ainda porque ser patrão de um meio campo em 4x4x2 não é para todos... O Porto só deu 20 milhões pelo Oliver porque já sabia o que ele rendia no Porto. E, como parece óbvio, as melhores soluções têm vindo das formações.

Até por isso é também natural que se questione a venda apressada do Renato Sanches. Mas tenho sérias dúvidas de que se pudesse rejeitar um negócio de 35M + 20 ou 25... E se o Renato tivesse por cá uma época apagada como está a ter na Bundesliga? Nos mercados periféricos, como o nosso, é muito arriscado desperdiçar oportunidades... (Dito isto, não tenho dúvidas de que o Renato se vai tornar num médio de classe mundial).

E eu percebo o Rui Vitória e o LfV. Não sendo fácil encontrar uma alternativa válida no mercado a preços razoáveis, preferiram apostar inicialmente no Horta, sabendo que tinham ainda Pizzi e Danilo... Será que chegou? Foi curto, claro, mas deu para lutar até ao fim pelo tetra (e, se tudo correr com normalidade, conquistá-lo). Deu ainda para chegar à final da taça (e, se tudo correr bem, fazer a dobradinha). Deu ainda para ir pela segunda vez consecutiva aos oitavos de final da Champions, algo inédito. Tudo isto com mais uma dose industrial de lesões ao longo de toda a época.

E parece-me sobretudo que estamos numa fase de transição. Em 2 ou 3 anos, começaremos a resolver o problema do miolo de forma estrutural. Ainda que possa ir vendendo um ou outro craque todos os anos, e ainda que algum deles possa não vingar, o Benfica tem o futuro garantido para vários anos: João Carvalho, André Horta, Guga, Florentino, Gedson, Pedro Rodrigues... Estou a esquecer-me de alguém?

Isso significa que dar 50 milhões por Rafa, Jimenez e Pizzi foi um bom negócio? Não necessariamente. Talvez sim, talvez não. Mesmo que estivéssemos a falar estritamente em termos financeiros, prefiro fazer as contas na hora da saída. Por quanto vão ser vendidos?

E é por isso que começam a surgir notícias de o Pizzi ou Samaris saírem. Assim que começam a chegar aos 26, 27 anos, é hora de ver o retorno financeiro do investimento.

Um deles (ou até os dois) será vendido se houver propostas razoáveis e se o Vitória sentir que chega pôr o J.Carvalho e o A.Horta em concorrência.

Eu acredito que o próximo ano até pode ser ainda de transição, mas que já não faltará muito para que o meio campo do Benfica comece a dar 30-0 ao dos rivais.

Para quem, como eu, viveu as angústias desportivas e financeiras da década de 90 e do início do século, este crescimento incremental vale ouro.

O resto virá com o tempo se se continuar a apostar na formação desta forma, se continuarmos a trazer os Edersons, os Lindelofs e os Zivkovics (pagamos comissões, pois pagamos) e se aproveitarmos o dinheiro da televisão para abater a dívida de forma séria na próxima década.
Análise muito interessante. Parece de facto haver actualmente um inflacionamento no preço dos médios-centro.

Squibidi

  • Sénior
  • ****
  • Mensagens: 2014
  • Hoje às 16:11
30M€ em comissões nao são nada, é só a Comunicação Social a querer dar destaque ás "dividas" do Benfica. Sinceramente, 30M€ em comissões demonstram poder económico e não "divida" como querem aparentar. Tivesse o Porto comprado Zivkovic, Carrillo e renovado com Ederson, Luisão, Lisandro Lopez, Lindelof, Jonas e Pizzi estariamos todos borrados e quando viessem os 30M€ dos Tripeiros olhariamos com outros olhos.

Estes 30M€ demonstram poder economico e negocial do Benfica, com empresas e agentes mundiais (Gestifute entre outras) e criam relações, tudo isto com perspetiva futura ... Ja viram os reforços do Porto e de onde eles vem? Eu digo-vos!

Felipe, Boly, Teixeira, Depoitre, Alex Telles e Zé Manuel ... Empresários independentes ou Agencias de merda! Só teve o Soares da Gestifute ...

Do Sporting nem procuro porque o poder e reputação são nulos.

Agora que falam em 30M€ em comissões eu pergunto, o Benfica paga 30M€ em comissões e há um destaque gigantesco, como se o Benfica falisse por isso ... onde está o destaque ás dividas do Porto?

Esconderam os 20M€ por 85% do Oliver á CMVM durante meses, não conseguiram "tapar" o buraco com os prémios da próxima época da Champions, não apresentaram a contratação do Soares e ainda os dois imcumprimentos do FC.Porto do Fair-Play financeiro? Para que saibam, Partizan e Galatasaray foram excluidos das competições europeias por 2x imcumprimentos.

30M€? Que venham outros 30M€ se tivermos outro Ederson, Grimaldo, Lindelof, Zivkovic, Carrillo, Rafa, Felipe Augusto quando estes sairem ... O Benfica com as suas relações com os melhores agentes e empresas do mundo garantiu prodigios do futebol, nao temos cá Zé Maneis ...

E para que conste, o Benfica consegue vender jogadores por valores astronómicos (Sanches, Guedes etc) para os melhores clubes do mundo ... Para que clubes e valores vende o Porto/Sporting?

"William e Adrien só por 80M€!" ; "Recusei 80M€ pelo Slimani" ; "Real Madrid pergunta por André Silva"

Fodam-se os dragartos (Postei isto no sitio errado antes :| )

Grande

  • Velha Glória
  • *****
  • Mensagens: 5010
  • Hoje às 16:19



Acho que não falta nenhum.
Faltam:
Hermes
Salvio
Taarabt
Simon Ramirez (eq.B)

Renovações de Jonas e Lindelof.
Só aparecem os contratos registados entre 1/04/2016 e 31/03/2017
Precisamente o período no qual, por exemplo, Jonas renovou com o Benfica.

Para mim a lista da fpf não está correcta/completa.

O contrato do Jonas deve ser de extensão logo só deve entrar em vigor quando o actual acabar.
Tal como o do Luisão.

Por isso é possível que ainda não tenham dado entrada na Federação.

bruno cardoso

  • Eusébio
  • ******
  • Mensagens: 29356
  • C.F.C=A um futuro brilhante.
  • Hoje às 20:53
O problema no miolo e as nossas finanças (leitura longa)

A propósito das comissões (que impressionam mas que se percebem pelas vendas milionárias e sobretudo pelos chamados "custo zero") voltei aqui a ler com insistência que o Benfica podia ter comprado menos extremos ou avançados para comprar um 8 em condições. Eu percebo que este argumento seja tentador, mas não me parece que seja tão simples.

Olhemos para os médios centros titulares do Benfica, do Sporting e do Porto. E para aquilo que eles custam.

No Benfica, temos o Fejsa (um maquinão, mas que passa metade da época lesionado) e o Pizzi, que custou no total 14 milhões de euros. O suplente, Samaris, custou 10 milhões há 3 ou 4 anos. E ao que parece haverá quem dê hoje por ele até 20 milhões... Se forem 15, já será notável...

No Porto, têm Danilo, que foi aqui formado, e Oliver, que custou 20 milhões. Antes deles, tinham dado 20 milhões pelo Imbula... No Sporting são os dois formados em alcochete e nunca conseguiram arranjar alternativas noutros mercados... Lá fora, só para dar o exemplo mais flagrante, o Pogba custou 100 milhões...

Parece claro que o mercado dos médios centro é especial... Qualquer jogador de qualidade idêntica à do Pizzi e com o mínimo de experiência  vai custar mais de 20 milhões... e com um risco enorme, como se viu no caso do Imbula. Mais ainda porque ser patrão de um meio campo em 4x4x2 não é para todos... O Porto só deu 20 milhões pelo Oliver porque já sabia o que ele rendia no Porto. E, como parece óbvio, as melhores soluções têm vindo das formações.

Até por isso é também natural que se questione a venda apressada do Renato Sanches. Mas tenho sérias dúvidas de que se pudesse rejeitar um negócio de 35M + 20 ou 25... E se o Renato tivesse por cá uma época apagada como está a ter na Bundesliga? Nos mercados periféricos, como o nosso, é muito arriscado desperdiçar oportunidades... (Dito isto, não tenho dúvidas de que o Renato se vai tornar num médio de classe mundial).

E eu percebo o Rui Vitória e o LfV. Não sendo fácil encontrar uma alternativa válida no mercado a preços razoáveis, preferiram apostar inicialmente no Horta, sabendo que tinham ainda Pizzi e Danilo... Será que chegou? Foi curto, claro, mas deu para lutar até ao fim pelo tetra (e, se tudo correr com normalidade, conquistá-lo). Deu ainda para chegar à final da taça (e, se tudo correr bem, fazer a dobradinha). Deu ainda para ir pela segunda vez consecutiva aos oitavos de final da Champions, algo inédito. Tudo isto com mais uma dose industrial de lesões ao longo de toda a época.

E parece-me sobretudo que estamos numa fase de transição. Em 2 ou 3 anos, começaremos a resolver o problema do miolo de forma estrutural. Ainda que possa ir vendendo um ou outro craque todos os anos, e ainda que algum deles possa não vingar, o Benfica tem o futuro garantido para vários anos: João Carvalho, André Horta, Guga, Florentino, Gedson, Pedro Rodrigues... Estou a esquecer-me de alguém?

Isso significa que dar 50 milhões por Rafa, Jimenez e Pizzi foi um bom negócio? Não necessariamente. Talvez sim, talvez não. Mesmo que estivéssemos a falar estritamente em termos financeiros, prefiro fazer as contas na hora da saída. Por quanto vão ser vendidos?

E é por isso que começam a surgir notícias de o Pizzi ou Samaris saírem. Assim que começam a chegar aos 26, 27 anos, é hora de ver o retorno financeiro do investimento.

Um deles (ou até os dois) será vendido se houver propostas razoáveis e se o Vitória sentir que chega pôr o J.Carvalho e o A.Horta em concorrência.

Eu acredito que o próximo ano até pode ser ainda de transição, mas que já não faltará muito para que o meio campo do Benfica comece a dar 30-0 ao dos rivais.

Para quem, como eu, viveu as angústias desportivas e financeiras da década de 90 e do início do século, este crescimento incremental vale ouro.

O resto virá com o tempo se se continuar a apostar na formação desta forma, se continuarmos a trazer os Edersons, os Lindelofs e os Zivkovics (pagamos comissões, pois pagamos) e se aproveitarmos o dinheiro da televisão para abater a dívida de forma séria na próxima década.
Excelente leitura.Gostei muito, espero que continues a escrever as tuas visoes do que e a politica do Benfica.

Continua o bom trabalho  :metal:

bruno cardoso

  • Eusébio
  • ******
  • Mensagens: 29356
  • C.F.C=A um futuro brilhante.
  • Hoje às 20:55
30M€ em comissões nao são nada, é só a Comunicação Social a querer dar destaque ás "dividas" do Benfica. Sinceramente, 30M€ em comissões demonstram poder económico e não "divida" como querem aparentar. Tivesse o Porto comprado Zivkovic, Carrillo e renovado com Ederson, Luisão, Lisandro Lopez, Lindelof, Jonas e Pizzi estariamos todos borrados e quando viessem os 30M€ dos Tripeiros olhariamos com outros olhos.

Estes 30M€ demonstram poder economico e negocial do Benfica, com empresas e agentes mundiais (Gestifute entre outras) e criam relações, tudo isto com perspetiva futura ... Ja viram os reforços do Porto e de onde eles vem? Eu digo-vos!

Felipe, Boly, Teixeira, Depoitre, Alex Telles e Zé Manuel ... Empresários independentes ou Agencias de merda! Só teve o Soares da Gestifute ...

Do Sporting nem procuro porque o poder e reputação são nulos.

Agora que falam em 30M€ em comissões eu pergunto, o Benfica paga 30M€ em comissões e há um destaque gigantesco, como se o Benfica falisse por isso ... onde está o destaque ás dividas do Porto?

Esconderam os 20M€ por 85% do Oliver á CMVM durante meses, não conseguiram "tapar" o buraco com os prémios da próxima época da Champions, não apresentaram a contratação do Soares e ainda os dois imcumprimentos do FC.Porto do Fair-Play financeiro? Para que saibam, Partizan e Galatasaray foram excluidos das competições europeias por 2x imcumprimentos.

30M€? Que venham outros 30M€ se tivermos outro Ederson, Grimaldo, Lindelof, Zivkovic, Carrillo, Rafa, Felipe Augusto quando estes sairem ... O Benfica com as suas relações com os melhores agentes e empresas do mundo garantiu prodigios do futebol, nao temos cá Zé Maneis ...

E para que conste, o Benfica consegue vender jogadores por valores astronómicos (Sanches, Guedes etc) para os melhores clubes do mundo ... Para que clubes e valores vende o Porto/Sporting?

"William e Adrien só por 80M€!" ; "Recusei 80M€ pelo Slimani" ; "Real Madrid pergunta por André Silva"

Fodam-se os dragartos (Postei isto no sitio errado antes :| )
Ja tinhas visto alguma vez ser tornado publico estas listas????