68922 - Tópico: Elite Cup 2022 - SL Benfica finalista vencido  (Lida 23217 vezes)

20Nico Gaitan20

  • Eusébio
  • ******
  • Porto
  • Mensagens: 101358
  • Ser do Benfica é algo que nao se explica sente-se
  • 06 de Setembro de 2022, 10:55
Que bananas.

Custava muito abandonarem o campo?

Em uma competição de merda?

Pelo menos passavam a mensagem.


Terem voltado só fizemos foi figura de bananas.

lancadordedois

  • Eusébio
  • ******
  • Mensagens: 16633
  • 1904
  • 06 de Setembro de 2022, 11:02
Que bananas.

Custava muito abandonarem o campo?

Em uma competição de merda?

Pelo menos passavam a mensagem.


Terem voltado só fizemos foi figura de bananas.

isso mesmo

twixslb

  • Juvenil
  • **
  • Mensagens: 326
  • 06 de Setembro de 2022, 21:58
Já se sabia que o Pedro Figueiredo é o maior filho da puta no hóquei nacional. Já passou, e de muito longe, o Joaquim Pinto, Pedro Silva e resto da tropa. É o mais descarado de todos. Os Andrades com ele ganham......sempre. lol..mas nós metemos nojo. Com o mais extenso e mais completo plantel do mundo.....e não jogamos um caralho. Deprimente. O Roca e o Roberto ainda foram dos melhores. Mas estou a ficar farto, esgotado, saturado de desculpas 3 queixas. Eles jogam muito mais do que nós. Vou a Barcelos à Supertaça Sábado...mas estou farto destes gajos. O Nuno Resende é um desastre. Que me calem no Sábado. Ganhem alguma vergonha na cara..
sabes me dizer se em Barcelos há bilhetes á venda ?

J.P.

  • Eusébio
  • ******
  • Mensagens: 19200
  • E Pluribus Unum
  • 07 de Setembro de 2022, 09:54
O impasse no intervalo da Elite Cup

Houve a hipótese do Benfica não regressar para a segunda parte na final da Elite Cup. E, no longo impasse, os árbitros - que, antes, até podem ter incorrido num erro técnico - deveriam ter mesmo declarado o abandono das águias. #EliteCup #Regras


Foram mais de duas horas de Hóquei em Patins. Bem, mais de duas horas de forma genérica, com 50 minutos de jogo e quase 20 minutos de intervalo. Os outros 55 minutos foram de paragem de jogo, mormente para revisão de lances pelos árbitros Pedro Figueiredo e Rui Leitão, no estreante Sistema de Revisão de Vídeo.

A primeira parte demorou uma hora e 12 minutos até que a dupla de arbitragem deu como terminada a primeira parte. O Benfica demorou mais de 18 minutos a regressar, começando a etapa complementar já mais de 19 minutos para lá do apito (definitivo) para o descanso.

Temeu-se o abandono das águias. Na pista, vários jogadores do Porto já davam como certo que o adversário não regressaria. "Nós pensávamos que eram cinco minutos que tinham para chegar à segunda parte e, passado os cinco minutos, como não apareciam, que não vinham a jogo. Mas eu não quero acreditar que o Benfica, como clube tão grande que é, com a enorme estrutura que tem, fosse fazer isso", afirmaria Gonçalo Alves no final da partida. "Porque isso é manchar o Hóquei em Patins", opinou. E os jogadores do Benfica terão concordado.

Ao intervalo, Fernando Tavares, vice-presidente para as modalidades do Benfica, deixou a bancada do Municipal Cidade de Tomar e, no balneário, terá mesmo sido colocada a hipótese de abandono da partida. Mas os jogadores quiseram ir a jogo. Com um intervalo longo, faltaria no entanto foco para a etapa complementar, e os encarnados - a perder por 3-1 no final da primeira parte - já não conseguiriam evitar a derrota e a perda do troféu.

Na conferência de imprensa, questionado, Nuno Resende não confirmou que a hipótese de abandono tivesse estado na mesa. Mas, no silêncio a que se remeteu, também não a desmentiu...

ÁRBITROS AGUARDARAM

Ainda que os jogadores tivessem querido regressar a pista para terminar a partida, tal acabaria por só ser possível pela complacência dos árbitros.

À luz das regras, no artigo 35º ("Falta de comparência – abandono do jogo"), pode ler-se no ponto 3 que "no que diz respeito ao intervalo de um jogo, qualquer equipa tem uma margem de cinco (5) minutos adicionais para comparecer em pista em condições de continuar o jogo", confirmando-se a afirmação de Gonçalo Alves.

Ora, as águias, para lá dos 10 minutos de intervalo, demoraram mais oito a regressar. E o que se pode ler na alínea "a" do mesmo ponto 3 é que "uma vez esgotada a margem de cinco (5) minutos e qualquer uma das equipas não estar em pista ou não estiver presente com o número mínimo de jogadores para que se possa iniciar o jogo, os Árbitros Principais têm de dar por concluído o jogo, devido ao abandono do mesmo pela equipa em questão".

MOTIVO PARA PROTESTO?

Os protestos dos encarnados foram particularmente incisivos na "reversão" que anulou o 2-2, logrado por Carlos Nicolía de grande penalidade. Lance em que os árbitros podem ter incorrido num erro técnico que teria mais viabilidade para ser aceite do que o erro apontado na final da Taça de Portugal que, como se esperava, foi declarado improcedente.

No momento mais badalado - e de maior paragem - da primeira parte, com o resultado em 2-1 para o Porto, o Benfica "ganha" uma grande penalidade no SRV por falta de Reinaldo Garcia sobre o compatriota Pablo Álvarez. Nicolía bate o castigo máximo e Malián defende. Mas o contestado Pedro Figueiredo manda repetir, por, alegadamente, o guardião dos dragões se ter mexido antes de Nicolía tocar na bola.

Numa análise frame a frame, dificilmente não haverá movimento de um guarda-redes antes da marcação de uma grande penalidade. Noutra Elite Cup, em 2019, foi testado o movimento ao apito, com rasgados elogios de todos, mas não vingou.

Malián reclamou de imediato a ordem de repetição, mas, estrategicamente, a equipa técnica dos dragões aguardou pelo segundo remate. Nicolía marcou e avançou o pedido de revisão, supostamente baseado na reclamação anterior de Malián. No vídeo, é detectado que o guarda-redes do Porto não terá razão (até porque, ao milésimo de segundo, é praticamente inevitável que o guarda-redes se mexa), mas o golo é anulado e o jogo é retomado na área contrária. Alegadamente - porque uma das pechas do SRV foi a obscuridade do pedido e da análise para quase todos os agentes no pavilhão - por Gonçalo Pinto ter "saído" antes do tempo.

E é nesta análise alternativa que pode residir o erro técnico que fundamentaria um protesto, que só avançaria se tivesse sido apresentado durante a partida.

Pelo protocolo SRV divulgado para esta Elite Cup, os árbitros só deveriam rever o lance pedido pela equipa - o movimento de Maliàn? - ou, por sua decisão, apenas situações de linha de golo ou de conflito.

No caso de protesto, estaria certamente mais perto de ser aceite do que o erro em que se baseou o protesto dos encarnados na final da Taça de Portugal.

CONTESTAÇÃO

De regresso para a segunda parte, as águias acabaria por reagir publicamente à arbitragem através da sua newsletter diária, com críticas à arbitragem e, em particular, a Pedro Figueiredo.

A tomada de uma posição de força, como seria o abandono, aconteceu em 2017 com a ausência na Final Four da Taça de Portugal, que se realizaria em Gondomar. Foi depois de uma "célebre" derradeira jornada em que o empate do Benfica em Alverca, frente ao Sporting e com um golo não validado nos últimos instante, valeu o título de campeão nacional ao Porto.

"Já aconteceu uma vez e é passado, não vale a pena estar a falar disso. E espero que eles para a semana estejam na Supertaça, porque o Hóquei tem que ser jogado dentro da pista", afirmou agora Gonçalo Alves quando questionado sobre algum receio do Benfica voltar a não comparecer.

Em 2017, a falta de comparência, acabou por ser um acto isolado. Marca no tempo a viragem de um Benfica vencedor, campeão em 2015 e 2016, para uma "seca" de títulos que já vai longa. Em provas oficiais nacionais, o Benfica só voltaria a vencer - em seis anos - a única edição realizada da Taça 1947, em Dezembro de 2020.

https://hoqueipt.com/artigo.aspx?id=6196

antiporcos

  • Sénior
  • ****
  • Mensagens: 1995
  • 07 de Setembro de 2022, 10:09
Os responsáveis do Benfica nao percebem que reclamar é um registo que serve para servir de arma de arremesso.

É bom ter razão nas reclamações mas não é só para isso que elas servem. Também servem para constituir um histórico de prejuízos deliberados.

O desporto em Portugal funciona na base do lamento e da reclamação constantes para coagir, influenciar, condicionar as decisões dos agentes desportivos. Tem que se estar sempre em alta rotação a marcar a agenda com benefícios de outros e prejuízos nossos. Todas as declarações dos responsáveis do clube têm que ir nesse sentido, sempre.

Os responsáveis do Benfica comportam-se como se vivêssemos numa paz sueca ou norueguesa. Não percebo porque no nosso clube se insiste em negar a realidade e em todas as modalidades, nem é só aqui.

Há mais de 40 anos que deixou de valer a pena ser magnânime. Ou o Benfica acorda para a luta que tem de fazer ou será cada vez mais irrelevante no panorama dos títulos destas modalidades.

lancadordedois

  • Eusébio
  • ******
  • Mensagens: 16633
  • 1904
  • 07 de Setembro de 2022, 10:20
O impasse no intervalo da Elite Cup

Houve a hipótese do Benfica não regressar para a segunda parte na final da Elite Cup. E, no longo impasse, os árbitros - que, antes, até podem ter incorrido num erro técnico - deveriam ter mesmo declarado o abandono das águias. #EliteCup #Regras


Foram mais de duas horas de Hóquei em Patins. Bem, mais de duas horas de forma genérica, com 50 minutos de jogo e quase 20 minutos de intervalo. Os outros 55 minutos foram de paragem de jogo, mormente para revisão de lances pelos árbitros Pedro Figueiredo e Rui Leitão, no estreante Sistema de Revisão de Vídeo.

A primeira parte demorou uma hora e 12 minutos até que a dupla de arbitragem deu como terminada a primeira parte. O Benfica demorou mais de 18 minutos a regressar, começando a etapa complementar já mais de 19 minutos para lá do apito (definitivo) para o descanso.

Temeu-se o abandono das águias. Na pista, vários jogadores do Porto já davam como certo que o adversário não regressaria. "Nós pensávamos que eram cinco minutos que tinham para chegar à segunda parte e, passado os cinco minutos, como não apareciam, que não vinham a jogo. Mas eu não quero acreditar que o Benfica, como clube tão grande que é, com a enorme estrutura que tem, fosse fazer isso", afirmaria Gonçalo Alves no final da partida. "Porque isso é manchar o Hóquei em Patins", opinou. E os jogadores do Benfica terão concordado.

Ao intervalo, Fernando Tavares, vice-presidente para as modalidades do Benfica, deixou a bancada do Municipal Cidade de Tomar e, no balneário, terá mesmo sido colocada a hipótese de abandono da partida. Mas os jogadores quiseram ir a jogo. Com um intervalo longo, faltaria no entanto foco para a etapa complementar, e os encarnados - a perder por 3-1 no final da primeira parte - já não conseguiriam evitar a derrota e a perda do troféu.

Na conferência de imprensa, questionado, Nuno Resende não confirmou que a hipótese de abandono tivesse estado na mesa. Mas, no silêncio a que se remeteu, também não a desmentiu...

ÁRBITROS AGUARDARAM

Ainda que os jogadores tivessem querido regressar a pista para terminar a partida, tal acabaria por só ser possível pela complacência dos árbitros.

À luz das regras, no artigo 35º ("Falta de comparência – abandono do jogo"), pode ler-se no ponto 3 que "no que diz respeito ao intervalo de um jogo, qualquer equipa tem uma margem de cinco (5) minutos adicionais para comparecer em pista em condições de continuar o jogo", confirmando-se a afirmação de Gonçalo Alves.

Ora, as águias, para lá dos 10 minutos de intervalo, demoraram mais oito a regressar. E o que se pode ler na alínea "a" do mesmo ponto 3 é que "uma vez esgotada a margem de cinco (5) minutos e qualquer uma das equipas não estar em pista ou não estiver presente com o número mínimo de jogadores para que se possa iniciar o jogo, os Árbitros Principais têm de dar por concluído o jogo, devido ao abandono do mesmo pela equipa em questão".

MOTIVO PARA PROTESTO?

Os protestos dos encarnados foram particularmente incisivos na "reversão" que anulou o 2-2, logrado por Carlos Nicolía de grande penalidade. Lance em que os árbitros podem ter incorrido num erro técnico que teria mais viabilidade para ser aceite do que o erro apontado na final da Taça de Portugal que, como se esperava, foi declarado improcedente.

No momento mais badalado - e de maior paragem - da primeira parte, com o resultado em 2-1 para o Porto, o Benfica "ganha" uma grande penalidade no SRV por falta de Reinaldo Garcia sobre o compatriota Pablo Álvarez. Nicolía bate o castigo máximo e Malián defende. Mas o contestado Pedro Figueiredo manda repetir, por, alegadamente, o guardião dos dragões se ter mexido antes de Nicolía tocar na bola.

Numa análise frame a frame, dificilmente não haverá movimento de um guarda-redes antes da marcação de uma grande penalidade. Noutra Elite Cup, em 2019, foi testado o movimento ao apito, com rasgados elogios de todos, mas não vingou.

Malián reclamou de imediato a ordem de repetição, mas, estrategicamente, a equipa técnica dos dragões aguardou pelo segundo remate. Nicolía marcou e avançou o pedido de revisão, supostamente baseado na reclamação anterior de Malián. No vídeo, é detectado que o guarda-redes do Porto não terá razão (até porque, ao milésimo de segundo, é praticamente inevitável que o guarda-redes se mexa), mas o golo é anulado e o jogo é retomado na área contrária. Alegadamente - porque uma das pechas do SRV foi a obscuridade do pedido e da análise para quase todos os agentes no pavilhão - por Gonçalo Pinto ter "saído" antes do tempo.

E é nesta análise alternativa que pode residir o erro técnico que fundamentaria um protesto, que só avançaria se tivesse sido apresentado durante a partida.

Pelo protocolo SRV divulgado para esta Elite Cup, os árbitros só deveriam rever o lance pedido pela equipa - o movimento de Maliàn? - ou, por sua decisão, apenas situações de linha de golo ou de conflito.

No caso de protesto, estaria certamente mais perto de ser aceite do que o erro em que se baseou o protesto dos encarnados na final da Taça de Portugal.

CONTESTAÇÃO

De regresso para a segunda parte, as águias acabaria por reagir publicamente à arbitragem através da sua newsletter diária, com críticas à arbitragem e, em particular, a Pedro Figueiredo.

A tomada de uma posição de força, como seria o abandono, aconteceu em 2017 com a ausência na Final Four da Taça de Portugal, que se realizaria em Gondomar. Foi depois de uma "célebre" derradeira jornada em que o empate do Benfica em Alverca, frente ao Sporting e com um golo não validado nos últimos instante, valeu o título de campeão nacional ao Porto.

"Já aconteceu uma vez e é passado, não vale a pena estar a falar disso. E espero que eles para a semana estejam na Supertaça, porque o Hóquei tem que ser jogado dentro da pista", afirmou agora Gonçalo Alves quando questionado sobre algum receio do Benfica voltar a não comparecer.

Em 2017, a falta de comparência, acabou por ser um acto isolado. Marca no tempo a viragem de um Benfica vencedor, campeão em 2015 e 2016, para uma "seca" de títulos que já vai longa. Em provas oficiais nacionais, o Benfica só voltaria a vencer - em seis anos - a única edição realizada da Taça 1947, em Dezembro de 2020.

https://hoqueipt.com/artigo.aspx?id=6196

que mete nojo do gonçalo alves , cinico e cabraozinho , merece todo o enxovalhamento possivel em nossa casa .

TeamRocket37

  • Eusébio
  • ******
  • Mensagens: 55730
  • Team Rocket à velocidade da luz vai atacar!!!
  • 07 de Setembro de 2022, 10:23
O que retiro da notícia do HóqueiPt é que nem os árbitros nem os dirigentes do Benfica sabem as regras.

lancadordedois

  • Eusébio
  • ******
  • Mensagens: 16633
  • 1904
  • 07 de Setembro de 2022, 10:28
O que retiro da notícia do HóqueiPt é que nem os árbitros nem os dirigentes do Benfica sabem as regras.

e os do focul sabem ou mandam é o barro a parede para ver se cola?

tvelas

  • Iniciado
  • *
  • Norte
  • Mensagens: 97
  • E Pluribus Unum
  • 07 de Setembro de 2022, 13:23
Já se sabia que o Pedro Figueiredo é o maior filho da puta no hóquei nacional. Já passou, e de muito longe, o Joaquim Pinto, Pedro Silva e resto da tropa. É o mais descarado de todos. Os Andrades com ele ganham......sempre. lol..mas nós metemos nojo. Com o mais extenso e mais completo plantel do mundo.....e não jogamos um caralho. Deprimente. O Roca e o Roberto ainda foram dos melhores. Mas estou a ficar farto, esgotado, saturado de desculpas 3 queixas. Eles jogam muito mais do que nós. Vou a Barcelos à Supertaça Sábado...mas estou farto destes gajos. O Nuno Resende é um desastre. Que me calem no Sábado. Ganhem alguma vergonha na cara..
sabes me dizer se em Barcelos há bilhetes á venda ?

No dia não sei se terá, mas o Benfica esta a vender bilhetes através do Site até amanhã às 15h.

tvelas

  • Iniciado
  • *
  • Norte
  • Mensagens: 97
  • E Pluribus Unum
  • 07 de Setembro de 2022, 13:25
Malta, alguém daqui vai a Barcelos à Supertaça no Sábado ?