Passado > Memórias

Benfica história VII - década de 70 ( Benfica contemporâneo )

(1/7) > >>

Bleach:
A consolidação de um grande clube

Benfica contemporâneo: A década de 70

A crise europeia e nacional dos princípios dos anos 70 afectou, também, de certo modo, o Benfica. o Clube viveu alguns apertos financeiros, teve de adiar investimentos desportivos e sentiu maiores dificuldades no recrutamento de futebolistas, designadamente por se ter perdido o potencial humano fornecido pelos antigos territórios ultramarinos. O Benfica manteve, todavia, a sua superioridade no futebol nacional, quer em número de títulos, quer continuando a conservar a tradição de contribuir com o maior número de jogadores para as selecções das várias modalidades. Sucedem-se notáveis gerações de futebolistas, desde a de Humberto Coelho, Toni, Néné, V. Martins, V. Batista, Artur, Jordão, Bento, Shéu, Bastos Lopes, Chalana e Alves, à de José Luís, Pietra, Carlos Manuel, Diamantino, Veloso e Álvaro. Em termos desportivos, o início dos anos 70 significou a continuação do domínio iniciado na década anterior.

No Portugal-Brasil disputado em 09/07/1972, no Maracanã, alinharam 11 futebolistas do Benfica. Em 1972/73, o Clube realizou o melhor campeonato nacional da história da competição, com "records" que ainda hoje se mantêm. O Benfica venceu a prova pela 20ª vez em 39 edições, a 7 jornadas do fim. Chegou ao final invicto, com 28 vitórias e 2 empates, em 30 jogos, com 107 golos marcados e apenas 17 golos sofridos, deixando o Belenenses em 2º, a 18 pontos, o V.Setúbal em 3º, a 20 pontos, e os 4ºs , FC Porto e Sporting, a 21 pontos. Em 1977, o Benfica conquistou o 23º título, em 42 edições. Chegava, então, ao fim a era iniciada em 1962/63, em que o Clube conseguira vencer 12 títulos (e 3 vice-campeonatos) em 15 anos.

Na década de 70, o Clube somou mais 2 "tris" no Nacional (71/72/73 e 75/76/77), a que juntou ainda a Taça de Portugal de 1972 e de 1980. Merecem igualmente destaque na década de 70 as presidências de Borges Coutinho (inaugura a Pista sintética para atletismo em 1974) e de J. Ferreira Queimado, em cuja gerência (1978) é construída a Piscina e o Pavilhão Polivalente, inaugurado em 1982. Em 1978, as dificuldades em suportar financeiramente modalidades profissionalizadas leva o Clube a abandonar definitivamente a prática do Ciclismo. Ainda neste ano, é aprovada, em Assembleia Geral, a possibilidade do Clube contratar jogadores estrangeiros.

Em 1980, o Benfica começa a praticar Corridas em Patins, conseguindo desde logo um título de Campeão Nacional. Durante a década venceria vários Campeonatos Nacionais: 1 em Basquetebol, 1 em Râguebi, 1 em Ténis, 2 em Bilhar, 3 em Atletismo, 4 em Hóquei em Patins e 6 em Ténis de Mesa, entre outros. Conquistou vitórias individuais nas Voltas a Portugal em Bicicleta de 1974, com Fernando Mendes, e na de 1976, com Firmino Bernardino. Na Volta de 1974 venceu também colectivamente.

retirado do site oficial do SLB

Bakero:
Fazendo o mesmo que fiz para a década de 60, colocando os factos mais importantes do Benfica no futebol, época a época, verificamos que continuamos a dominar o futebol tuga, exceputando os últimos 3 anos...apenas a nível europeu, o clube não teve o mesmo brilho da década de 60...

Em 70/71, o Benfica foi campeão nacional
Em 71/72, ano de dobradinha
Em 72/73, campeões invictos
Em 73/74, nada a assinalar
Em 74/75, campeões nacionais
Em 75/76, o bicampeonato
Em 76/77, o tricampeonato
Em 77/78, o Benfica termina o campeonato invicto, mas perdeu para o FCPorto por diferença de golos...
Em 78/79, novamente o título perdido para o FCPorto por 1 ponto...
Em 79/80, o Benfica conquista a Taça de Portugal

Bleach:
exelente , assim temos o resumo como deve ser de cada década :)

Marksilva:
entao e o resumo da decada de 40,50 e 90 nao puses-te

Rodolfo Dias:


Fonte: "Diário de Lisboa" de 17 de Janeiro de 1977

Navegação

[0] Índice de mensagens

[#] Página seguinte

Ir para versão completa
Sitemap