Country
Portugal

Ramalho

Nome completo
Armando Ramalho Correia de Almeida
Número
1
Data de nascimento
1938-06-15
Periodo no Benfica

1961 - 1962

Estatísticas

Jogos Minutos Cartões Amarelos Cartões vermelhos Golos
Total 3 270 0 0 0
Seniores > 1961/1962 > SL Benfica 2 180 0 0 0
 
Taça de Portugal 2 181 0 0 0
Seniores > 1960/1961 > SL Benfica 1 90 0 0 0
 
Taça de Portugal 1 91 0 0 0

Primeiro jogo

Vitória FC 4 x 1 SL Benfica

Quinta, Junho 1, 1961 - 00:00

Campo dos Arcos ,

SL Benfica: Ramalho, Humberto Fernandes, Sidónio, Maximiano Salvador, Amândio, Manuel Pinto, Inácio, Nartanga, Alfredo Espírito Santo, Jorge, Eusébio
Coach: Bélla Guttmann
Golos: Eusébio (64)

Último jogo

Ferroviário Lourenço 1 x 7 SL Benfica

Domingo, Junho 10, 1962 - 00:00

SL Benfica: Ramalho, Sidónio, Manuel Pinto, Nogueira, Neto, Alfredo Espírito Santo, Nartanga, Jorge Calado, José Torres, António Mendes, Angeja
Coach: Bélla Guttmann
Golos: António Mendes (7), José Torres (44), Nartanga (46), Jorge Calado (47), Angeja (77), José Torres (81), António Mendes (86)

Títulos

Notícias relacionadas

Nenhum item encontrado

50883 - Tópico: Ramalho  (Lida 4230 vezes)

Shoky

  • Colaborador
  • ******
  • Mensagens: 188513
  • 17 de Agosto de 2012, 15:05


Nome Completo: Armando RAMALHO Correia de Almeida
Posição: Guarda-Redes
Nacionalidade: Português
Data de Nascimento: 15-06-1938
Número da Camisola: 1
Pé Preferido: Direito



Épocas ao serviço do Benfica: 2
Total de Jogos pelo Benfica: 3
Total de Golos Sofridos pelo Benfica 6
Títulos pelo Benfica:
1 Taça de Portugal (1961/1962)


1960/1961
Jogos: 1
Golos Sofridos: 4 (0 na Liga)

1961/1962
Jogos: 2
Golos Sofridos: 2 (0 na Liga)
« Última modificação: 20 de Agosto de 2012, 03:36 por Shoky »

Shoky

  • Colaborador
  • ******
  • Mensagens: 188513
  • 17 de Agosto de 2012, 15:08
Foi o titular naquele jogo da Taça de Portugal, que perdemos 1-4 com o Setúbal...jogado no dia seguinte à final da Taça dos Campeões Europeus.

Clube do regim...;D

pcssousa

  • Colaborador
  • ******
  • Até sempre!
  • Mensagens: 75794
  • 17 de Agosto de 2012, 15:43
Essa do clube do regime é outra que me "mata"... e pensar que por cá ainda há quem defenda essas teorias de lagartos e andrades invejosos, renegando todas as provas e abre-olhois por cxá postados. Fdx, tira-me do sério.
Será que essa gente ainda não percebeu que o Benfica ganhava em Portugal da mesma forma que ganhava em qualquer parte do Mundo devido apenas e só ao facto de ter os melhores jogadores de longe? renegam que num Mundial onde a nossa selecção foi a melhor em prova, meio-campo e linha avançada eram todos do Benfica? renegam que no Mundialito de 1972, numa das melhores campanhas de sempre da nossa selecção metemos lá 12 jogadores nossos?
5 finais da máxima competição europeia na mesma década, sendo que nessa década fomos a equipa de toda a europa com mais finais das TCE, mais taças ganhas, mais eliminatórias passadas, mais jogos ganhos e mais golos marcados? foi o regime claramente...

Tenham vergonha na cara, crl!


Acerca do Ramalho, penso que era em 60/61 o 3º GR, atrás de Costa Pereira e Barroca, sendo que em alguns locais assinalam ainda a presença de Bastos no plantel dessa época.
« Última modificação: 17 de Agosto de 2012, 15:45 por pcssousa »

Shoky

  • Colaborador
  • ******
  • Mensagens: 188513
  • 17 de Agosto de 2012, 15:52
Essa do clube do regime é outra que me "mata"... e pensar que por cá ainda há quem defenda essas teorias de lagartos e andrades invejosos, renegando todas as provas e abre-olhois por cxá postados. Fdx, tira-me do sério.
Será que essa gente ainda não percebeu que o Benfica ganhava em Portugal da mesma forma que ganhava em qualquer parte do Mundo devido apenas e só ao facto de ter os melhores jogadores de longe? renegam que num Mundial onde a nossa selecção foi a melhor em prova, meio-campo e linha avançada eram todos do Benfica? renegam que no Mundialito de 1972, numa das melhores campanhas de sempre da nossa selecção metemos lá 12 jogadores nossos?
5 finais da máxima competição europeia na mesma década, sendo que nessa década fomos a equipa de toda a europa com mais finais das TCE, mais taças ganhas, mais eliminatórias passadas, mais jogos ganhos e mais golos marcados? foi o regime claramente...

Tenham vergonha na cara, crl!


Acerca do Ramalho, penso que era em 60/61 o 3º GR, atrás de Costa Pereira e Barroca, sendo que em alguns locais assinalam ainda a presença de Bastos no plantel dessa época.

Essa vergonha de jogo com o Setúbal...ainda tiveram a lata de dizer: "Os campeões da Europa até perdem com uma equipa da 2ª".

Nojo.
Cortaram-nos a hipótese de fazer o triplete.

pcssousa

  • Colaborador
  • ******
  • Até sempre!
  • Mensagens: 75794
  • 18 de Agosto de 2012, 19:55
Bem, acabei de falar com o meu pai acerca do assunto e ele disse-me que este foi um dos que foi para o Sporting da Covilhã em troca com o também guarda-redes Rita.
Os restantes jogadores nossos que foram cedidos aos serranos foram: Maçarico, Nartanga e Espírito Santo.

Shoky

  • Colaborador
  • ******
  • Mensagens: 188513
  • 19 de Agosto de 2012, 22:57
Bem, acabei de falar com o meu pai acerca do assunto e ele disse-me que este foi um dos que foi para o Sporting da Covilhã em troca com o também guarda-redes Rita.
Os restantes jogadores nossos que foram cedidos aos serranos foram: Maçarico, Nartanga e Espírito Santo.

Este Espírito Santo, certo?

http://serbenfiquista.com/forum/index.php?topic=50885.0

Universo Benfica

  • Colaborador
  • ******
  • Mensagens: 113008
  • 20 de Agosto de 2012, 02:49
Certo.

Na época de 1962-63 após manter grande parte da equipe da época da 1º divisão o Sporting da Covilhã, não consegue subir de divisão, foi neste ano que o grande guarda-redes José Rita é negociado para o SL Benfica, com a transferência, consegue-se atenuar um pouco a crise e no acordo ainda vieram alguns jogadores do Benfica para o Covilhã, como Maçarico, Nartanga, Nogueira, Batista, e Espiríto Santo e ainda o guarda – redes Ramalho.

Universo Benfica

  • Colaborador
  • ******
  • Mensagens: 113008
  • 20 de Agosto de 2012, 03:05
GR Ramalho no Sp. Covilhã...




Pelos vistos o treinador também foi...





pcssousa

  • Colaborador
  • ******
  • Até sempre!
  • Mensagens: 75794
  • 20 de Agosto de 2012, 13:11
Bem, acabei de falar com o meu pai acerca do assunto e ele disse-me que este foi um dos que foi para o Sporting da Covilhã em troca com o também guarda-redes Rita.
Os restantes jogadores nossos que foram cedidos aos serranos foram: Maçarico, Nartanga e Espírito Santo.

Este Espírito Santo, certo?

http://serbenfiquista.com/forum/index.php?topic=50885.0
Sim, é esse mesmo.

pcssousa

  • Colaborador
  • ******
  • Até sempre!
  • Mensagens: 75794
  • 21 de Agosto de 2012, 15:42
Essa do clube do regime é outra que me "mata"... e pensar que por cá ainda há quem defenda essas teorias de lagartos e andrades invejosos, renegando todas as provas e abre-olhois por cxá postados. Fdx, tira-me do sério.
Será que essa gente ainda não percebeu que o Benfica ganhava em Portugal da mesma forma que ganhava em qualquer parte do Mundo devido apenas e só ao facto de ter os melhores jogadores de longe? renegam que num Mundial onde a nossa selecção foi a melhor em prova, meio-campo e linha avançada eram todos do Benfica? renegam que no Mundialito de 1972, numa das melhores campanhas de sempre da nossa selecção metemos lá 12 jogadores nossos?
5 finais da máxima competição europeia na mesma década, sendo que nessa década fomos a equipa de toda a europa com mais finais das TCE, mais taças ganhas, mais eliminatórias passadas, mais jogos ganhos e mais golos marcados? foi o regime claramente...

Tenham vergonha na cara, crl!


Acerca do Ramalho, penso que era em 60/61 o 3º GR, atrás de Costa Pereira e Barroca, sendo que em alguns locais assinalam ainda a presença de Bastos no plantel dessa época.

Essa vergonha de jogo com o Setúbal...ainda tiveram a lata de dizer: "Os campeões da Europa até perdem com uma equipa da 2ª".

Nojo.
Cortaram-nos a hipótese de fazer o triplete.
Acerca desse jogo há alguns pormenores interessantes a considerar.
Na altura as eliminatórias da Taça eram jogadas a duas mãos. Ora bem, nós tinhamos ganho a 1ª mão, na Luz por 3-1.
O jogo da 2º mão foi disputado no dia 1 de Junho de 1961, no dia seguinte à conquista da nossa 1ª Taça dos Clubes Campeões Europeus. Como é óbvio, nenhum dos convocados para a final pode jogar, e relembro que mesmo não havendo à época substituições não foi por isso que seguiram para Berna apenas 11 jogadores, como é óbvio.
Esse jogo em Setúbal marcou a estreia de Eusébio para a Taça de Portugal, ele que se tinha estreado oficialmente com a nossa camisola dias antes, pensdo que a 23 de Maio, num jogo de reservas na Luz contra o Atlético, por curiosidade com um hat-trick.
Pois bem, neste jogo em Setúbal acabámos por perder 4-1 e sermos eliminados, sendo que o nosso golo foi obtido pelo inevitável Eusébio, e marca outro facto notável: Eusébio falhou um penalty, defendido por Mourinho Félix (esse mesmo cujo filho, Zé, seria treinador do Benfica 39 anos mais tarde). Tanto quanto se sabe este foi um dos quatro únicos penalties falhados por Eusébio, os outros foram contra a Académica, defendido pelo dr. (Hoje Professor Doutor) João Luis Maló de Abreu, outro contra o Sporting defendido pelo malogrado Vitor Damas e por último um contra o U. Santarém numa muito robusta goleada para a Taça de Portugal.
Outra das curiosidades foi que esta foi a segunda derrota seguida do Benfica em território português, numa época em que o Benfica se manteve invencível até à última jornada do campeonato, em que em vésperas da final europeia perdemos na Luz contra os Belenses, naquele que seria o primeiro campeonato invicto da história do futebol português. Esse foi um jogo considerado decisivo para a vitória de Berna, uma vez que serviu para os jogadores cerrarem fileiras.
Tinha sido aí uma época pouco menos que extraordinária, sem qualquer derrota em território nacional e em que a única derrota da época até então tinha ocorrido em Ujpest em Novembro de 1960 já depois de termos goleado os poderosos húngaros na Luz por um demilidor 6-1. Estava-se portanto em vésperas do campeonato nacional, com a última jornada a ser disputada na Luz e com o Benfica já campeão e invicto até à altura e a tudo isto se juntava o entusiasmo pelo apuramento para a final de Berna. Os eufóricoa adeptos organizaram um passeio de barco pelo Tejo com a equipa para comemorar, grande festa tinham já preparada para aquele final de tarde, perante o cepticismo de Guttmann. Acabámos mesmo por perder 1-2 e o mago acabou por usar este jogo para mostrar aos jogadores que as comemorações só devem vir após as vitórias finais e usou este resultado como forma de moralizar os jogadores para a grande final.

Bem, vou parar por aqui que de certeza que já vos aborreço. Muito mais ficou por dizer.

Cumprimentos.

Shoky

  • Colaborador
  • ******
  • Mensagens: 188513
  • 21 de Agosto de 2012, 18:05
Essa do clube do regime é outra que me "mata"... e pensar que por cá ainda há quem defenda essas teorias de lagartos e andrades invejosos, renegando todas as provas e abre-olhois por cxá postados. Fdx, tira-me do sério.
Será que essa gente ainda não percebeu que o Benfica ganhava em Portugal da mesma forma que ganhava em qualquer parte do Mundo devido apenas e só ao facto de ter os melhores jogadores de longe? renegam que num Mundial onde a nossa selecção foi a melhor em prova, meio-campo e linha avançada eram todos do Benfica? renegam que no Mundialito de 1972, numa das melhores campanhas de sempre da nossa selecção metemos lá 12 jogadores nossos?
5 finais da máxima competição europeia na mesma década, sendo que nessa década fomos a equipa de toda a europa com mais finais das TCE, mais taças ganhas, mais eliminatórias passadas, mais jogos ganhos e mais golos marcados? foi o regime claramente...

Tenham vergonha na cara, crl!


Acerca do Ramalho, penso que era em 60/61 o 3º GR, atrás de Costa Pereira e Barroca, sendo que em alguns locais assinalam ainda a presença de Bastos no plantel dessa época.

Essa vergonha de jogo com o Setúbal...ainda tiveram a lata de dizer: "Os campeões da Europa até perdem com uma equipa da 2ª".

Nojo.
Cortaram-nos a hipótese de fazer o triplete.
Acerca desse jogo há alguns pormenores interessantes a considerar.
Na altura as eliminatórias da Taça eram jogadas a duas mãos. Ora bem, nós tinhamos ganho a 1ª mão, na Luz por 3-1.
O jogo da 2º mão foi disputado no dia 1 de Junho de 1961, no dia seguinte à conquista da nossa 1ª Taça dos Clubes Campeões Europeus. Como é óbvio, nenhum dos convocados para a final pode jogar, e relembro que mesmo não havendo à época substituições não foi por isso que seguiram para Berna apenas 11 jogadores, como é óbvio.
Esse jogo em Setúbal marcou a estreia de Eusébio para a Taça de Portugal, ele que se tinha estreado oficialmente com a nossa camisola dias antes, pensdo que a 23 de Maio, num jogo de reservas na Luz contra o Atlético, por curiosidade com um hat-trick.
Pois bem, neste jogo em Setúbal acabámos por perder 4-1 e sermos eliminados, sendo que o nosso golo foi obtido pelo inevitável Eusébio, e marca outro facto notável: Eusébio falhou um penalty, defendido por Mourinho Félix (esse mesmo cujo filho, Zé, seria treinador do Benfica 39 anos mais tarde). Tanto quanto se sabe este foi um dos quatro únicos penalties falhados por Eusébio, os outros foram contra a Académica, defendido pelo dr. (Hoje Professor Doutor) João Luis Maló de Abreu, outro contra o Sporting defendido pelo malogrado Vitor Damas e por último um contra o U. Santarém numa muito robusta goleada para a Taça de Portugal.
Outra das curiosidades foi que esta foi a segunda derrota seguida do Benfica em território português, numa época em que o Benfica se manteve invencível até à última jornada do campeonato, em que em vésperas da final europeia perdemos na Luz contra os Belenses, naquele que seria o primeiro campeonato invicto da história do futebol português. Esse foi um jogo considerado decisivo para a vitória de Berna, uma vez que serviu para os jogadores cerrarem fileiras.
Tinha sido aí uma época pouco menos que extraordinária, sem qualquer derrota em território nacional e em que a única derrota da época até então tinha ocorrido em Ujpest em Novembro de 1960 já depois de termos goleado os poderosos húngaros na Luz por um demilidor 6-1. Estava-se portanto em vésperas do campeonato nacional, com a última jornada a ser disputada na Luz e com o Benfica já campeão e invicto até à altura e a tudo isto se juntava o entusiasmo pelo apuramento para a final de Berna. Os eufóricoa adeptos organizaram um passeio de barco pelo Tejo com a equipa para comemorar, grande festa tinham já preparada para aquele final de tarde, perante o cepticismo de Guttmann. Acabámos mesmo por perder 1-2 e o mago acabou por usar este jogo para mostrar aos jogadores que as comemorações só devem vir após as vitórias finais e usou este resultado como forma de moralizar os jogadores para a grande final.

Bem, vou parar por aqui que de certeza que já vos aborreço. Muito mais ficou por dizer.

Cumprimentos.


Pena teres parado...;D
Um post fantástico.

Eddie_

  • Sénior
  • ****
  • Mensagens: 2640
  • 21 de Agosto de 2012, 18:14
Confere!
Mais um!!!

pcssousa

  • Colaborador
  • ******
  • Até sempre!
  • Mensagens: 75794
  • 21 de Agosto de 2012, 18:36
Há muitas histórias à volta daquela final de 61... Basta entender que Guttmann, até por ser um judeu já com alguma idade, ser muito supersticioso. Isso inspirou também uma certa aura mágica à sua volta e a confiança cega dos jogadores por si treinados.
De facto, a forma com tinha ganho o campeonato de 58/59 à frente do porto deixou logo a ideia no ar de que tinha alguma coisa de bruxaria. Na verdade, era uma pessoa dura, que acreditava no traballho árduo e força de vontade dos seus para vencer.
Quem não estivesse para dar o máximo de sí sairia.

Essa aura de mago e bruxo ainda hoje a tem, não só pelo "bruxedo" que nos pôs... a bem da verdade, penso que não cabia na cabeça de ninguém que aquando da assinatura por nós colocasse aquela cláusula para se ganhasse a TCE, e ainda hoje causa arrepios quande se lêem as histórias de que quando veio assinar estava um dia de nevoeiro cerrado e que assim que se colocaram as coisas em papel rebentou um sol esplendoroso, assim como quase todos nós pensamos que algo de sobrenatural se passa sempre que nos lembramos do que se passou naquele dia de 31 de Maio de 1961 em Berna e o que se passaria ao longo da nossa história nas competições europeias, o que começou com uma felicidade extrema com bolas a bater nos dois postes e não entrarem ( a partir daí e, mediante exposição do Barcelona, os postes passariam a deixar de ter secção quadrada para a terem redonda).
Todos os males nos cairam em cima, desde estarmos em vantagem no marcador e desvantagem numérica em Wembley 63 e desgraçadamente termos um treinador que só sabia atacar e acabarmos por perder com dois golos de contra-ataque, até jogarmos uma final no campo do rival, dominarmos o jogo todo e perdê-lo com o mais famoso frango da nossa história mas honrarmos de tal forma a camisola que fomos eleitos a equipa do ano para o France Football e o nosso presidente pagar do seu próprio bolso o prémio de jogo aos jogadores. Até irmos jogar à pátria do nosso adversário de 68 e nos minutos finais Eusébio falhar um golo daqueles em que em cada 20 marcava 19, sem esquecer aquela final (mais tarde soube-se que foi uma das que estava comprada a ponto do Anderlecht ter sido excluido por um ano das competições europeias muitos anos mais tarde) em que Diamantino Miranda falha a menos de meio metro da baliza o mais escandaloso golo que eu já vi falhar e deitarmos em Lisboa tudo a perder com o golo de cabeça do Lozano, o mais pequeno em campo, isto apesar do golo sonhado por Shéu... aquela lotaria dos penalties em Estugarda com o inenarrável episódio dos arrotos de Silvino e claro, das meias engomadas... E o doloroso golo, em Viena, (estádio de péssimas recordações...) sofrido ante o AC. Milan, com a "tramoia do apito", um esquema que lhes possibilitou por aquelas alturas enganar uns 3 ou 4 adversários...
Enfim, no meio de tudo isto, o "velho húngaro" tem de certeaza um dedito... pelo sim, pelo não, conto daqui a uns tempos ir fazer uma visitinha ao cemitério judeu de Viena.

Shoky

  • Colaborador
  • ******
  • Mensagens: 188513
  • 22 de Agosto de 2012, 01:12
Agora fiquei aziado...
Tanta final europeia mal perdida.

E se entrarmos em meias finais então...:buck2:

pcssousa

  • Colaborador
  • ******
  • Até sempre!
  • Mensagens: 75794
  • 31 de Agosto de 2012, 14:47
Queria deixar uma correcção. a derrota na última jornada em casa ante o Belenenses não ocorreu em 60/61 mas sim na época anterior de 59/60.
Foi de facto a primeira e única derrota do campeonato, na última jornada e ocorreu nas circunstâncias descritas no post em que a referí.
Serviu também para a tal moralização aos jogadores na época seguinte pois era muito recordada por Guttmann, relembrando sempre aos jogadores que só se deveria festejar no final das provas.

As minhas desculpas.
De facto fui induzido em erro por uma entrevista antiga de José Augusto, compreensível pois em 60/61 a última jornada também foi contra o Belém, mas fora e com uma vitória 4-0. Em 60/61 perdemos dois jogos para o campeonato, ante Guimarães e porto, ambos fora.

Cumprimentos.