63905 - Tópico: Taça de Portugal 2018/2019 - SL Benfica eliminado nos Quartos-de-Final  (Lida 11852 vezes)

Andris

  • Eusébio
  • ******
  • Mensagens: 103181
  • 16 de Março de 2019, 01:00
Foda-se. ;D Estamos bem estamos. Incrível.

Eterno Benfica

  • Eusébio
  • ******
  • Mensagens: 6644
  • ''O meu coração bate por ti! Amo-te Benfica''
  • 16 de Março de 2019, 01:09
Se houver uma parceria xom uma agencia e essa a medio/longo prazo aburguesar, ou se o Benfica achar que o dinheiro que gasta não corresponde à qualidade doa atletas, nada impede de mudar se agência.

Nenhuma agência impõe barrotes num clube por diversão.

Para mim, continua a ser um princípio errado. Se podes comer à la carte e tens condições para comer bem, porque é que hás-de comer do menu que te dão?
E tendo o menu a qualidade pretendida, porque não?

Negociar com intermediarios vai acontecer sempre. Podemos ter uma parceria com uma agencia e diminuir os custos de intermediação ou negociar com 5 ou 6 e mandar dinheiro ao lixo.

É quase científico. A história dos ovos todos na mesma cesta. Diluis o risco se dividires o investimento. É quase teoria económica.

Depois há os fenómenos de viciação de estruturas, etc, etc.

Repito, não tenho qualquer problema com qualquer agência. Acho apenas que o Benfica deve escolher quem quer e depois negociar com quem tem de negociar para fazer as coisas acontecer.

E não entregar por decreto.
Nao vejo onde se aplica a diversificação do investimento ao subcontratar uma empresa que agencia jogadores.

Entregar por decreto ninguem quer.

Agora se contratas uma agência e ela corresponde às expectativas, está tudo certo.

Repito, nenhuma agencia te vai enfiar barretes só porque sim, sabendo eles que, se não atingir determiandos patamares de qualidade vao ser trocados por outra agencia. Aburguesamento num mercado competitivo custar lhes ia o contrato.

E o Benfica nao tem qualquer obrigação de escolher apenas jogadores de uma agência. Se achar oportuno outro jogador, fa-lo. Não há exclusividade.

CarlosBossio

  • Iniciado
  • *
  • Mensagens: 60
  • 16 de Março de 2019, 01:10
Para mim um grande problema está nos adjuntos:

Ferreira e o Seixas.

Reparem na postura dos 2 ao longo desta época e da anterior, no inicio da época sempre intervertidos dando indicações, agora são 2 múmias sentadas nos bancos a espera para ver o que acontece.

Igual situação com Zé Ricardo.

Estarão os 2 meninos a espera do Rei D. Sebastião para ocupar o trono?

O Benfica está doente há muito tempo, doente de incompetência.
Vai disfarçando essa doença porque tem mais dinheiro, tem mais nome e porque mesmo sendo imcompentente ganha muitas vezes sem saber o que está a fazer. Disfarçarmos os problemas atirando pura e simplesmente dinheiro. Temos mil e um tachos nas modalidades que ninguém sabe o que la anda a fazer. Qualquer clube com 50% do nosso orçamento que seja humilde e organizado arrisca-se a ganhar-nos!

O problema é bem maior que Zé Ricardos ou Arturos. O problema é transversal a todas as modalidades.

A origem dos problemas está bem longe das 4 linhas (dentro e proximo dela)

Viva aos tachos.
« Última modificação: 16 de Março de 2019, 01:11 por CarlosBossio »

Cosmic

  • Eusébio
  • ******
  • Lisboa
  • Mensagens: 14984
  • Honrem o Manto Sagrado
  • 16 de Março de 2019, 01:10
Mais uma época perdida no basquetebol. Desnorte total de uma secção que era altamente vencedora...

antiporcos

  • Iniciado
  • *
  • Mensagens: 337
  • 16 de Março de 2019, 01:10
Às vezes dá a impressão que se está a fazer tudo para voltar o Lisboa.

iKatz

  • Eusébio
  • ******
  • Mensagens: 48307
  • 16 de Março de 2019, 01:15
Que circo de clube nos tornamos nas modalidades.

Ja nem comento

Puyol

  • Eusébio
  • ******
  • Mensagens: 10906
  • 16 de Março de 2019, 01:19
Quem ouve o Seixas comentar na SportTV e depois vê os desempenhos desta equipa... realmente falar é fácil.

Dr.Lecter

  • Moderador
  • *
  • Mensagens: 14972
  • Doveryai, no proveryai.
  • 16 de Março de 2019, 01:32
Se houver uma parceria xom uma agencia e essa a medio/longo prazo aburguesar, ou se o Benfica achar que o dinheiro que gasta não corresponde à qualidade doa atletas, nada impede de mudar se agência.

Nenhuma agência impõe barrotes num clube por diversão.

Para mim, continua a ser um princípio errado. Se podes comer à la carte e tens condições para comer bem, porque é que hás-de comer do menu que te dão?
E tendo o menu a qualidade pretendida, porque não?

Negociar com intermediarios vai acontecer sempre. Podemos ter uma parceria com uma agencia e diminuir os custos de intermediação ou negociar com 5 ou 6 e mandar dinheiro ao lixo.

É quase científico. A história dos ovos todos na mesma cesta. Diluis o risco se dividires o investimento. É quase teoria económica.

Depois há os fenómenos de viciação de estruturas, etc, etc.

Repito, não tenho qualquer problema com qualquer agência. Acho apenas que o Benfica deve escolher quem quer e depois negociar com quem tem de negociar para fazer as coisas acontecer.

E não entregar por decreto.
Nao vejo onde se aplica a diversificação do investimento ao subcontratar uma empresa que agencia jogadores.

Entregar por decreto ninguem quer.

Agora se contratas uma agência e ela corresponde às expectativas, está tudo certo.

Repito, nenhuma agencia te vai enfiar barretes só porque sim, sabendo eles que, se não atingir determiandos patamares de qualidade vao ser trocados por outra agencia. Aburguesamento num mercado competitivo custar lhes ia o contrato.

E o Benfica nao tem qualquer obrigação de escolher apenas jogadores de uma agência. Se achar oportuno outro jogador, fa-lo. Não há exclusividade.

Mas o meu ponto é mesmo esse. Se subcontratamos numa agência é porque não queremos/sabemos escolher e estamos naturalmente mais à mercê de levar barretes.

E se não queremos/sabemos, então essas situações de oportunidades serão excepções na regra da externalização. Obviamente que não estou a assumir que as agências espetam barretes porque sim, é o negócio deles e vivem disso. Mas a probabilidade de isso acontecer, a meu ver, é maior. E pode ser reduzida se formos competentes em cada secção.

O que eu defendo é que a escolha deve ser feita internamente e de forma independente, de acordo com critérios definidos pelas equipas técnicas e quem perceba alguma coisa da poda. A intermediação deve ser apenas e só isso mesmo e aparecer no momento em que se quer contactar e fazer o negócio.

Contratar intermediários "a priori", para mim, é errado. Num clube pequeno ainda podia engolir, num clube da dimensão do Benfica acho má decisão.

Quanto à diversificação, com a subcontratação distorces a concorrência. Deixas de ter as agências em pé de igualdade e o mercado deixa de ser concorrencial. Podes não pôr os ovos todos no mesmo cesto mas tens tendência para passar a fazê-lo.

Eterno Benfica

  • Eusébio
  • ******
  • Mensagens: 6644
  • ''O meu coração bate por ti! Amo-te Benfica''
  • 16 de Março de 2019, 01:41
Se houver uma parceria xom uma agencia e essa a medio/longo prazo aburguesar, ou se o Benfica achar que o dinheiro que gasta não corresponde à qualidade doa atletas, nada impede de mudar se agência.

Nenhuma agência impõe barrotes num clube por diversão.

Para mim, continua a ser um princípio errado. Se podes comer à la carte e tens condições para comer bem, porque é que hás-de comer do menu que te dão?
E tendo o menu a qualidade pretendida, porque não?

Negociar com intermediarios vai acontecer sempre. Podemos ter uma parceria com uma agencia e diminuir os custos de intermediação ou negociar com 5 ou 6 e mandar dinheiro ao lixo.

É quase científico. A história dos ovos todos na mesma cesta. Diluis o risco se dividires o investimento. É quase teoria económica.

Depois há os fenómenos de viciação de estruturas, etc, etc.

Repito, não tenho qualquer problema com qualquer agência. Acho apenas que o Benfica deve escolher quem quer e depois negociar com quem tem de negociar para fazer as coisas acontecer.

E não entregar por decreto.
Nao vejo onde se aplica a diversificação do investimento ao subcontratar uma empresa que agencia jogadores.

Entregar por decreto ninguem quer.

Agora se contratas uma agência e ela corresponde às expectativas, está tudo certo.

Repito, nenhuma agencia te vai enfiar barretes só porque sim, sabendo eles que, se não atingir determiandos patamares de qualidade vao ser trocados por outra agencia. Aburguesamento num mercado competitivo custar lhes ia o contrato.

E o Benfica nao tem qualquer obrigação de escolher apenas jogadores de uma agência. Se achar oportuno outro jogador, fa-lo. Não há exclusividade.

Mas o meu ponto é mesmo esse. Se subcontratamos numa agência é porque não queremos/sabemos escolher e estamos naturalmente mais à mercê de levar barretes.

E se não queremos/sabemos, então essas situações de oportunidades serão excepções na regra da externalização. Obviamente que não estou a assumir que as agências espetam barretes porque sim, é o negócio deles e vivem disso. Mas a probabilidade de isso acontecer, a meu ver, é maior. E pode ser reduzida se formos competentes em cada secção.

O que eu defendo é que a escolha deve ser feita internamente e de forma independente, de acordo com critérios definidos pelas equipas técnicas e quem perceba alguma coisa da poda. A intermediação deve ser apenas e só isso mesmo e aparecer no momento em que se quer contactar e fazer o negócio.

Contratar intermediários "a priori", para mim, é errado. Num clube pequeno ainda podia engolir, num clube da dimensão do Benfica acho má decisão.

Quanto à diversificação, com a subcontratação distorces a concorrência. Deixas de ter as agências em pé de igualdade e o mercado deixa de ser concorrencial. Podes não pôr os ovos todos no mesmo cesto mas tens tendência para passar a fazê-lo.
Acho que estás a assumir que ao subcontratar uma agencia estariamos com exclusividade a jogadores deles, e não é isso que acontece.

Sem conhecer em concreto os moldes com que se trabalha com a Top Baller, não vejo qualquer problema.

BlankFile

  • Eusébio
  • ******
  • Mensagens: 121069
  • 16 de Março de 2019, 01:49
Não vi o jogo e só cheguei agora a casa. Qual o meu espanto (ou não), quando vejo o resultado no título do tópico e percebo que nem a Ovarense passámos nesta final eight.

Que vergonha... batemos no fundo mesmo.

Dr.Lecter

  • Moderador
  • *
  • Mensagens: 14972
  • Doveryai, no proveryai.
  • 16 de Março de 2019, 01:52
Se houver uma parceria xom uma agencia e essa a medio/longo prazo aburguesar, ou se o Benfica achar que o dinheiro que gasta não corresponde à qualidade doa atletas, nada impede de mudar se agência.

Nenhuma agência impõe barrotes num clube por diversão.

Para mim, continua a ser um princípio errado. Se podes comer à la carte e tens condições para comer bem, porque é que hás-de comer do menu que te dão?
E tendo o menu a qualidade pretendida, porque não?

Negociar com intermediarios vai acontecer sempre. Podemos ter uma parceria com uma agencia e diminuir os custos de intermediação ou negociar com 5 ou 6 e mandar dinheiro ao lixo.

É quase científico. A história dos ovos todos na mesma cesta. Diluis o risco se dividires o investimento. É quase teoria económica.

Depois há os fenómenos de viciação de estruturas, etc, etc.

Repito, não tenho qualquer problema com qualquer agência. Acho apenas que o Benfica deve escolher quem quer e depois negociar com quem tem de negociar para fazer as coisas acontecer.

E não entregar por decreto.
Nao vejo onde se aplica a diversificação do investimento ao subcontratar uma empresa que agencia jogadores.

Entregar por decreto ninguem quer.

Agora se contratas uma agência e ela corresponde às expectativas, está tudo certo.

Repito, nenhuma agencia te vai enfiar barretes só porque sim, sabendo eles que, se não atingir determiandos patamares de qualidade vao ser trocados por outra agencia. Aburguesamento num mercado competitivo custar lhes ia o contrato.

E o Benfica nao tem qualquer obrigação de escolher apenas jogadores de uma agência. Se achar oportuno outro jogador, fa-lo. Não há exclusividade.

Mas o meu ponto é mesmo esse. Se subcontratamos numa agência é porque não queremos/sabemos escolher e estamos naturalmente mais à mercê de levar barretes.

E se não queremos/sabemos, então essas situações de oportunidades serão excepções na regra da externalização. Obviamente que não estou a assumir que as agências espetam barretes porque sim, é o negócio deles e vivem disso. Mas a probabilidade de isso acontecer, a meu ver, é maior. E pode ser reduzida se formos competentes em cada secção.

O que eu defendo é que a escolha deve ser feita internamente e de forma independente, de acordo com critérios definidos pelas equipas técnicas e quem perceba alguma coisa da poda. A intermediação deve ser apenas e só isso mesmo e aparecer no momento em que se quer contactar e fazer o negócio.

Contratar intermediários "a priori", para mim, é errado. Num clube pequeno ainda podia engolir, num clube da dimensão do Benfica acho má decisão.

Quanto à diversificação, com a subcontratação distorces a concorrência. Deixas de ter as agências em pé de igualdade e o mercado deixa de ser concorrencial. Podes não pôr os ovos todos no mesmo cesto mas tens tendência para passar a fazê-lo.
Acho que estás a assumir que ao subcontratar uma agencia estariamos com exclusividade a jogadores deles, e não é isso que acontece.

Sem conhecer em concreto os moldes com que se trabalha com a Top Baller, não vejo qualquer problema.

O que estou a dizer é que havendo uma parceria desse género (e atenção que não me estou a referir a nenhum caso concreto, porque desconheço por completo o negócio feito com a TopBaller), existirá sempre essa tendência. É óbvio que esse género de acordo não tem exclusividade, caso contrário ficarias limitado àquela carteira e impedido de aproveitar negócios de ocasião.

Mas parece-me pacífico que essas parcerias criam uma tendência - e que é natural, de resto.

O que eu não compreendo é que se coloque nas mãos de outrem algo que nós, sendo competentes, podemos controlar.

Se eu posso escolher bem e de acordo com as minhas necessidades, se tenho dimensão e matéria humana para o fazer, não acho a melhor solução entregar a escolha nas mãos de outrem, por maior que seja o filtro que coloque nessa escolha.

Benfiquista_

  • Eusébio
  • ******
  • Mensagens: 12994
  • 16 de Março de 2019, 02:11
Ainda há cerca de 1 mês um seccionista do Basquetebol, me deu a entender e depois me disse mesmo, que as coisas na Secção não estão bem, dando a entender que o não estar bem é grave...

Benfiquista_

  • Eusébio
  • ******
  • Mensagens: 12994
  • 16 de Março de 2019, 02:16
O José Tomáz, não estará já, há tempo demasiado no Clube?

Foi com ele que criamos a hegemonia mas parece que é tempo de mudar velhos hábitos e criar novas oportunidades e rotinas.

Não estará na altura de se repensar na volta do Tiago Pinto para as Modalidades?

Muita coisa a pensar.

joaojordao13

  • Eusébio
  • ******
  • Mensagens: 6342
  • 16 de Março de 2019, 04:25
Nao existe plano para as modalidades, andamos ao sabor do vento.

Repare—se que primeiro Zé Ricardo seria para continuar como treinador, mas depois alguém deve ter visto algo e p treinador foi impedido sequer de entrar nas instalações do clube.

Durante algo tempo não tivemos nem jogadores nem treinador e eis que alguém, que eu adoraria saber quem é, decide ir buscar este pseudo treinador a Espanha.

Quem decidiu isto? Quem é que da a cara agora? Alguém me sabe explicar o porquê de ter vindo aquele gajo do Iliabum?

Alem disso os jogadores estao se a cagar para o clube! Nao sentem nada, nem tem qualquer sentimento de pertença! O dinheiro cai no final do mês e as condições sao excelentes!
Não existe plano para nada, o problema é esse. O plano do presidente do Benfica para praticamente todas as modalidades incluindo o futebol é atirar o barro à parede e se colar alapar-se para ganhar mais uns votos, que nem precisa, nas próximas eleições. É uma cambada de incompetentes desde o Nº 1 até ao fundo da pirâmide e não há fim à vista porque o gajo vai ser presidente até quando bem lhe apetecer.

Não há mesmo nada a fazer. O Benfica tornou-se nisto que estamos a ver em 2019.

GlennStrombergh

  • Eusébio
  • ******
  • Mensagens: 13603
  • 16 de Março de 2019, 04:54
Derrota demasiado normal para ser admissível.