53816 - Tópico: Decifrando imagens do passado  (Lida 103755 vezes)

RedVC

  • Eusébio
  • ******
  • Mensagens: 8887
  • Todos por um!
  • 08 de Novembro de 2013, 23:37
******************************************************************
******************************************************************




Não sei se já existe um tópico semelhante.

-1-
Uma proposta de identificação

imagem retocada


não retocada


Alguém consegue decifrar quem são estes jogadores do Sport Lisboa?

Este é um desafio difícil mas por isso mesmo é interessante.

Estes homens foram dos primeiros jogadores do Sport Lisboa, algures entre 1904 e 1907. A memória vai-se mas felizmente estes pioneiros cada vez mais vão sendo lembrados, especialmente pelo o V&P, com o novo museu e com a dedicada divulgação de alguns historiadores do nosso clube.

Este fórum tem algum pessoal muito sabedor destas matérias por isso é de esperar que possam haver opiniões.

A minha hipótese para esta primeira fotografia (captura de um dos últimos V&P, alusivo a um Sport Lisboa - CIF) é, da esquerda para a direita:


David Fonseca; Cândido Rosa Rodrigues e Fortunato Levy (ou será Marcial da Costa?). Bem se calhar não acertei nenhum...

Sugestões?


ps: Acabei de ver que Alberto Miguens já tinha estas mesmas identificações no seu blog:

http://em-defesa-do-benfica.blogspot.pt/2012/10/eleicoes-centenarias-e-sempre.html
« Última modificação: 29 de Dezembro de 2018, 10:32 por RedVC »

RedVC

  • Eusébio
  • ******
  • Mensagens: 8887
  • Todos por um!
  • 10 de Novembro de 2013, 00:10
Índice

-1- Uma proposta de identificação. (p.1)
-2- Uma identificação errada. (p.1)
-3- Um jogo de beneficência. (p.1)
-4- Os mestres Ingleses na Feiteira. (p.1)
-5- Rostos familiares. (p.2)
-6- À porta da Farmácia Franco.  O0 (p.2)
-7- Sonho de uma noite de Verão. (p.2)
-8- A última alegria do Chacha.  O0 (p.2)
-9- Recuando no tempo. (p.2)
-10- Catataus e Co. (p.3)
-11- Uma homenagem em terras africanas.  O0 (p.3)
-12- Uma taça e dois pioneiros (I). (p.3)
-13- Uma taça e dois pioneiros (II). (p.3)
-14- As camisolas de Júlio Cosme Damião. (p.3)
-15- Futebol e touros. (p.4)
-16- Um regresso feliz. (p.4)
-17- Nos areais de Belém. (p.4)
-18- Uma imagem rara. (p.4)
-19- Um Stromp à Benfica. (p.4)
-20- O António das Caldeiradas.  O0 (p.4)
-21- O terceiro homem.  O0 (p.5)
-22- Os primeiros troféus (parte I): o Restaurante Bacalhau.  O0 (p.5)
-23- Um Ilustre nos primórdios do futebol sadino. (p.5)
-24- Os Condes do Restelo. (p.5)
-25- Resistência: sugestão e mistério. (p.5)
-26- Araújo: uma carreira que ficou por fazer. (p.6)
-27- A primeira Águia.  O0 (p.6)
-28- Amor à camisola. (p.6)
-29- Amor ao clube! (à falta de camisola...). (p.6)
-30- Prémios aos campeões. (p.6)
-31- O primeiro guardião. (p.7)
-32- Glorioso por um dia.  O0 (p.7)
-33- Eusébio às riscas. (p.8)
-34- Dois dias de festa. (p.8)
-35- Sport Lisboa e Salésias: anatomia de uma fotografia.  O0 (p.8)
-36- 111 anos depois: a (possível) iconografia dos fundadores. (p.8)
-37- Três gigantes, três caminhos separados. (p.8)
-38- Um ancião curioso.  O0 (p.9)
-39- Um banquete de notáveis. (p.9)
-40- Cosme, o presidente. (p.10)
-41- Um militar futebolista. (p.10)
-42- Duas despedidas e um alegre convívio. (p.10)
-43- Um jogo infeliz, uma pista extraordinária.  O0 (p.11)
-44- Homenagem a um grande artista. (p.11)
-45- Glória e tragédia. A vida do campeão Carlos Sobral.  O0 (p.12)
-46- A Missão Portugueza Intelectual e Sportiva no Brasil, 1913 (parte I)  O0 (p.12)
-47- A Missão Portugueza Intelectual e Sportiva no Brasil, 1913 (parte II)  O0 (p.13)
-48- A última ceia. (p.13)
-49- A noite da Cruz Vermelha. (p.13)
-50- Ascenção e queda do Pantufas. (p.13)
-51- Escultor de excepção, futebolista sem fronteiras.  O0 (p.13)
-52- Uma escala africana, um desafio histórico.  O0 (p.14)
-53- Dois entre doze. (p.14)
-54- Dois sadinos, duas Saudades. (p.14)
-55- Dois Casapianos num barco sadino. (p.14)
-56- Revisitando o Campo Grande. (p.14)
-57- A vida Paulista de Bella Guttman. (p.14)
-58- Um encontro Americano.  O0 (p.14)
-59- Alguém tinha de pagar!  O0 (p.15)
-60- Belém, a Benfiquista.  O0 (p.16)
-61- Um certo pátio.  O0 (p.17)
-62- 13, ou a Glória Benfiquista de Lázaro. (p.19)
-63- O arquitecto da Catedral. (p.19)
-64- O tribunal dos conspiradores.  O0 (p.20)
-65- Festa de gerações. (p.20)
-66- Memórias Francesas. (p.20)
-67- Cosme e o inventor do Fla-Flu.  O0 (p.20)
-68- Desforra Inglesa em tempo de Monarquia. (p.21)
-69- As manas Bermudes, Gloriosas a pedalar. (p.21)
-70- O dia da dúzia! (p.21)
-71- O Cruzeiro Aéreo às Colónias (I).  O0 (p.21)
-72- O Cruzeiro Aéreo às Colónias (II).  O0 (p.21)
-73- O Cruzeiro Aéreo às Colónias (III).  O0 (p.22)
-74- A Taça Amadora (parte I): Os Recreios Desportivos da Amadora (p.22)
-75- A Taça Amadora (parte II): O grande jogo.  (p.22)
-76- Huelva 1910, pequeno manual para verdes I's. (p.22)
-77- Extinções e fusões, pequeno manual para verdes I's. (p.22)
-78- O casal virtuoso.  O0 (p.23)
-79- Da vida de Cosme (parte I). (p.23)
-80- Da vida de Cosme (parte II). (p.23)
-81- Gloriosos mesa-tenistas no Brasil. (p.23)
-82- Eterno Bermudes. (p.24)
-83- O poço dos nossos adversários. (p.24)
-84- Ora festeje lá outra vez! (p.24)
-85- Gloriosas compras na pátria do futebol.  O0 (p.24)
-86- Um inesperado Glorioso. (p. 25)
-87- As Terras das Salésias. (p. 25)
-88- “O Benfica saúda o Porto”  O0 (p. 25)
-89- Outros Carnavais (p. 25)
-90- Construtor de Catedrais  O0 (p. 25)
-91- Pantera Negra em noite madrilena (p. 26)
-92- Da Catumbela a Freamunde (p. 26)
-93 - 112 anos de Paixão! (p. 26)
-94- O sósia.(parte I)  (p. 26)
-95- O sósia.(parte II)  (p. 26)
-96- L'étude fait l'avenir (parte I)  O0 (p.27)
-97- L'étude fait l'avenir (parte I) (p.27)
-98- Um fresco em prosa: o António das Caldeiradas revisitado.  O0 (p.27)
-99- A Pharmácia Franco (I) – As duas primeiras gerações.  O0 (p.28)
-100- A Pharmácia Franco (II) – A terceira geração e o Sport Lisboa O0 (p.28)
-101- As Gloriosas fazendas de Alcântara. (p.29)
-102- Os primeiros troféus (parte II) – os Costas de Belém.  (p.29)
-103- Os primeiros troféus (parte III) – a Taça “Olímpica”.  (p.29)
-104- Miramons de Portugal.  (p.29)
-105- Águias na Guerra (parte I)  O0 (p.30)
-106- Águias na Guerra (parte II)  O0 (p.30)
-107- Águias na Guerra (parte III)  O0 (p.30)
-108- Olhos de fogo, coração de Belém  O0 (p.30)
-109- Em homenagem a Guilherme Pinto Basto. (p.30)
-110- Acidente no Cartaxo (parte I) (p.31)
-111- Acidente no Cartaxo (parte II) (p.31)
-112- Unidos na dor. (p.31)
-113- Um hóquista feliz. (p.31)
-114- Primus inter pares. (p.32)
-115- A “Corrida da Marathona”. (p.32)
-116- "Memórias de Viena". (p.32)
-118- Taça Charles Miller ’55 (parte I): O torneio e o seu tempo. O0 (p.32)
-119- Taça Charles Miller ’55 (parte II): A comitiva Benfiquista. O0 (p.32)
-120- Taça Charles Miller ’55 (parte III): Esses loucos dias cariocas. O0 (p.32)
-121- Taça Charles Miller ’55 (parte IV): Entre treinos e feijoadas. O0 (p.32)
-122- Taça Charles Miller ’55 (parte V): Mengo, Mengão; Azarão!    O0 (p.33)
-123- Taça Charles Miller ’55 (parte VI): Escaramuças Uruguaias! O0 (p.33)
-124- Taça Charles Miller ’55 (parte VII): Doces Palmeiras.    O0 (p.33)
-125- Taça Charles Miller ’55 (parte VIII): America amarga. O0 (p.33)
-126- Taça Charles Miller ’55 (parte IX): O “caseiro” Alemão. O0 (p.33)
-127- Taça Charles Miller ’55 (parte X): Gente boa que se vai! O0 (p.33)
-128- Taça Charles Miller ’55 (parte XI): O regresso dos heróis. O0 (p.33)
-129- O “caramujo” do futebol (parte I). (p.34)
-130- O “caramujo” do futebol (parte II). (p.34)
-131- Mobilis in mobile. O0 (p.35)
-132- O trepidante Costa (p.36)
-133- Catedral O0 (p.36)
-134- Os botes da Ericeira O0 (p.36)
-135- O "Café Gelo" (p.36)
-136- Uma equipa infantil (p.37)
-137- Gloriosa Magyarország (parte I): o Feiticeiro O0 (p.37)
-138- Gloriosa Magyarország (parte II): János Biri, uma aposta feliz! (p.37)
-139- O outro Živković (p.38)
-140- Um avô especial (p. 38)
-141- Os 24 Primeiros O0 O0 (p. 38)
-142- Este árbitro é um Artista! O0 (p. 39)
-143- Sport Lisboa, Bemfica 1923 (p. 39)
-144- A Taça Ruy da Cunha (p. 40)
-145- Gourlades da linha. O0 (p. 40)
-146- Para lá da Lenda O0 (p. 40)
-147- Capitães Latinos (Parte I) (p. 41)
-148- Capitães Latinos (Parte II) (p. 41)
-149- De Como a Milão (p. 42)
-150- Mântuas de Belém (p. 42)
-151- Festival taurino do SLB (p. 42)
-152- O arquitecto da Catedral (parte II): O dia mais brilhante (p. 42)
-153- A batalha de Madrid (p. 43)
-154- A Rotunda da Vitória O0 (p. 43)
-155- De Benfica para o Mundo: os fabulosos irmãos Augusto (parte I) (p. 44)
-156- De Benfica para o Mundo: os fabulosos irmãos Augusto (parte II) (p. 44)
-157- Águias na Guerra (parte IV): “Deste triste viver” O0 (p. 44)
-158- Águias na Guerra (parte V): veterano de guerra. (p. 44)
-159- Loio e o fim do Feitiço (p. 44)
-160- A semente da Farmácia Franco O0 (p. 44)
-161- O primeiro Luís F. Vieira O0 (p. 44)
-162- De Guilherme para Guilherme (p. 45)
-163- Um princípio com regras (parte I)  (p. 45)
-164- Um princípio com regras (parte II)  (p. 45)
-165- A lenda de Nicolau I  (p. 45)
-166- Para lá de Nicolau  (p. 45)
-167- Pelas estradas de Sintra  (p. 45)
-168- Braga à Benfica (parte I) -  o princípio é um tempo delicado O0 (p. 45)
-169- Braga à Benfica (parte II) – De fusões e omissões O0 (p. 46)
-170- Rebelde com causas O0 (p. 46)
-171- O Sonho, o Homem, a Obra O0 (p. 46)
-172- Até sempre Alfredo Valadas! (p. 46)
-174- O Olímpico Bermudes (parte I) – Gloriosos tiros O0 (p. 46)
-175- O Olímpico Bermudes (parte II) – Fora de Paris, dentro dos Jogos O0 (p. 46)
-176- O Olímpico Bermudes (parte III) – Muitos tiros, poucos pontos O0 (p. 46)
-177- Tamancos de oiro (parte I) – por terras do Sul O0 (p. 46)
-178- Tamancos de oiro (parte II) – as quinas da glória O0 (p. 46)
-179- Tamancos de oiro (parte III) – o Glorioso Tamanqueiro O0 (p. 46)
-180- Tamancos de oiro (parte IV) – do Sado ao Rio. O0 (p. 47)
-181- Tamancos de oiro (parte V) – o Benfica não esquece os seus! O0 (p. 47)
-182- Amesterdão 1928 (parte I) – a varanda dos heróis O0 (p. 47)
-183- Amesterdão 1928 (parte II) – o evento e os eleitos O0 (p. 47)
-184- Amesterdão 1928 (parte III) – um Chili saboroso (p. 47)
-185- Amesterdão 1928 (parte IV) – e todas as esperanças foram permitidas (p. 47)
-186- Amesterdão 1928 (parte V) – morrer sim, mas de pé… (p. 47)
-187- Amesterdão 1928 (parte VI) – emoções à Holandesa O0 (p. 47)
-188- Caçador de leões O0 (p. 48)
-189- O professor providencial (p. 48)
-190- A manhã mais radiosa (p. 48)
-191- Asilado mas não exilado (p. 48)
-192- Poeira do tempo: Francisco Calejo (p. 48)
-193- As filiais perdidas (p. 48)
-194- O "bombardeiro Marroquino" (p. 48)
-195- Só nós sentimos assim! O0 (p. 48)
-196- No comments! O0 (p. 49)
-197- Félix e os Leões da Estrela (p. 49)
-198- Aquela traidora de franja (p. 49)
-199- Vasco, Vasquinho, Vascão (part I) (p. 49)
-200- Vasco, Vasquinho, Vascão (part II) (p. 49)
-201- Um ano de goleadas (p. 49)
-202- 114 Anos de Glória O0 (p. 49)
-203- Os primeiros da Luz (p. 49)
-204- Pesadelos de Berna O0 (p. 49)
-205- Superga por um fio (p. 50)
-206- Os filhos do campeão (p. 50)
-207- Uma referência elaborada (p. 51)
-208- Laranja vintage (p. 51)
-209- Magaga, Holandês Voador e Calções Limpinhos (p. 51)
-210- Glorioso preto e branco (p. 51)
-211- Cruzamentos para Amesterdão I – os protagonistas (p. 52)
-212- Cruzamentos para Amesterdão II – a grande final O0 (p. 52)
-213- Saraiva já é nome de Saudade (p. 53)
-214- Doutor coragem O0 (p. 53)
-215- Berna 61’ (parte I) - a noite da glória e dos “palos cuadrados”  O0 (p. 53)
-216- Berna 61’ (parte II) - glória aos vencedores, honra aos vencidos!  O0 (p. 53)
-217- A semente que frutificou (p. 54)
-218- Nas escadarias da Quinta Nova (parte I) – Uma fotografia histórica (p. 54)
-219- Nas escadarias da Quinta Nova (parte II) – Os Mestres Ingleses de Carcavelos (p. 54)
-220- Por terras Açorianas (parte I) – Um desafio no Relvão (p. 55)
-221- Por terras Açorianas (parte II) – Um Belenense entre Açorianos  O0 (p. 55)
-222- De Lavos a Belém; da bola ao cinzel (p. 55)
-223- Dos Sudetas às Amoreiras (parte I): o caminho para o Sado (p. 55)
-224- A ilustre Casa do Dr. Meireles (p. 55)
-225- Lar do jogador, ninho de Campeões (parte I)  O0  (p. 56)
-226- Lar do jogador, ninho de Campeões (parte II)  O0  (p. 56)
-227- Neste ano 115  O0  (p. 56)
-228- A Peste Branca  O0  (p. 56)
-229- Águias na guerra (parte VI): os manos Vivaldo  (p. 57)
-230- A propósito de um filme  (p. 57)
-231- Essa Beira Benfiquista… (parte I)  (p. 57)
-232- Essa Beira Benfiquista… (parte II)  (p. 57)
-233- Um Príncipe do Fado  O0  (p. 57)












« Última modificação: 29 de Março de 2019, 20:18 por RedVC »

RedVC

  • Eusébio
  • ******
  • Mensagens: 8887
  • Todos por um!
  • 24 de Abril de 2014, 20:02
-2-
Uma identificação errada

1907, Sport Lisboa vs CIF


Fonte: AML

Esta imagem é frequentemente datada de 1909. Não é verdade. Aqui se identificam e de forma inequívoca jogadores que desertaram para o SCP em Maio de 1907. Estão também Fortunato Levy e David da Fonseca que saíram respectivamente para Cabo Verde e para o Cruz Negra. David Fonseca regressaria um ano depois. Fortunato Levy nunca mais regressou à metrópole.



« Última modificação: 19 de Fevereiro de 2015, 09:21 por RedVC »

RedVC

  • Eusébio
  • ******
  • Mensagens: 8887
  • Todos por um!
  • 26 de Abril de 2014, 18:07
-3-
Um jogo de beneficência.


Fonte: AML

« Última modificação: 19 de Fevereiro de 2015, 09:21 por RedVC »

RedVC

  • Eusébio
  • ******
  • Mensagens: 8887
  • Todos por um!
  • 12 de Julho de 2014, 16:36
-4-
Os mestres Ingleses na Feiteira

1910, Campo da Feiteira, Benfica

Sport Lisboa e Benfica vs Carcavellos SC

Imagens disponíveis não sei se são relativas ao jogo do campeonato de 1910 ganho pelo Benfica  ou se do segundo, um particular, ganho em desforra pelo Carcavelos SC. Resolução fracota a partir de imagens da Torre do Tombo (com marca de água):


Fonte: Digitarq

Em duas fotografias distingue-se a figura inconfundível de Cosme Damião.

Capturas de imagens do periódico Ilustração Portugueza:




Fonte: Hemeroteca de Lisboa

nota-se uma maior participação de diversos jogadores mais avançados do Benfica, e por isso presumo em atitude ofensiva (está um Inglês encostado a um poste). Está um outro Inglês de calções pretos, presumo ser o guarda-redes. O tamanho do Inglês mais à esquerda era mesmo de impor respeito.


Em qualquer dos casos penso tratarem-se de fotografias tiradas pelo grande fotógrafo Joshua Benoliel:

http://serbenfiquista.com/forum/memorias/as-melhores-fotografias-da-historia-do-benfica/msg1078236765/#msg1078236765
Fonte: Fórum Ser Benfiquista

Na assistência notam-se pessoas sentadas no chão, notam-se chapéus de chuva (jogo em Janeiro). O detalhe de pessoas a assistir na varanda da vivenda é delicioso. O primeiro camarote VIP num campo em que... não havia bancadas. O árbitro o Sr. Charles Etur parece estar com um chapéu branco.

Por último, da leitura do texto da Ilustração Portugueza, percebe-se que Jorge Rosa Rodrigues, o quarto e último dos Catataus a sair para o SCP, era um temperamental. A minha interpretação é que desagradado com a decisão do árbitro decidiu abandonar o seu lugar de guarda-redes, o que provavelmente quer dizer o campo. Naquele tempo a especialização do lugar de guarda-redes não era uma norma e por isso deverá ter sido substituido nesse lugar por um dos colegas.

Ai Catatau, Catatau...




« Última modificação: 19 de Fevereiro de 2015, 09:22 por RedVC »

Benfiquista_

  • Eusébio
  • ******
  • Mensagens: 12994
  • 14 de Julho de 2014, 00:29
Excelente tópico! :)

P.S. Deveria estar na secção "Memórias", na minha opinião.

Theroux

  • Eusébio
  • ******
  • Mensagens: 66703
  • Opré Chavalé
  • 14 de Julho de 2014, 13:44
???

Benfiquista_

  • Eusébio
  • ******
  • Mensagens: 12994
  • 14 de Julho de 2014, 14:15
Parece o Estádio do Restelo...não sei...

RedVC

  • Eusébio
  • ******
  • Mensagens: 8887
  • Todos por um!
  • 14 de Julho de 2014, 16:45
Essa magnífica fotografia já foi colocada num dos tópicos. Se não me engano no das "melhores imagens da história do Benfica".

São os antigos campos do Benfica (Campo Grande) e do Sporting (Lumiar) e também  já se vê a construção do estátio José de Alvalade.

O estádio do Campo Grande foi inaugurado em 1912 e foi do Lisbon FC até 1917. Depois foi usado pelo SCP até 1937 e por fim foi recuperado e usado pelo Benfica desde 1941 até 1954, data em que foi inaugurado o Estádio da Luz. Ainda assim esse pelado foi usado pelo Benfica (para as suas camadas jovens) penso que até meados da década de 70.

O estádio do Lumiar foi usado pelo SCP até 1956 data em que foi inaugurado o Estádio José Alvalade.

Eramos vizinhos - bem vizinhos do SCP...

Benfiquista_

  • Eusébio
  • ******
  • Mensagens: 12994
  • 14 de Julho de 2014, 18:45
Qual era o nosso ali?

RedVC

  • Eusébio
  • ******
  • Mensagens: 8887
  • Todos por um!
  • 15 de Julho de 2014, 00:33
Qual era o nosso ali?

Estive à espera de uma ajuda de alguém que sabe muito mais do que eu.
E a resposta que me deu foi surpreendente: os dois!

Os dois campos lado a lado são do Benfica. Existia um bancada dupla entre os dois que dava para um campo (do futebol) e outro. Engenhoso.

O segundo campo tinha uma pista de cinza (inaugurada em 1946), um campo de ténis no topo e um campo de basquetebol e voleibol atrás da churrasqueira. Aí o Benfica jogava hóquei em campo, râguebi e andebol.

O Estádio do Lumiar era onde depois foi o Estádio de Alvalade. A fotografia deve ser de 1947 pois são visíveis obras nesse estádio. Seria assim uma remodelação do Lumiar e não o princípio da construção do José Alvalade.
« Última modificação: 15 de Julho de 2014, 00:36 por RedVC »

Benfiquista_

  • Eusébio
  • ******
  • Mensagens: 12994
  • 15 de Julho de 2014, 15:43
Obrigado! ;)

RedVC

  • Eusébio
  • ******
  • Mensagens: 8887
  • Todos por um!
  • 15 de Julho de 2014, 23:15
Obrigado! ;)

Obrigado também Benfiquista_ pelos comentários e interesse.
Vejo que está sempre atento e aprecia estas curiosidades da história do Glorioso.

Benfiquista_

  • Eusébio
  • ******
  • Mensagens: 12994
  • 15 de Julho de 2014, 23:32
Obrigado! ;)

Obrigado também Benfiquista_ pelos comentários e interesse.
Vejo que está sempre atento e aprecia estas curiosidades da história do Glorioso.
De nada! ;)

Tudo o que seja Benfica tenho interesse :)

Fake Blood

  • Eusébio
  • ******
  • Mensagens: 28751
  • 16 de Julho de 2014, 21:16
Caros profissionais da decifração, acudam-me!
Os arquivos por vezes confundem mais do que esclarecem!

No meio de mais uma exploração dou com esta foto:


Com a seguinte descrição:

Acto de cerimónia protocular de entrega de taça, referente a evento não identificado, inferindo-se, no entanto, que possa estar relacionado com a condecoração da Ordem de Cristo, atribuída à agremiação Sport Lisboa e Beira de que faz parte o Futebol Club da Beira.

DATAS DESCRITIVAS
[1930-1942]

Eu nem sabia que existia um Sport Lisboa e Beira. Uma filial no estrangeiro, suponho eu com base em mais fotos do Sport Lisboa e Beira.
Se não tivesse qualquer descrição eu diria que era o nosso presidente Manuel da Conceição Afonso a receber a taça de campeão da Federação no Estádio do Belenenses.
Estarei eu a alucinar ou estará o arquivo redondamente errado?  :confused: