País
Portugal

César Brito

Nome completo
César Gonçalves de Brito
Peso
73
Altura
176
Naturalidade
Covilhã
Data de nascimento
1964-10-21
Periodo no Benfica

1985 - 1995

First match

SL Benfica 1 x 0 Braga

Domingo, Novembro 24, 1985 - 00:00

Estádio da Luz, em Lisboa ,

SL Benfica: Bento, Pietra (César Brito [70m]), Samuel, Oliveira, Álvaro Magalhães, Veloso, Shéu, Rui Pedro (António Bastos Lopes [83m]), Diamantino, Nené, Manniche
Treinador: John Mortimore
Golos: Nené (40)

Último jogo

Boavista 1 x 3 SL Benfica

Sábado, Maio 6, 1995 - 02:00

Estádio do Bessa, Porto ,

SL Benfica: Preud'homme, Paulo Madeira, Paulo Pereira, Hélder, Dimas, Paulo Bento, Abel Xavier, Stanic, Nelo, Edílson (César Brito [58m]), Isaías
Treinador: Artur Jorge
Golos: Stanic (54), Isaías (57), Stanic (84)

613 - Tópico: César Brito  (Lida 25679 vezes)

Bastian Schweinsteiger

  • Iniciado
  • *
  • "Não existem Morettos, Moreiras, Simãos e Karagounis. O Benfica está acima de todos!" (LFV)
  • Mensagens: 1150
  • 14 de Outubro de 2005, 14:30

 
Nome Completo: CÉSAR Gonçalves de BRITO
Posição: Avançado Centro
Nacionalidade: Português (Internacional A)
Data de Nascimento: 21-10-1964
Número da Camisola: 11
Pé Preferido: Direito



Épocas ao serviço do Benfica: 8
Total de Jogos pelo Benfica: 144
Total de Golos pelo Benfica: 36
Títulos pelo Benfica:
3 Campeonatos Nacionais (1986/87, 1990/91, 1993/94)
2 Taças de Portugal (1985/86, 1986/87)
1 Supertaça (1985/86)


1985/1986
Jogos: 6
Golos: 1 (0 na Liga)

1986/1987
Jogos: 13
Golos: 4 (0 na Liga)

1989/1990
Jogos: 29
Golos: 7 (5 na Liga)

1990/1991
Jogos: 22
Golos: 7 (7 na Liga)

1991/1992
Jogos: 37
Golos: 13 (7 na Liga)

1992/1993
Jogos: 3
Golos: 2 (1 na Liga)

1993/1994
Jogos: 23
Golos: 1 (1 na Liga)

1994/1995
Jogos: 11
Golos: 1 (0 na Liga)
« Última modificação: 06 de Julho de 2014, 15:49 por Shoky »

SirRik

  • Eusébio
  • ******
  • I don't drink water because fish fuck there... I only drink beer!!!
  • Mensagens: 13473
  • 14 de Outubro de 2005, 14:35
edit
« Última modificação: 06 de Julho de 2014, 16:14 por Shoky »

luri

  • Visitante
  • 14 de Outubro de 2005, 14:42
bom tópico, lembro-me bem desse jogo. Ao fim e ao cabo as coisas não mudaram muito... a pressão vai ser enorme mas sinto que vai valer a pena! :coolsmiley:

flsb

  • Eusébio
  • ******
  • Ericeira
  • Mensagens: 14653
  • Sócio: 19138
  • 14 de Outubro de 2005, 14:50
como me lembro desses episódios ! mas no fim do jogo a alegria q tivemos superou tudo isso. E amanha ha mais festa encarnada

thor

  • Júnior
  • ***
  • Lisboa
  • Mensagens: 632
  • Sócio 6500
  • 14 de Outubro de 2005, 15:12

Este tambem é interessante... um dos maiores melões que o Pinto da Bosta apanhou até hoje:


Porto Vs Benfica : FCP 0 - SLB 1, 21 de Agosto de 1983


21 de Agosto de 1983, o Estádio das Antas no Porto recebe a final da taça de Portugal entre F.C.Porto e Benfica, não me enganei, foi mesmo no estádio das Antas e em pleno Agosto.

Isto porque a 1 de Junho de 1983, depois de uma escaldante assembleia geral do F.C.Porto, Jorge Nuno Pinto da Costa decide boicotar a final da taça de Portugal entre Benfica e Porto no Jamor, “Vamos a ver se a FPF tem a coragem de nos mandar para a 2.ª Divisão, pois é esse o desejo que os move, pois Lisboa quer continuar a colonizar o resto do País”, foram estas as declarações do Presidente Portista.

A história começa no início da época quando Romão Martins, então presidente da Federação Portuguesa de Futebol, ofereceu a organização da final da Taça à Associação de Futebol do Porto, sem que isso tenha sido motivo de muita celeuma. Quando ficaram definidos os finalistas, já sob a direcção de Silva Resende, a polémica estalou, com o novo presidente a dizer que a final deveria ser disputada no Estádio Nacional. As Antas tremeram e Pinto da Costa declarou guerra à FPF. Surgiu então a possibilidade de realizar a final em Coimbra, no Estádio do Calhabé, com o argumento que ficava no centro do país, a meio caminho entre Lisboa e Porto. Pinto da Costa não cedeu e convocou uma Assembleia Geral, que viria a ser a maior de sempre. A 1 de Junho, o antigo Pavilhão Américo de Sá ficou a rebentar pelas costuras e, depois de horas de discursos inflamados, ficou decidido que se a final não fosse nas Antas o F.C. Porto não compareceria, assumindo o risco de despromoção à III Divisão. O Conselho de Justiça da Federação reúne-se a 8 de Junho e decide adiar o decisivo jogo para uma data a anunciar. Os jogadores vão de férias, mas ficam de prevenção, uma vez que o jogo poderia ser marcado para qualquer altura. O braço de ferro manteve-se até ao limite e a federação acabou por ceder, depois do Benfica também ter aceite jogar no terreno do rival.

O Benfica vinha de uma época bastante positiva, tinha conquistado o titulo nacional e perdido na final da taça UEFA com o Anderlech depois de uma carreira brilhante que parecia só poder terminar com a conquista do trofeu...

Foi neste cenário e perante 40 mil pessoas vestidas de azul e branco que lotaram completamente o Estádio das Antas, que as 2 equipas entraram em campo quando estavam já em fase de pré temporada.

O Porto alinhou com Zé Beto; João Pinto, Lima Pereira, Eurico e Inácio (Rodolfo, 45m); Jaime Magalhães (Walsh, 45m), Frasco, Jaime Pacheco e Sousa; Jacques e Gomes.

O Benfica com Bento; Pietra, Bastos Lopes, Oliveira e Álvaro; José Luís, Carlos Manuel, Stromberg (Shéu, 85m) e Veloso; Filipovic (Padinha, 59m) e Nené.

No banco defrontavam-se Pedroto e Eriksson, a grande surpresa foi o lançamento no 11 inicial do Benfica de um jovem com o nome de Veloso em detrimento de jogadores como Diamantino, por exemplo...

Depois de um melhor inicio de jogo por parte dos azuis e brancos o golo decisivo chegou aos 20 minutos, na sequência de uma excelente abertura de Stromberg para Carlos Manuel, na zona frontal, ainda fora da área, rematar forte, com a bola a desenhar um arco e a enganar Zé Beto que se lançou tardiamente ao lance. Daí até final do jogo, o Benfica defendeu a preciosa vantagem e assegurou a 8.ª dobradinha da sua história.

No dia seguinte os títulos da imprensa destacaram, como não podia deixar de ser, o polémico jogo. O jornal “A Bola” destaca o médio como “o herói das Antas” num jogo “fora de horas e depois de muita guerra fria”, o “Record” destacou o final “vermelho” com um “tiro que acaba com barulho”. Nas páginas interiores de “A Bola”, lia-se que o Benfica teve “a tal estrelinha”, enquanto ao F.C. Porto faltou “o tal estofo” numa final “com muito fraco nível técnico”. Além de Carlos Manuel, “o grande pivot”, o jornal destaca ainda as exibições de Bento, que “defendeu a vitória”, de Pietra, que “realizou uma primeira parte impecável”, e ainda José Luís, “o que mais perigo criou”. Do lado da equipa do Porto, Vítor Serpa dizia que “João Pinto, Eurico e Jaime Pacheco estiveram muitos furos acima dos seus companheiros”. O jornal “Record” destaca uma “exibição de laboratório e cabeça fria”, liderada por Stromberg e Carlos Manuel, que “constituíram uma fonte inesgotável de empenho, dedicação e força”, promovendo o desequilíbrio do “fiel da balança no meio-campo”.

Terminou desta forma, com contornos de humilhação para os azuis e brancos, uma das histórias mais polémicas de sempre do futebol Português, o Benfica arrecadou a 8.ª dobradinha do seu historial depois de perder uma final da taça UEFA com o Anderlech, curiosamente na época seguinte o Porto perdeu também uma final Europeia com a Juventus, precisamente a Taça das Taças, competição para a qual tinha garantindo o apuramento através da presença nesta polémica final com o campeão nacional.


Fonte: http://www.futeboldeataque.blogspot.com/

red_label

  • Eusébio
  • ******
  • "São coisas da natureza a pequena folha e a flor que vão crescer e ser mundo" Sócios - 46755 e 92685
  • Mensagens: 27161
  • 14 de Outubro de 2005, 15:24
Thoe essa é mesmo, como dizer...no meio deles (dos) ;D

PS: Q cena triste li nesse blog, não o conhecia.

angelred

  • Iniciado
  • *
  • Lisboa
  • Mensagens: 196
  • 14 de Outubro de 2005, 17:52
Parabéns pelo tópico! Das história da taça já não me lembrava! O gurada Abel continua em "alta"! Foi ele que o ano passado fez a "segurança" à Catarina no meio dos super-dragões!

slbfuckfcp

  • Eusébio
  • ******
  • VASCO DA GAMA & BOLA 7, INC.
  • Mensagens: 26557
  • sim sou sócio... obrigado SLB
  • 14 de Outubro de 2005, 17:55
 ;D

Força BENFICA:.............e que seja uma segunda feira bem concorrida aqui no fórum.pela positiva..

Bola7

  • Eusébio
  • ******
  • San Sebastian
  • Mensagens: 120039
  • Perdido no limbo do serbenf
  • 14 de Outubro de 2005, 18:20
Estive lá nesse jogo... ::) que saudades do rei artur a correr atraz do fiscal de linha... 8)

Manel dos Anzois

  • Eusébio
  • ******
  • Mensagens: 14870
  • 03 de Agosto de 2008, 17:25
Imagem do dia 28 de Abril de 1991, a quando do FC Porto - SL Benfica, realizado no Estádio das Antas.

 

Cesar Brito entrou em campo a 9 minutos do final da partida. Segundos depois marca o primeiro golo e  sem dó nem piedade, corta pela raíz as ténues esperanças andrades com novo golo, 4 minutos depois.
O Benfica conquistava assim o Campeonato Nacional de 90-91.
Foi o delirio Benfiquista por todo o Mundo mas muito em especial para aqueles que estiveram presentes nas Antas.


Capa da "Bola"

« Última modificação: 24 de Abril de 2012, 02:11 por Manel dos Anzois »

Shoky

  • Colaborador
  • ******
  • Mensagens: 169863
  • 17 de Agosto de 2008, 15:59
"Memorias de um classico

1990/1991 se não foi a época mais polémica do futebol português, terá andado perto. O Verão voltou a ser quente, com o Benfica a roubar Rui Águas ao FC Porto, vingando-se, dois anos depois, do assalto ao forte encarnado movido por Pinto da Costa e seus pares. O mote para a época estava dado. O Sporting, de Marinho Peres, entra no campeonato com a força toda e rapidamente se isola no comando. No entanto, Novembro chegou - trazendo também o escandalo de corrupção na arbitragem relacionado com Francisco Silva - e o Sporting começou a escorregar, perdendo também os confrontos com FC Porto e Benfica, começando a ficar irremediavelmente afastado do título, com a aposta em António Dominguez, que veio a suceder a Marinho, a revelar-se mais um disparate de Sousa Cintra.
Reinaldo Teles, a meio da temporada, rompeu o seu tradicional silêncio para "atacar" Rui Águas, que confessava, entretanto, a sua satisfação pelo regresso à Luz: "Se não fosse o FC Porto, o Rui Águas ainda devia estar a ganhar 300 contos por mês. Agrada-me a transformação que sofreu. Agora até é uma pessoa extrovertida. Mas compreendemos. Por meio milhão de contos não pode limitar-se a marcar golos.. tem que dizer algo".
As deslocações fora do FC Porto estavam a ser complicadas, com os jogos a serem marcados por casos atrás de casos e a violência a atingir momentos bem delicados, sobretudo em Faro e em Guimarães, onde Pinto da Costa e Reinaldo Teles terão mesmo sido agredidos, com o presidente portista a levar com uma pedrada na cabeça. A responsabilidade, segundo os dirigentes do FC Porto, era de Pimenta Machado. Reinaldo Teles deu a resposta: "Fala-se que nós andamos de pistolas, metralhadoras, guarda costas, mas, na verdade, o nosso presidente é que tem sido agredido, sem quaisquer hipóteses de defesa. De duas uma: ou os capangas são imaginação de alguns D.Quixotes do nosso futebol ou precisamos de renovar o pessoal devido à sua ineficácia".
No Benfica, que se mantinha a par do FC Porto, o ambiente interno também não era o melhor - Diamantino, o "capitão" dispensado, lançava duras críticas a Gaspar Ramos, acusando o chefe do departamento de futebol do Benfica de "incompetência", e de uma política de "falsidade" e "mentiras", deixando também uma mensagem a Valdo: "Eu nunca deixei de jogar, mesmo ganhando 300 contos por mês. Nunca fui jogador de pseudo-lesões". Valdo, que queria ter saído para a Fiorentina, no defeso anterior, não gostou do que ouviu e respondeu: "A Fiorentina oferecia-me muito dinheiro e claro que fiquei perturbado, pois a minha independência financeira foi posta em causa. Mas nunca fui grevista, nem inventei lesões. Fiz muito sacrificios pelo Benfica. Deixem-me em paz, porque o que eu quero é jogar à bola!".
No FC Porto, no entanto, o início do ano de 1991 também trouxe casos. Madjer queria sair para o Valência, mas Pinto da Costa não deixou, com o argelino a entrar em guerra com Artur Jorge, que, por vezes, deixava-o de fora dos convocados: "É pena não ser o Pinto da Costa a fazer a equipa. Dá-me vontade de rir, quando vejo que nem no banco tenho lugar". Artur Jorge ripostou: "Quem teima em jogar como quer e não como eu quero - não joga!".
E, no final de Janeiro, estoura a grande bomba: por decisão da direcção do FC Porto, Geraldão é afastado do plantel. Tudo porque Pinto da Costa descobriu que o central brasileiro, que marcara vários golos decisivos de livre, assinara um pré contrato com o Benfica, pois Gaspar Ramos mantinha vivo o sonho de construção de um Benfica Europeu, com Geraldão e Ricardo no centro da defesa. Mês e meio passou, e o FC Porto perde a liderança para o clube da Luz, com Pinto da Costa preocupado, a fazer regressar Geraldão do Brasil, para voltar a dar coesão defensiva ao conjunto portista.
Chegava-se ao final de Abril, e o FC Porto, em véspera de receber o Benfica, com um ponto de atraso, vai vencer a Alvalade, com a fantástica chapelada de Jorge Couto a Ivkovic. Sousa Cintra, no final do jogo, queixava-se da arbitagem de Bento Marques, que, em abono da verdade, prejudicou os dois clubes. O jogo do título vinha a seguir.
Na véspera do FC Porto-Benfica, Artur Jorge lança o veneno: "Tendo em conta o passado recente e menos recente do futebol português, Carlos Valente não deveria ter sido nomeado para este jogo". Os seus adjuntos também disparam balas - Hernâni Gonçalves falava de arbitragem: "O Benfica quer manobrar a arbitragem, quer pressionar os árbitros", enquanto Octávio Machado desbrava fantasmas: "O Benfica que não se preocupe com a água, pois já contratamos uma empresa de aspiradores para sugar a relva e, com um bocadinho de jeito, ainda pedimos emprestado um tapete de veludo vermelho ao Papa". Eriksson manteve-se indiferente e antes de a equipa partir de comboio em direcção ao Porto, disse aos adeptos benfiquistas que foram despedir-se da equipa a Santa Apolónia aquilo que eles queriam ouvir: "Adeus, até ao nosso regresso, como campeões".
A chegada do Benfica às Antas foi marcada por um ambiente de perfeito terror. A recepção ao autocarro encarnado foi feita com pedras e mais pedras, dando razão ao cartaz exibido na superior sul: "Ides sofrer como cães". Os jogadores encarnados viram-se obrigados a equipar no corredor, onde estavam vários elementos da organização portista, já que os balneários encarnados tinham sido impregnados de um cheiro nauseabundo, impedindo Eriksson de fazer a habitual palestra antes dos jogos. Mas, no campo, o Benfica venceu por 2-0, com Svennis a fazer sair do banco César Brito, que apontou os dois golos da última vitória encarnada nas Antas até hoje. O título, com a vantagem de 3 pontos, ficava mais perto. Só que este FC Porto-Benfica não morreu aqui, pois a arbitragem de Carlos Valente veio a dar muito que falar, assim como histórias em volta dos seus fiscais de linha.
No final do jogo, Artur Jorge foi irónico com Eriksson: "O Eriksson hoje é óptimo e eu não valho nada". Eriksson radiante, preferiu não falar, deixando as palavras para Toni: "Foi uma vitória justa, mas feliz. O campeonato, no entanto, ainda não está ganho". A saída de Carlos Valente dos balneários foi marcada pelo dramatismo. Só muito a custo a polícia conseguiu retira-lo do estádio, no meio de insultos e algumas agressões, que o deixaram a cambalear. Valente, no entanto, negou tudo, dizendo apenas que "Vou dormir bem, com a consciência tranquila". Pinto da Costa, no entanto, não tardou em ripostar: "Carlos Valente teve um comportamente provocatório, chegando a insultar o banco do FC Porto", apoiado por Reinaldo Teles que acrescentou: "Ele teve um comportamento anormal e despropositado, chegando mesmo a perguntar-me se eu era o delegado ao jogo". Hernâni Gonçalves, em nome da equipa técnica, também largou os seus tradicionais 'bitaites': "O cerne da questão era o espectro de após o investimento de milhões, o Benfica não ganhar nada numa época, depois de outra sem nada ter ganho. Era a catastrofe, o 'hara-kiri' de uma direcção. Agora entendo porque os benfiquistas proclamavam aos quatro ventos que o Campeonato não chegaria ao fim se não fossem campeões".
À chegada a Lisboa, João Santos atacou Pinto da Costa e seus pares: "Houve cenas incriveis nas Antas, de intimidação à equipa e apoiantes. Os portistas criaram um clima de pânico, lançando mesmo o boato de que o árbitro teria almoçado connosco. Não deixaram os nossos jogadores equiparem-se no balneário, encharcaram as faixas laterais, e no final ainda aquelas cenas de pancadaria, com os nossos dirigentes a serem agredidos. Tudo isto porque os dirigentes do FC Porto ficaram em pânico, ao sentirem o campeonato perdido". E destas agressões, sairia do anonimato o nome do Guarda Abel, que, pouco tempo depois, numa tomada de posse da direcção do Salgueiros, ameaçou o presidente encarnado: "Aqui ou em Lisboa, hei-de mata-lo". Pinto da Costa, apercebendo-se da situação delicada, demoveu-o de tal atitude. João Santos, a salvo, traçou o perfil do Guarda Abel: "Esse senhor, um verdadeiro arruaceiro, protagonizou desacatos e desmandos, nas instalações das Antas, antes do FC Porto-Benfica. Não sei se este individuo tem protecção de alguém, mas o que é certo é que impediu os nossos dirigentes de acederem à cabina do Benfica no final do jogo, dizendo que estava a cumprir ordens de Pinto da Costa", acusando ainda a policia fardada, onde Abel estaria incluido, de ter pontapeado dirigentes encarnados dentro da zona protegida.O Benfica conseguia o seu penúltimo título nacional, a duas jornadas do fim. No entanto, Artur Jorge vingar-se-ia a frio: partiu para o Paris Saint Germain, destruindo a equipa encarnada, levando consigo Ricardo Gomes, Valdo e... Geraldão. O Benfica europeu de Jorge de Brito e Gaspar Ramos morria à partida, um par de anos mais tarde Artur Jorge volta ao futebol português imagine-se ao Benfica por a mão de Manuel Damasio sugerido por Pinto da Costa(sem maldade nenhuma) onde manda 23 campeões nacionais embora e vai buscar jogadores desconhecidos ou em final de carreira por balurdios delapidando tanto o patrimonio desportivo como financeiro do Benfica."

fonte: http://thebestofnoko.blogspot.com/

Antes do Apito Dourado era assim:  :D

Tendo em conta as pedradas que o autocarro do Benfica levou na deslocação a Penafiel por "anónimos" equipados com roupa marca Super Dragões, mas claro, ninguém viu nada, melhor que isto só em Palermo, Sicília ciao.
O petardo nas trombas com que saudaram o nosso jogador de hóquei, sem falar nos espancamentos a velhos e crianças na Avenida dos Aliados no Porto, este ano os Andrades andam a espumar de raiva ainda mais do que é habitual porque fomos campeões, e se eu fosse a apostar, amanhã à noite, acho que se vão assistir a algumas cenas muito pouco condizentes com aquilo que deve ser o futebol por parte dos Super Gayzões. Quem me dera que não.  :police:

Saudações Encarnadas

ismo

  • Iniciado
  • *
  • Mensagens: 6925
  • 18 de Agosto de 2008, 13:00
Confesso que me deu algum gozo ler este "Memórias de um clássico". Especialmente a parte:

"Eriksson manteve-se indiferente e antes de a equipa partir de comboio em direcção ao Porto, disse aos adeptos benfiquistas que foram despedir-se da equipa a Santa Apolónia aquilo que eles queriam ouvir: "Adeus, até ao nosso regresso, como campeões".

Há senhores no meio da rasquice generalizada..

Elvis the Pelvis

  • Eusébio
  • ******
  • This thorn in my side is also from a tree i've planted, it tears me and i bleed...
  • Mensagens: 45486
  • 18 de Agosto de 2008, 13:31
Bom jogador, grande benfiquista!

Slayer

  • Eusébio
  • ******
  • Lisboa.
  • Mensagens: 6958
  • O CAMPEÃO VOLTOU!
  • 18 de Agosto de 2008, 14:01
Ave César !  :bandeiraslb:

nucleopn

  • Iniciado
  • *
  • Eu Amo o Benficaaaaaa
  • Mensagens: 2105
  • 08 de Setembro de 2008, 00:28
Estive nas Antas, a ver o jogo mais marcante da sua carreira