SL Benfica 3 x 3 Sporting CP

  • Hoquei
  • Seniores
  • 2020/2021
  • Taça 1947
Competição
Data
Dom, 13 Dezembro, 2020, 15:00
Estado
Realizado
Transmissão televisiva
ABola TV

 

BENFICA VENCE ETERNO RIVAL E ERGUE A TAÇA 1947!

 

As águias demonstraram raça, crer e ambição até ao fim do encontro. Pedro Henriques voltou a ser herói nas grandes penalidades e Nicolía concretizou o tento que permitiu ao Clube da Luz vencer a competição. 

 

 

Benfica venceu a primeira edição da Taça 1947 de hóquei em patins! As águias empataram 3-3 com o Sporting no tempo regulamentar (prolongamento incluído), mas nas grandes penalidades voltou a haver mestria por parte dos comandados de Alejandro Domínguez (3-2). Mais um troféu para o Museu Benfica – Cosme Damião!

 

O início do encontro, no Pavilhão Municipal do Luso, mostrou duas equipas bastante subidas, tentando provocar algum desconforto ao adversário na tomada de decisão. Esta estratégia impedia que houvesse tantos lances de um para um, ou até mesmo remates de meia distância. Aos 7', e depois de estarem durante algum tempo dentro da meia pista encarnada, os verdes e brancos chegaram ao tento inaugural. Gonzalo Romero optou pela meia distância e foi feliz (0-1). Um remate rasteiro com a bola a entrar junto ao poste direito da baliza à guarda de Pedro Henriques

 

Os comandados de Alejandro Domínguez optavam por fazer um jogo mais direto. Miguel Vieira e Lucas Ordoñez atuavam mais perto da baliza de Ângelo Girão, enquanto Carlos Nicolía e Valter Neves tentavam assistir os colegas da melhor maneira. Aos 10' houve mesmo um remate do camisola 9 das águias ao poste direito da baliza leonina.

 

Aos 18'Miguel Vieira dispôs de uma ótima oportunidade para empatar. O jogador encarnado aproveitou uma falha da defesa do Sporting, partiu para o contra-ataque, mas no momento do remate, já cara a cara com Ângelo Girão, não conseguiu desviar a bola do guarda-redes contrário. O Clube da Luz queria chegar ao empate e ia cercando os jogadores adversários perto da baliza contrária, contudo, a oportunidade certa para concretizar teimava em não aparecer. Ao intervalo: 0-1.

 

 

No recomeço da partida o Sporting conseguiu dilatar a vantagem... Ferran Font mudou de velocidade, deixou para trás os jogadores encarnados e, já em queda, conseguiu atirar para o fundo da baliza à guarda de Pedro Henriques (0-2 aos 29'). Um remate cruzado com o esférico a entrar perto do poste esquerdo. O Sporting estava a falhar em algumas marcações e quem aproveitou foi o Benfica.

 

O golo das águias acabou por chegar dois minutos depois... Diogo Rafael, aos 31', avançou pelo lado esquerdo, chegou perto da baliza contrária e tentou assistir Lucas Ordoñez. O passe saiu com alguma força, a bola bateu no patim de Matias Platero e entrou na baliza (1-2).

 

Os hoquistas benfiquistas estavam mais ativos dentro do rinque. Mesmo na iminência de poderem cometer a décima falta, as águias precisavam de estar na posse da bola para tentar chegar ao golo... Miguel Vieira fez a décima falta e o árbitro apontou para a marca de livre direto. Ferran Font, especialista nestes lances, aproveitou, e depois de executar a "picadinha", fez o terceiro golo do Sporting aos 41' (1-3).

 

 

Aos 45', o Sporting cometeu grande penalidade e Carlos Nicolía não vacilou (2-3). Ângelo Girão opôs-se ao primeiro remate do argentino, mas na recarga já não teve reflexos para defender. O ímpeto encarnado continuava e o golo do empate chegou no minuto seguinte! Lucas Ordoñez foi chamado a bater o livre direto pela décima falta do adversário e, após uma cobrança exímia, gritou-se golo do Benfica (3-3 aos 46'). Até ao final do tempo regulamentar houve bastante medo de errar e o resultado manteve-se em 3-3.

 

Uma primeira parte do prolongamento com muitas transições de lado a lado. Pedro Henriques e Ângelo Girão não foram chamados a intervenções complicadas, simplesmente tiveram de estar mais atentos aos remates de meia distância. No segundo tempo os ferros foram protagonistas... Valter Neves ficou muito perto do golo ao rematar à barra da baliza, e depois foram as intenções de Pedro Gil a baterem no poste direito encarnado. 

 

Assim sendo a decisão foi para as grandes penalidades. Aqui, o Benfica foi mais forte e venceu por 3-2. Verona rematou para defesa de Pedro HenriquesLucas Ordoñez também não concretizou; Platero não marcou, Valter Neves também não; Pedro Gil marcou a grande penalidade, Diogo Rafael também não falhou; Toni Pérez não conseguiu bater Pedro Henriques, Edu Lamas não vacilou e fez mexer as redes; Gonzalo Romero marcou, Nicolía deu a vitória ao Benfica (3-2)As águias ergueram assim o troféu referente à 1.ª edição da Taça 1947!!!

 

 

DECLARAÇÕES

 

Alejandro Domínguez (treinador do Benfica): "As minhas primeiras palavras vão para o adversário: o Sporting foi uma grande equipa, capaz de, em muitos momentos do jogo, ultrapassar a nossa pressão e ser melhor que nós. Fez um grande jogo. Mas hoje era uma final, e as finais são momentos de carácter, de energia coletiva, e esta equipa demonstrou que tem um espírito, uma garra, uma força quando quer algo, perseguindo esse objetivo com persistência. É fruto de muito trabalho. Sei que não fizemos o melhor jogo do ano, mas somos os primeiros campeões da Taça 1947 de forma muito merecida, com muito trabalho. Estou muito feliz pelos jogadores e pelos nossos adeptos, porque sei que estão sempre a apoiar-nos para que tenhamos sucesso. O Benfica é um clube de grande envergadura, muito exigente, e isto é o que as pessoas do nosso clube merecem. E é o que temos de dar-lhes muito mais vezes. Agora vamos desfrutar, bem, e voltar ao trabalho."

 

 

Valter Neves (capitão do Benfica): "Esta conquista foi bastante saborosa a vários níveis. Viemos de um período de confinamento em que estivemos, muito de nós, debilitados, que mandou muito abaixo a nossa parte física. Tivemos de recuperar numa semana, logo fomos jogar a Barcelos para o Campeonato. Passados quatro dias estávamos a jogar aqui contra o Barcelos, ainda a tentar encontrar os nossos índices de forma e confiança. Ganhámos! Depois tivemos pela frente a Oliveirense, uma excelente equipa, de Liga dos Campeões. Vencemos! E na final defrontámos o Sporting, uma equipa que, como nós, tem o objetivo de vencer tudo. Tivemos um caminho muito complicado e transcendemo-nos para ganhar esta primeira Taça 1947. Por tudo isto, o que fizemos aqui tem um valor enorme. Eu, o Diogo Rafael e o Pedro Henriques já tínhamos conquistado todos os títulos pelo Benfica por mais do que uma vez, mas a verdade é que, ao de dia de hoje, faltava-nos este. Estamos todos muito orgulhosos, mas a verdade é que queremos mais. Estamos focados que este seja o primeiro de muitos títulos nesta época, é isto que nós sentimos."

 

 

Carlos Nicolía ("Homem do Jogo"): "Estamos no melhor campeonato do mundo, trabalhamos todo o ano para estes resultados! Estamos muito felizes por conquistarmos a primeira edição desta Taça, e esperamos que seja a primeira de muitas! O Sporting tem uma grande equipa, sabíamos que ia ser muito difícil, mas, mesmo em desvantagem, nunca damos um jogo por perdido até ao último segundo. Fizemos tudo para recuperar e chegar a este triunfo. Aproveito para dedicar esta vitória à minha mulher e ao meu filho, que estão sempre comigo."

 

FICHA DE JOGO

 

Local: Pavilhão Municipal do Luso

 

Cinco inicial do Benfica: Pedro Henriques, Valter Neves, Edu Lamas, Diogo Rafael e Lucas Ordoñez

 

Suplentes: Marco Barros (NJ), Carlos Nicolía (J), Sergi Aragonès (J), Gonçalo Pinto (J) e Miguel Vieira (J)

 

Ao intervalo: 0-1

 

Marcadores do Benfica: Diogo Rafael (31'), Carlos Nicolía (45'), Lucas Ordoñez (46')

 

Árbitros: Joaquim Pinto, Luís Peixoto e João Duarte

 

GALERIA DE IMAGENS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Informação do Jogo: https://www.slbenfica.pt/pt-pt/agora/noticias/2020/12/13/hoquei-em-patins-modalidades-direto-benfica-sporting-final-taca-1947

 

Onze Inicial

Banco

Treinador

Momentos

Onze Inicial

Banco

Treinador

Momentos

Coming soon

Notícias relacionadas

Nenhum item encontrado