Rui Vitória: “Este lote de jogadores dá-nos garantias”
Sáb, 11/18/2017 - 22:16
Fonte
slbenfica.pt

Rui Vitória analisou o jogo da Taça de Portugal com o V. Setúbal, que redundou na passagem do Benfica para os 16 avos de final após triunfo, por 2-0.

 

“Uma partida bem disputada, em que uma equipa sabia que ia ficar pelo caminho. Entrámos fortes, dinâmicos. Marcámos um golo e poderíamos ter feito mais. Na segunda parte controlámos o jogo, marcámos mais um golo. A vitória é justa”, afirmou.

 

Uma vez mais, depois de Guimarães, o Benfica voltou a entrar em 4x3x3. O técnico mostrou-se satisfeito com a dinâmica do coletivo, mas lembra que há detalhes a afinar.

 

“Para este jogo tínhamos a ideia de jogar neste sistema de 4x3x3. Ainda há nuances a melhorar, mas era para aí que queríamos ir. O que há a realçar é o seguinte: jogando com um ou com outro jogador, com um ou dois avançados, a equipa deu resposta e interpretou bem o que queríamos”, elogiou.

 

Neste sistema, Jonas é a referência ofensiva. Foi-o em Guimarães e agora, com o V. Setúbal, voltou a sê-lo. Rui Vitória explicou o que pode ganhar a equipa.

 

“Em Guimarães utilizámos o Jonas na frente de ataque. Tem um faro enorme pelo golo, que centraliza a atenção dos centrais adversários e os jogadores que estão perto dele têm outra amplitude, nomeadamente o Pizzi e o Krovinovic. Hoje não marcou, mas tem muita qualidade”, esclareceu.
Para esta partida foram operadas várias alterações no onze inicial, pois todos os que estão no plantel contam.

 

“Temos um lote de jogadores em que todos têm capacidade de jogar. Infelizmente só podem jogar 11. Mudámos jogadores para este jogo e deram boa resposta em campo. O futebol e a época são feitos de ciclos. Os jogadores dão-nos garantias para os jogos que aí vêm”, assegurou.

 

E completou: “As alterações têm a ver com vários aspetos. A equipa que jogou, fora o Samaris, esteve a trabalhar connosco durante a semana das seleções; o Keaton trabalhou na posição 6, mas preferi o Samaris, porque o contexto era diferente.”
Durante a análise ao jogo da Taça de Portugal, Rui Vitória recordou que a época é longa e que a gestão do grupo de trabalho tem de ser feita com critério.

 

“Quando chegamos ao final da época percebemos que todos tiveram oportunidade. Uns jogam mais do que outros, mas quem entrou neste jogo respondeu bem. Infelizmente tenho de deixar alguns de fora, mas os jogadores têm de dizer presente nos momentos que aparecem, e têm-no feito”, disse.
Dois dos que tiveram oportunidade de se mostrar ao técnico foram Rafa e Douglas. As prestações foram positivas.

 

“Eu ou qualquer treinador temos esta visão: todos os jogadores têm oportunidade de jogar, uns mais do que outros. O que digo é que todos têm oportunidade de jogar, só resta aproveitar. Gostei da prestação que Rafa e Douglas tiveram. Corresponderam à expectativa que tinha para eles neste jogo”, admitiu Rui Vitória.

 

Também Bruno Varela voltou a ocupar a baliza encarnada depois do desaire no Bessa. Não sofreu golos e esteve seguro.

 

“Qualquer jogador do Benfica pode ser titular a qualquer momento. Esta é a minha forma de trabalhar. Ao longo da época há oportunidades que surgem mais cedo ou mais tarde. Quando escolho os jogadores estou à vontade porque o faço em consciência”, revelou.

 

A finalizar deu conta do estado clínico de Samaris. O grego foi substituído no decorrer do encontro com os sadinos.

 

“Não acho que seja grave o que se passa com o Samaris. Sentiu um incómodo e preferimos tirá-lo de jogo”, referiu.

 

 

https://www.slbenfica.pt/pt-pt/agora/noticias/2017_2018/11/18/rui-vitoria-benfica-vitoria-setubal-taca-portugal-declaracoes