Country
Portugal

Alhinho

Nome completo
Carlos Alexandre Fortes Alhinho
Data de nascimento
1949-01-10
Periodo no Benfica

1976 - 1981

Primeiro jogo

SL Benfica 2 x 1 Boavista

Domingo, Outubro 24, 1976 - 00:00

Estádio da Luz ,

SL Benfica: Bento, Alhinho, Barros, António Bastos Lopes, Pietra, Vítor Martins (José Luís [59m]) (José Luís [59m]), Toni, Romeu, Nené, Nelinho, Vitor Baptista
Coach: John Mortimore
Golos: Nelinho (79), Vitor Baptista (56)

Último jogo

SL Benfica 3 x 0 Boavista

Domingo, Janeiro 11, 1981 - 00:00

Estádio da Luz ,

SL Benfica: Bento, Veloso, Alhinho (César [86m]) (César [86m]), Pietra, António Bastos Lopes (Frederico [69m]) (Frederico [69m]), Humberto Coelho, Shéu, João Alves, Chalana, Nené, Reinaldo
Coach: Lajos Baroti
Golos: Humberto Coelho (13), Humberto Coelho (20), João Alves (83)

25669 - Tópico: Alhinho  (Lida 14114 vezes)

ednilson

  • Eusébio
  • ******
  • Luis Filipe Vieira e os 83%
  • Mensagens: 39028
  • 31 de Maio de 2008, 19:55

 

Nome Completo: Carlos Alexandre Fortes ALHINHO
Posição: Defesa Central
Nacionalidade: Português (Internacional A)
Data de Nascimento: 10-01-1949
Data de Falecimento: 31-05-2008

Número da Camisola: ?
Pé Preferido: Direito


Épocas ao serviço do Benfica: 4

Total de Jogos pelo Benfica: 90
Total de Golos pelo Benfica: 2
Títulos pelo Benfica:
2 Campeonatos Nacionais (1976/77, 1980/81)
2 Taças de Portugal (1979/80, 1980/81)

1 Supertaça (1980/81)

1976/1977
Jogos: 25
Golos: 2 (2 na Liga)

1978/1979
Jogos: 33
Golos: 0

1979/1980
Jogos: 26
Golos: 0


1980/1981
Jogos: 6
Golos: 0
« Última modificação: 30 de Outubro de 2013, 04:58 por Shoky »

Eagle Fly Free

  • Iniciado
  • *
  • Mensagens: 6036
  • 31 de Maio de 2008, 19:56
Carlos Alexandre Alhinho. São Vicente. Cabo Verde. 10 de Janeiro de 1949. Defesa
Épocas no Benfica: 4 (76/80). Jogos: 90. Golos: 2. Títulos: 2 (Campeonato Nacional) e 2 (Taça de Portugal) e 1 (Supertaça).
Outros Clubes: Académica, FC Porto, Sporting e Portimonense. Internacionalizações: 15.


Equipa 1978/1979

A  meio da década de 70, a cadeia de comando do sector defensivo do  Benfica desmoronou-se com a saída de Humberto Coelho. Ainda assim, na  ausência do líder carismático (75-77), nem por isso o clube deixou de  saborear dois títulos nacionais. Uma escrupulosa colecção de centrais  foi a terapêutica em boa hora perfilhada. António Bastos Lopes (também  lateral-direito), Eurico, Messias, Alhinho e Barros (também  lateral-esquerdo) integraram o plantel naquela temporada de 76/77. A  novidade era o internacional de origem cabo-verdiana, então com 27  anos, já campeão nacional pelo Sporting, oriundo do Bétis de Sevilha.

Carlos  Alhinho era a experiência acumulada. Dotado de excelente sentido  posicional, consistente no jogo aéreo, firme na marcação. Capaz de sair  a jogar com autoridade, forte no contexto emocional, logo se tornou um  bem-avindo na retaguarda benfiquista. Reencontrou o sucesso com o  título de campeão e sucessivas chamadas à equipa nacional. De tal sorte  que uma irresgatável proposta do Racing White, da Bélgica, o conduziu a  nova aventura, em 77/78, data do regresso apoteótico de Humberto Coelho.

No  ano seguinte, então sim, novamente na Luz, contrato assinado por três  temporadas, fez dupla com o capitão, seguramente a melhor e mais  harmoniosa da época. Em todo o caso, o desenlace não correspondeu ás  expectativas, quedando-se o Benfica pela segunda posição, mesmo que a  um só ponto do campeão FC Porto. Nessa prova, o triunfo folgado (5-0)  sobre o Sporting, com todos os golos obtidos na metade inaugural,  constituiu o marco mais saliente da prestação encarnada.

Voltou  a penar na temporada seguinte, com o Sporting a impor-se, já João  Laranjeira, por coincidência velho companheiro das sagas de Alvalade,  engrossava o lote de centrais do Benfica. A final da Taça lenitivo foi,  com triunfo arrancado ao FC Porto, graças a um golo solitário do  brasileiro César.

O regresso às vitórias estava aprazado para o  ano imediato. Com Lajos Baroti, deu Campeonato, deu Taça, deu  Supertaça, deu até meias-finais da Taça das Taças. Mas já deu menos  Alhinho, inferiorizado por lesões várias e numa idade em que a  recuperação se apresentava mais penosa. Adivinhava-se o adeus.

Não  desmereceu a passagem pelo clube. Carlos Alhinho, prolongamento da  legião africana de futebolistas com generosidade e arte, ajudou, no seu  tempo, à criação de sinergias num Benfica em fase de adaptação aos  novos tempos.



Tópico: Memorial Benfica, Glórias
Autor: Ednilson
Link: http://www.serbenfiquista.com/forum/index.php?topic=22362.0
« Última modificação: 05 de Novembro de 2010, 15:12 por Shoky »

m20

  • Eusébio
  • ******
  • Mensagens: 51678
  • 31 de Maio de 2008, 19:57
descanse em paz!!!  :bow2:

46Rossi

  • Eusébio
  • ******
  • Mensagens: 66329
  • o Monstro e o Rei, Obrigado!!
  • 31 de Maio de 2008, 19:57
RIP
 :cry2: :cry2: :cry2:

JoMi¹¹

  • Iniciado
  • *
  • Mensagens: 15949
  • Glorioso só há um! O Benfica e mais nenhum!
  • 31 de Maio de 2008, 20:04
RIP :'(

mar_vivo

  • Eusébio
  • ******
  • Mensagens: 11504
  • 31 de Maio de 2008, 20:07
Carlos Alhinho, um senhor!  :bow2:
RIP :cry2:

Eagle Fly Free

  • Iniciado
  • *
  • Mensagens: 6036
  • 31 de Maio de 2008, 20:08
Benguela, Angola, 31 Mai (Lusa) - O treinador de futebol Carlos Alhinho, antigo jogador do Benfica, Sporting e FC Porto, morreu hoje em Benguela, Angola, vítima de uma queda acidental num fosso de elevador de um hotel, disse à Agência Lusa fonte da unidade hoteleira.

O antigo internacional português, 59 anos, que também representou como jogador o Portimonense e a Académica, caiu no fosso do elevador do Hotel M'ombaka, no sexto piso, alegadamente por ter confiado na informação do mostrador do ascensor, que indicava que se encontaria ali.

Segundo testemunhas oculares, foi tentada no local a reanimação do antigo treinador de futebol, que estava em conversações com a equipa local Primeiro de Maio.

Carlos Alhinho nasceu em São Vicente, Cabo Verde, a 10 de Janeiro de 1949, tendo-se estreado como internacional A de Portugal em 1973 (28 de Março), frente à Irlanda do Norte, pela mão de José Augusto. Foi internacional português 15 vezes.

Como treinador, assumiu o comando de Angola e de Cabo Verde, além de vários clubes.

JFF/RPM.

Lusa/Fim

---------

Sinceramente, que morte tão estúpida. :disgust:

As minhas condolências à família.  :cry2:

Ronald1nh0

  • Eusébio
  • ******
  • Mensagens: 14043
  • 31 de Maio de 2008, 20:20
Este tipo de mortes a mim ainda caem pior que as por "causas naturais"...  :disgust: :disgust: :disgust:

Descansa em paz Carlos Alhinho. :cry2: :cry2: :cry2:

KATAMARAN

  • Iniciado
  • *
  • Mensagens: 774
  • 31 de Maio de 2008, 20:23
Fogo acordei agora e levo com esta, que xatice.

mMateus

  • Eusébio
  • ******
  • Mensagens: 19822
  • 31 de Maio de 2008, 20:26
Descansa em Paz Campeão ...  :cry2:

KRF

  • Eusébio
  • ******
  • Mensagens: 309526
  • 31 de Maio de 2008, 20:30
Grande campeão

Paz à sua alma

 :cry2:

SevenStars

  • Velha Glória
  • *****
  • A minha Patria eh Benfica
  • Mensagens: 5308
  • A minha Patria eh o Benfica
  • 31 de Maio de 2008, 20:42
Que acidente estúpido!

Adeus Campeão. Paz à sua alma!

Preacher

  • Eusébio
  • ******
  • Philadelphia, PA
  • Mensagens: 17380
  • 31 de Maio de 2008, 20:43
RIP

O_Glorioso

  • Eusébio
  • ******
  • Presidente? Treinador? Eu quero melhor, quero um pino!
  • Mensagens: 23051
  • 31 de Maio de 2008, 20:45
Triste...  :cry2:

Descanse em paz, campeão!

Rui_Costa

  • Eusébio
  • ******
  • Mensagens: 29466
  • 31 de Maio de 2008, 20:47
CAMPEÃO DESCANSA EM PAZ :cry2: :cry2: :cry2: :(


 :bow2: :bow2: