Ricardo Gomes

Ricardo Gomes

Nome completo
Ricardo Gomes Raimundo
Peso
85
Altura
189
País
Brasil
Naturalidade
Rio de Janeiro
Data de nascimento
1964-12-13
Periodo no Benfica

1988 - 1996

Estatísticas

Sustentam os especialistas da coisa redonda que uma equipa deve ser edificada de trás para a frente. Um conceito que encerra já muito de modernidade. No Benfica, perante esse exercício, que de retórica não é, saltam logo à memória os nomes de Félix, de Germano, de Humberto Coelho. Também de Mozer, de Aldair, de Gamarra. E forçosamente, de Ricardo Gomes, o primeiro jogador que, não tendo chegado ao mundo em Portugal ou nas colónias, a braçadeira de capitão envergaria. Líder congénito, impunha de forma espontânea a sua autoridade, sem levantar a voz, sem espalhafato, sem jactância. Sabia cofiar as hostes, pioneiro no exemplo. O exemplo de um defesa imbatível.

Após ter chegado à final da Taça dos Campeões de 87/88, o Benfica perdeu, no ano seguinte, Dito e Rui Águas, depois de uma vil tramóia, congeminada em gabinetes nortenhos. Lamentava-se Toni, então treinador, que lhe haviam dado “dois tiros no porta-aviões”. Ferido o orgulho da águia, fria foi servida a vingança. Ricardo Gomes, pedra basilar do Fluminense e da selecção do Brasil, aterrava em Lisboa, rumo à vitória.



Debaixo se sol algarvio, abriu as hostilidades, pela primeira vez, frente ao Portimonense, na terceira ronda do Nacional, que o golo de Vata transformou em sucesso. Seguiu-se uma campanha quase sem mácula. O Benfica recuperaria o titulo nacional. Ricardo Gomes fez 31 jogos e apontou oito golos, quase todos decisivos, naqueles últimos minutos de assomo da onda vermelha. Com Mozer ao lado, no centro da defensiva, em 38 encontros, apenas 15 (!) bolas sofridas.

Desfeita a melhor dupla de sempre, recepcionou outro compatriota, também internacional, de seu nome Aldair. O Campeonato escapou, mas a presença na final dos Campeões (0-1), frente a um super-Milan, era sinal indicativo da vitalidade competitiva do clube. De resto, no ano seguinte, novo titulo nacional para o Benfica, com nove golos de Ricardo Gomes na prova.



Uma mala cheia de francos levou-a até à Cidade Luz, em representação do Paris Saint-Germain. Regressou em 95/96, 45 vezes internacional pelo escrete canarinho, sob o sábio e ternurento comando de Mário Wilson. No Jamor fez o aceno definitivo. Em glória.

Quatro épocas apenas jogou Ricardo Gomes no Glorioso. Só que mais pareceu uma eternidade, tão dominantes e sedutores foram os seus tempos. Agora, parece uma miragem. Assim se faz também o sortilégio do Benfica.

 

Épocas no Benfica: 4 (88/91 e 95/96)

Jogos: 140

Golos: 27

Títulos: 2CN, 1TP, 1ST

 

Texto: Memorial Benfica, 100 Glórias
Copiado de Ednilson

Títulos

Primeiro jogo

SL Benfica 1 - 0 CF Estrela Amadora

Seg, 15 Agosto, 1988

Estádio da Luz, Lisboa ,

SL Benfica: Dias Graça, Veloso, Mozer, Ricardo Gomes, Álvaro Magalhães, Hernâni, Abel Campos (Ricky [67m]), Valdo, Chalana (Ademir [54m]), Pacheco, Magnusson
Treinador: Toni
Golos: Mozer (5)

Último jogo

SL Benfica 3 - 1 Sporting CP

Sáb, 18 Maio, 1996, 17:00

Estádio Nacional, em Lisboa , RTP1

SL Benfica: Preud'homme, Calado, Hélder, Ricardo Gomes, Dimas, Paulo Bento, Bruno Caires (Marcelo [89m]), João Pinto, Kenedy (Iliev [85m]), Valdo, Mauro Airez (Paredão [83m])
Treinador: Mário Wilson
Sporting CP: Costinha, Nélson, Naybet, Luís Miguel, Marco Aurélio, Vidigal, Sá Pinto, Pedro Martins, Iordanov, Peixe, Afonso Martins
Treinador: Octávio Machado
Golos: Mauro Airez (09), João Pinto (39), João Pinto (67)

Iubire



Nome Completo: RICARDO GOMES Raimundo
Posição: Defesa Central
Nacionalidade: Brasileiro (Internacional A)
Data de Nascimento: 13-12-1964
Número da Camisola: 3
Pé Preferido: Esquerdo



Épocas ao serviço do Benfica: 4
Total de Jogos pelo Benfica: 140
Total de Golos pelo Benfica: 26
Títulos pelo Benfica:
2 Campeonatos Nacionais (1988/89, 1990/91)
1 Taça de Portugal (1995/96)


1988/1989
Jogos: 39
Golos: 8 (8 na Liga)

1989/1990
Jogos: 25
Golos: 5 (2 na Liga)

1990/1991
Jogos: 39
Golos: 9 (9 na Liga)

1995/1996
Jogos: 36
Golos: 4 (4 na Liga)

pcssousa

#1
Dnipro 0-3 Benfica | Taça dos Campeões Europeus 1989/90 - Quartos de Final (2ªMão)


Benfica 2-2 Porto | Campeonato 1990/91



Chaves 0-2 Benfica | Campeonato 1988/89


Ac.Viseu 0-1 Benfica | Campeonato 1988/89



Benfica 1-0 Sp.Espinho | Campeonato 1988/89


Felgueiras 1-2 Benfica | Campeonato 1995/96



Farense 0-2 Benfica | Campeonato 1988/89



V. Setúbal 2-2 Benfica | Campeonato 1988/89


Boavista 1-3 Benfica | Campeonato 1995/96


Benfica 3-0 E.Amadora | Campeonato 1988/89


Benfica 1-1 Nacional | Campeonato 1989/90




Beira-Mar 0-2 Benfica | Campeonato 1989/90


Freire

#2
Ricardo Gomes Raimundo. Rio de Janeiro, Brasil. 13 de Dezembro de 1964. Defesa.
Épocas no Benfica: 4 (88/91 e 95/96). Jogos: 140. Golos: 27. Títulos: 2 (Campeonato Nacional), 1 (Taça de Portugal) e 1 (Supertaça).
Outros clubes: Fluminense e Paris SG. Internacionalizações: Brasil.



Sustentam os especialistas da coisa redonda que uma equipa deve ser edificada de trás para a frente. Um conceito que encerra já muito de modernidade. No Benfica, perante esse exercício, que de retórica não é, saltam logo à memória os nomes de Félix, de Germano, de Humberto Coelho. Também de Mozer, de Aldair, de Gamarra. E forçosamente, de Ricardo Gomes, o primeiro jogador que, não tendo chegado ao mundo em Portugal ou nas colónias, a braçadeira de capitão envergaria. Líder congénito, impunha de forma espontânea a sua autoridade, sem levantar a voz, sem espalhafato, sem jactância. Sabia cofiar as hostes, pioneiro no exemplo. O exemplo de um defesa imbatível.

Após ter chegado à final da Taça dos Campeões de 87/88, o Benfica perdeu, no ano seguinte, Dito e Rui Águas, depois de uma vil tramóia, congeminada em gabinetes nortenhos. Lamentava-se Toni, então treinador, que lhe haviam dado "dois tiros no porta-aviões". Ferido o orgulho da águia, fria foi servida a vingança. Ricardo Gomes, pedra basilar do Fluminense e da selecção do Brasil, aterrava em Lisboa, rumo à vitória.




Debaixo se sol algarvio, abriu as hostilidades, pela primeira vez, frente ao Portimonense, na terceira ronda do Nacional, que o golo de Vata transformou em sucesso. Seguiu-se uma campanha quase sem mácula. O Benfica recuperaria o titulo nacional. Ricardo Gomes fez 31 jogos e apontou oito golos, quase todos decisivos, naqueles últimos minutos de assomo da onda vermelha. Com Mozer ao lado, no centro da defensiva, em 38 encontros, apenas 15 (!) bolas sofridas.

Desfeita a melhor dupla de sempre, recepcionou outro compatriota, também internacional, de seu nome Aldair. O Campeonato escapou, mas a presença na final dos Campeões (0-1), frente a um super-Milan, era sinal indicativo da vitalidade competitiva do clube. De resto, no ano seguinte, novo titulo nacional para o Benfica, com nove golos de Ricardo Gomes na prova.

Uma mala cheia de francos levou-a até à Cidade Luz, em representação do Paris Saint-Germain. Regressou em 95/96, 45 vezes internacional pelo escrete canarinho, sob o sábio e ternurento comando de Mário Wilson. No Jamor fez o aceno definitivo. Em glória.

Quatro épocas apenas jogou Ricardo Gomes no Glorioso. Só que mais pareceu uma eternidade, tão dominantes e sedutores foram os seus tempos. Agora, parece uma miragem. Assim se faz também o sortilégio do Benfica.



Tópico: Memorial Benfica, Glórias
Autor: Ednilson
Link: http://serbenfiquista.com/forum/index.php?topic=22362.180

Bola7

Citação de: Freire em 05 de Janeiro de 2007, 10:49
Que classe tinha Ricardo Gomes.

Ele e Humberto Coelhos os melhores centrais que vi de águia ao peito.
Hunta o Eurico, o Mozer, o Aldaír, o Raul e o Germano e eis os melhores centrais de sempre do futebol português...

Freire

Citação de: Bola7 em 05 de Janeiro de 2007, 14:16
Citação de: Freire em 05 de Janeiro de 2007, 10:49
Que classe tinha Ricardo Gomes.

Ele e Humberto Coelhos os melhores centrais que vi de águia ao peito.
Hunta o Eurico, o Mozer, o Aldaír, o Raul e o Germano e eis os melhores centrais de sempre do futebol português...

Raul e Germano não vi jogar.
Eurico, Mozer e Aldair não tinham o nivel dos outros 2.

Bola7

Citação de: Freire em 05 de Janeiro de 2007, 14:40
Citação de: Bola7 em 05 de Janeiro de 2007, 14:16
Citação de: Freire em 05 de Janeiro de 2007, 10:49
Que classe tinha Ricardo Gomes.

Ele e Humberto Coelhos os melhores centrais que vi de águia ao peito.
Hunta o Eurico, o Mozer, o Aldaír, o Raul e o Germano e eis os melhores centrais de sempre do futebol português...

Raul e Germano não vi jogar.
Eurico, Mozer e Aldair não tinham o nivel dos outros 2.
Talvez...mas estão num patamar muito acima por exemplo dos actuais centrais do futebol Português...a jogar por cá...

Ouriço

Acho que o Ricardo Gomes e Mozer eram bem superiores ao Eurico que teve a fortuna de representar os 3 grandes e ser campeão em todos.
Quanto ao Aldair estava longe dos dois primeiros. Curiosamente foi o que teve mais sucesso internacionalmente. Acho que se pode comparar ao Luisão, chegaram muito jovens, com muito potencial mas muito por aprender tmb.

miccoli_goncas

Que saudades :( como este é dificil encontrar um igual....

VitorPaneira7

Citação de: Bola7 em 05 de Janeiro de 2007, 15:02
Citação de: Freire em 05 de Janeiro de 2007, 14:40
Citação de: Bola7 em 05 de Janeiro de 2007, 14:16
Citação de: Freire em 05 de Janeiro de 2007, 10:49
Que classe tinha Ricardo Gomes.

Ele e Humberto Coelhos os melhores centrais que vi de águia ao peito.
Hunta o Eurico, o Mozer, o Aldaír, o Raul e o Germano e eis os melhores centrais de sempre do futebol português...

Raul e Germano não vi jogar.
Eurico, Mozer e Aldair não tinham o nivel dos outros 2.
Talvez...mas estão num patamar muito acima por exemplo dos actuais centrais do futebol Português...a jogar por cá...
O meu pai ainda fala do Humberto Coelho com grande respeito,considera-o o melhor jogador do Benfica a par de Chalana do período  pós Eusébio, tinha classe a jogar e sair com a bola na defesa porque raios a RTP não exibe jogos da campnah de 82-83 especialmente contra a Roma . Quanto ao Mozer e Ricardo grandes centrais mas prefiro o Mozer por ter sido um dos mais dedicados ao vermelho do Benfica e gostaria de ter visto o Germano (considerado o 53º melhor jogador de sempre das competições europeias por votação na Uefa) muitos dos meus tios falam que ele era daqueles que não se sabia em que posição jogava melhor tal era sua grande qualidade e claro também tinha classe  jogar. Podiam ter falado aqui do Bastos Lopes que também era bom jogador.

slbenfica_croft

O melhor central k vi no BENFICA.

O melhor de todos os tempos do BENFICA pro meu velho k tb adorava o Humberto.

Elvis the Pelvis

O melhor central do Benfica dos últimos 20 anos, logo seguido pelo Mozer.

LuigiSLB83

Citação de: Elvis the Pelvis em 07 de Agosto de 2008, 14:17
O melhor central do Benfica dos últimos 20 anos, logo seguido pelo Mozer.

:bow2: :bow2: :bow2:

Jakub


slbenfica_croft

Citação de: slbenfica_croft em 06 de Agosto de 2008, 16:10
O melhor central k vi no BENFICA.

O melhor de todos os tempos do BENFICA pro meu velho k tb adorava o Humberto.

e no BENFICA so o vi entre 94-95...

mesmo nessa altura ainda era fabuloso...

depois lembro-me dele no psg...

fanatic

Tenho uma duvida em relação a este jogador, ricardo gomes jogou a epoca 1988/1989 no Benfica, mas assinou contrato com o clube antes ou depois das olimpiadas de seoul de 1988 ?

Os jogos realizaram-se durante os meses de Setembro/Outubro e Ricardo Gomes representou o Brasil nos J.O tendo ganho uma medalha de prata na final contra a Uniao Soviética em 1 de Outubro


Pergunto isto pois um lagarto disse me q o sporting tinha uma medalha olimpica de ouro quando o amunike ganhou a medalha de ouro pela nigeria ha uns anos atras e tou a procura de algum jogador q tenha ganho medalhas ao serviço do slb :crazy2: