Portugal

Rui Rodrigues

Nome completo
Rui de Gouveia Pinto Rodrigues
Data de nascimento
1943-05-17
Periodo no Benfica

1971 - 1974

Primeiro jogo

Domingo, Setembro 12, 1971 - 00:00

Estádio do Futebol Clube do Porto (Antas ,

SL Benfica: José Henrique, Humberto Coelho, Artur Correia, Malta da Silva, Rui Rodrigues, Adolfo, Jaime Graça, Simões (Messias [70m]) (Messias [70m]), Nené, Artur Jorge, Eusébio
Treinador: Jimmy Hagan
Golos: Artur Jorge (86), Eusébio (49), Eusébio (52)

Último jogo

Domingo, Junho 9, 1974 - 00:00

Nacional do Jamor ,

SL Benfica: Bento, Rui Rodrigues (Adolfo [67m]), Artur Correia, Barros, Humberto Coelho, Toni (Eusébio [45m]), Simões, Vítor Martins, Jordão, Nené, Vitor Baptista
Treinador: Fernando Cabrita
Golos: Nené (32), Eusébio (44)

Títulos

Notícias relacionadas

Nenhum item encontrado

46272 - Tópico: Rui Rodrigues  (Lida 6602 vezes)

Shoky

  • Colaborador
  • ******
  • Mensagens: 197086
  • #Elenão
  • 07 de Fevereiro de 2012, 17:00


Nome Completo: RUI de Gouveia Pinto RODRIGUES
Posição: Defesa Central
Nacionalidade: Português (Internacional A)
Data de Nascimento: 17-05-1943
Número da Camisola: ?
Pé Preferido: Direito


Épocas ao serviço do Benfica: 3
Total de Jogos pelo Benfica: 59

Total de Golos pelo Benfica: 2
Títulos pelo Benfica:

2 Campeonatos Nacionais (1971/72, 1972/73)

1971/1972
Jogos: 25
Golos: 2 (1 na Liga)

1972/1973
Jogos: 18
Golos: 0

1973/1974
Jogos: 16
Golos: 0
« Última modificação: 02 de Março de 2013, 00:35 por Shoky »

fred9

  • Sénior
  • ****
  • Mensagens: 6931
  • Se o Salvio vier não posto no geral por 4 meses!
  • 07 de Fevereiro de 2012, 22:27
Rui Gouveia Rodrigues. Lourenço Marques, Moçambique. 17 de Maio de 1943. Defesa.
Épocas no Benfica: 3 (71/74). Jogos: 59. Golos: 2. Títulos: 2 (Campeonato Nacional).
Outros clubes: GD 1º Maio, Académica e V. Guimarães. Internacionalizações: 12.



Como sentiu Rui Rodrigues o encanto de Coimbra na hora da despedida da sua Académica! Era o velho amor, aquele que o terá inibido de mais cedo voar por outros horizontes nas asas da águia. Atrasado chegou ao Benfica, já com 28 anos, internacional feito, jogador maduro. Agridoce, assim foi a estada de Rui Rodrigues no clube. Um portento de técnica, um martírio de lesões.

Garantiu a entrada directa para o top mais da equipa-maravilha de Hagan. Na estreia, no anfiteatro das Antas, a 12 de Setembro de 1971, aquando da primeira ronda do Campeonato, um ciclone vermelho varreu a casa azul, com Eusébio (2) e Artur Jorge a darem maior expressão ao ribombar benfiquista.

Ao lado de Humberto Coelho, na zona central da defensiva, Rui Rodrigues cedo começou a ser reverenciado. Era um virtuoso, com pés astutos e matemáticos. A tarefa jamais terminava quando subtraia a bola aos adversários. Apropriava-lhes, subtilmente, qualquer dose de ambição. Era desmancha-prazeres no momento do desarme, logo virava fazedor de sonhos no inicio da construção do edifício ofensivo. Quem não recorda aquele golo que apontou ao Sporting, em Alvalade, na confortável vitória (3-0) do Benfica? Um golo de costa a costa. Impagável.

Em três temporadas, na Luz, venceu dois Campeonatos. Só não fez o pleno, porque o triunfo, por 5-3, no covil do leão, acabou por não ser suficiente para desalojar da liderança um Sporting menos exuberante, mas à época mais regular. Sopravam, então, os ventos de Abril. Começava também uma nova era no futebol. Rui Rodrigues partiu para o Vitória de Guimarães e para a sua farmácia, que os proventos da bola não davam para facilitar. Ainda regressou ao clube, semiprofissional de facto, muitos anos depois, pela mão de Artur Jorge, responsável de todo o aparelho técnico. Treinou os mais pequeninos. Campeão nacional de infantis foi.

De origem moçambicana, ao nascer tal como Eusébio e Coluna na antiga Lourenço Marques, só não foi mais um africano nas fileiras do Benfica, porque afinal Rui Rodrigues se exibia com singularidade. É que há os inimitáveis e os (muitos) outros. Ele pertencia, coercivamente, à primeira categoria.


Tópico: Memorial Benfica, Glórias
Autor: Ednilson
Link: http://serbenfiquista.com/forum/index.php?topic=22362.180
« Última modificação: 20 de Abril de 2013, 23:58 por Shoky »

Saïd Old Roof

  • Sénior
  • ****
  • O Rodolfo Dias do SerBenfiquista.
  • Mensagens: 1049
  • Abutre #1.253
  • Sócio: concentradíssimo!
  • 14 de Fevereiro de 2012, 12:32
O início da carreira como treinador.


Fonte: "Diário de Lisboa" de 7 de Dezembro de 1979.

Saïd Old Roof

  • Sénior
  • ****
  • O Rodolfo Dias do SerBenfiquista.
  • Mensagens: 1049
  • Abutre #1.253
  • Sócio: concentradíssimo!
  • 17 de Maio de 2012, 21:39
Parabéns! :)

pcssousa

  • Colaborador
  • ******
  • Até sempre!
  • Mensagens: 76442
  • 17 de Maio de 2012, 22:13
Eheheheh... um dia conto uma engraçada que se passou entre ele e o nosso Eusébio ainda ele jogava na Briosa...

Pedro Marques

  • Eusébio
  • ******
  • A razão da experiência é menos importante que a própria experiência.
  • Mensagens: 18239
  • 25 de Agosto de 2012, 15:30







Aloutre

  • Eusébio
  • ******
  • Mensagens: 31837
  • 27 de Agosto de 2012, 13:17
Eheheheh... um dia conto uma engraçada que se passou entre ele e o nosso Eusébio ainda ele jogava na Briosa...
Chega-te à frente :D

pcssousa

  • Colaborador
  • ******
  • Até sempre!
  • Mensagens: 76442
  • 27 de Agosto de 2012, 18:48
Eheheheh... um dia conto uma engraçada que se passou entre ele e o nosso Eusébio ainda ele jogava na Briosa...
Chega-te à frente :D
A história é mais que verídica... Rui Rodrigues foi durante anos defesa da Académica, foi protagonista de vários duelos com Eusébio... Atenção, isto é para ser levado com espírito "desportivo" e demonstra o que significava naquele tempo para aqueles jogadores estudar em Coimbra e jogar na Académica: Pois bem, Rui Rodrigues, principalmente em Coimbra, ano após ano, sempre que disputava lances com Eusébio lá lhe chamava "preto para aqui e preto para acolá"... o pobre do Eusébio, um dia virou-se para ele e exclamou: "ouve lá, pá, não és tão preto como eu"? Rui Rodrigues encolheu os ombros, sorriu e respondeu: "verdade, mas ao menos sou doutor"... acabaram os dois a rirem-se agarrados um ao outro e os espectadores sem perceberem porque diabo estavam dois adversários a fazer tal figura a meio de um jogo...
Rui Rodrigues é licenciado em Ciências Farmacêuticas e para dizer a verdade, eu nem sei se já teria concluido o curso na altura em que proferiu estas palavras.
A história é mais que verídica, acreditem.

Aloutre

  • Eusébio
  • ******
  • Mensagens: 31837
  • 28 de Agosto de 2012, 01:59
LOOOL se não conseguiu para o Eusébio em campo futebolísticamente falando, pelo menos em conversa meteu-o no bolso ;D

Zlatan

  • Eusébio
  • ******
  • Mensagens: 56511
  • 20 de Abril de 2013, 23:28
Rui Gouveia Rodrigues. Lourenço Marques, Moçambique. 17 de Maio de 1943. Defesa.
Épocas no Benfica: 3 (71/74). Jogos: 59. Golos: 2. Títulos: 2 (Campeonato Nacional).
Outros clubes: GD 1º Maio, Académica e V. Guimarães. Internacionalizações: 12.



Como sentiu Rui Rodrigues o encanto de Coimbra na hora da despedida da sua Académica! Era o velho amor, aquele que o terá inibido de mais cedo voar por outros horizontes nas asas da águia. Atrasado chegou ao Benfica, já com 28 anos, internacional feito, jogador maduro. Agridoce, assim foi a estada de Rui Rodrigues no clube. Um portento de técnica, um martírio de lesões.

Garantiu a entrada directa para o top mais da equipa-maravilha de Hagan. Na estreia, no anfiteatro das Antas, a 12 de Setembro de 1971, aquando da primeira ronda do Campeonato, um ciclone vermelho varreu a casa azul, com Eusébio (2) e Artur Jorge a darem maior expressão ao ribombar benfiquista.

Ao lado de Humberto Coelho, na zona central da defensiva, Rui Rodrigues cedo começou a ser reverenciado. Era um virtuoso, com pés astutos e matemáticos. A tarefa jamais terminava quando subtraia a bola aos adversários. Apropriava-lhes, subtilmente, qualquer dose de ambição. Era desmancha-prazeres no momento do desarme, logo virava fazedor de sonhos no inicio da construção do edifício ofensivo. Quem não recorda aquele golo que apontou ao Sporting, em Alvalade, na confortável vitória (3-0) do Benfica? Um golo de costa a costa. Impagável.

Em três temporadas, na Luz, venceu dois Campeonatos. Só não fez o pleno, porque o triunfo, por 5-3, no covil do leão, acabou por não ser suficiente para desalojar da liderança um Sporting menos exuberante, mas à época mais regular. Sopravam, então, os ventos de Abril. Começava também uma nova era no futebol. Rui Rodrigues partiu para o Vitória de Guimarães e para a sua farmácia, que os proventos da bola não davam para facilitar. Ainda regressou ao clube, semiprofissional de facto, muitos anos depois, pela mão de Artur Jorge, responsável de todo o aparelho técnico. Treinou os mais pequeninos. Campeão nacional de infantis foi.

De origem moçambicana, ao nascer tal como Eusébio e Coluna na antiga Lourenço Marques, só não foi mais um africano nas fileiras do Benfica, porque afinal Rui Rodrigues se exibia com singularidade. É que há os inimitáveis e os (muitos) outros. Ele pertencia, coercivamente, à primeira categoria.


Tópico: Memorial Benfica, Glórias
Autor: Ednilson
Link: http://serbenfiquista.com/forum/index.php?topic=22362.180

Blitzer

  • Eusébio
  • ******
  • Mensagens: 39723
  • #FlattenTheCurve
  • 18 de Dezembro de 2016, 17:13
OldFootballPictures ‏@OldFootball11

Rui Rodrigues as player of #Benfica (1971-1974).